Bookeen,

Opinião Contemporânea: "Anexos" de Rainbow Rowell

maio 15, 2016 Mafi 0 Comments




Depois de no ano passado ter lido Eleanor and Park e Fangirl, foi com alguma curiosidade que me juntei numa leitura conjunta para ler mais um livro de Rainbow Rowell. Desta vez a escolha recaiu sobre Attachments, o primeiro livro da autora. Seria também a minha estreia com Rowell na ficção adulta,deixando assim de lado os adolescentes. Admito que tinha boas expectativas embora já tenha dado para entender que com a autora ou ama-se ou odeia-se. Isto comprovou-se no fim da leitura do livro, onde houve cotações desde a 1 estrela até às 4 estrelas. Aqui a je deu 2 e passo a explicar porquê. 

O livro centra-se no romance de duas personagens que em 95% do livro não se conhecem...por isso o mais justo é dizer que este livro é um não romance pois quando o encontro entre os dois realmente se dá, o livro acaba poucas páginas depois.
As personagens que tanto falo, são Lincoln e Beth. O primeiro trabalha como segurança informático, monitorizando e controlando todos os movimentos informáticos da empresa por onde trabalha. Isto consiste em que tenha de ler todos os emails de modo a detectar alguma infracção. No meio do seu trabalho acaba por parar na conversa entre Beth e Jennifer, duas amigas e colegas que por vezes parece que falam mais do que trabalham. 
A narrativa é desenvolvida em duas partes, temos a visão de Lincoln onde o vamos conhecendo pouco a pouco, desde o seu passado até à sua situação actual e o porquê de ter aceite aquele trabalho. A outra narrativa é a dos emails enviados entre as amigas, e é partir de apenas estes emails que vamos tentando simpatizar com a Beth e a Jennifer. 
Achei a narrativa dos emails bastante insuficiente na construção das personagens, principalmente da Beth. Foi-me impossível conseguir criar uma ligação com uma personagem em que a única acção durante todo o livro é trocar emails com a amiga. Os emails até contam bastante da vida das duas amigas mas achei que não foi muito inteligente desenvolver o livro desta forma, porque nunca consegui ter uma conexão com a Beth, a sua caracterização sempre me pareceu muito superficial.
Gostei mais da parte do Lincoln porque tivemos uma visão muito mais ampla e completa dos seus traços de personalidade, embora tenha achado toda a estória da ex-namorada bastante longa de se acompanhar, parecia que não tinha fim.
Acho que o grande problema do livro foi a autora ter metido muita palha no meio do livro, sem haver qualquer interesse para o desenvolvimento da estória e ter levado muito tempo até que realmente acontecesse algo...e depois quando acontece o livro acaba!

Toda a estória do amor do Lincoln pela Beth através dos emails  não me convenceu de todo. Podem me chamar de céptica mas eu não acredito que uma pessoa se apaixone por outra através de emails trocados entre amigas, sem nunca ter estado com essa pessoa pessoalmente! Portanto toda a premissa do livro para mim não funcionou. E tendo eu lido um livro há pouco tempo - com um premissa semelhante - em que os protagonistas apenas se conhecem através do Twitter, deixa-me que vos diga que gostei mais do desenvolvimento daquele livro, que tem metade das páginas deste, do que aqui. Ao menos em Goodnight Tweetheart, as personagens conversam entre si! Aqui nem isso!

Não foi um livro que me tivesse dado gosto em lê-lo, pelo contrário achei-o bem aborrecido e sem qualquer mensagem para o leitor.

Foi uma leitura que me custou um pouco porque eu tinha realmente gostado dos livros anteriores da autora e agora irei ficar de pé atrás ao ler o próximo livro dela, que deverá ser o Landline.

Sendo uma autora que causa tanta discórdia não posso deixar de aconselhar este livro, pois poderá ser um livro que agrade a muitos mas não é de todo o livro ideal para começar a ler Rowell.

Livro lido em formato digital no Cybook Muse Frontlight da Bookeen.


Beth e Jennifer sabem que alguém está a monitorizar os seus e-mails de trabalho (toda a gente na redação sabe, é política da empresa). Mas, mesmo assim, não conseguem levar os avisos a sério. Insistem em enviar uma à outra e-mails hilariantes e intermináveis, em que discutem tudo sobre as suas vidas privadas.
Lincoln O’Neill não acredita no seu novo trabalho – ler os e-mails de outras pessoas. Quando se candidatou para “supervisor de segurança na Internet” imaginava-se a combater a pirataria ou a construir firewalls – e não a escrever relatórios entediantes sempre que um jornalista envia uma piada porca.
Um dia Lincoln depara-se com a correspondência de Beth e Jennifer e, apesar de saber que não a deveria ler, é incapaz de resistir às histórias cativantes. Quando finalmente se apercebe de que está perdidamente apaixonado por Beth, já é tarde demais para se apresentar.
Como conseguiria ele sequer explicar?

0 comentários:

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!