Publicações

Compilações: "A minha irmã é uma serial killer" e "Felix Ever After"


Com um título tão particular e sendo um livro com poucas páginas, aventurei-me no Ebook e no audiobook deste thriller humorístico. Aqui temos a história de duas irmãs embora tenhamos o ponto de vista de uma só, que nos vai contando toda a história do livro. Korede, é uma enfermeira responsável e trabalhadora mas quando a sua irmã Ayola lhe telefona a pedir ajuda porque acabou de matar o namorado e precisa de livrar-se do corpo, a vida dela muda especialmente porque já não é a primeira vez que isto acontece. A trama e nós apresentada num tom de humor negro que não vai agradar a todos os leitores. Eu gostei em geral do livro mas não chegou às 4 estrelas. Por vezes achei a Korede um pouco snob do género achar que é melhor que a irmã, que é uma autêntica personagem em todo o livro! A Ayola acaba por ser a salvação deste Thriller, é daquelas personagens bipolares que se convivessemos no dia a dia com ela achariamos que era maluca da cabeça. Apesar do tom divertido, livro também tem partes mais sérias e com temas interessantes mas sempre ligado ao relacionamento das irmãs. O facto do livro também se passar em Lagos, capital da Nigéria dá-lhe um toque diferente da habitual espera Europa-América.

Foi uma boa estreia desta autora e é um livro que recomendo.



Apesar de não andar a comprar muitos livros, nem os que comprei este ano ando a ler mas decidi pegar no "Felix Ever After" e não me arrependi nem um pouco pois adorei esta história. Eu já calculava que ia adorar este livro pois é um YA que tem todos os ingredientes que eu gosto, representividade e uma mensagem e para mim esses são os melhores livros.

Aqui temos Felix Love, de 17 anos que é um rapaz transgénero. O pai apoiou-o na sua transição mas ele sabe que lhe custou pois de vez em quando ainda o chama pelo nome de nascimento. Apesar de morar em Nova Iorque, uma cidade muito liberal, Felix ainda sente algum receio por ser quem é, porque para além de ser transgénero também é gay e o pior disso é que nunca se apaixonou, algo irónico para alguém que tem Love como apelido. Infelizmente, o facto de não ter namorado é o menor dos problemas de Felix quando este começa a ser chantageado na Internet por um troll que ameaça revelar a sua antiga identidade. Felix tenta não ficar abalado com esta história e tenta descobrir a todo o custo descobrir quem o anda a tentar enganar.

Para além do jogo da apanhada o livro tem muito mais camadas por descobrir. O próprio autor é trans portanto acredita que esteja muito dele representado no Felix. Normalmente os livros que mais gosto são aqueles que mostram a evolução fã personagem principal e temos isso aqui da melhor maneira. Com a ajuda dos amigos e de um possível namorado, no final Felix acaba por aceitar-se completamente sem ter medo de mergulhar no passado na outra pessoa que ele um dia foi.

Infelizmente não está publicado aqui mas tenho a certeza que seria bem aceite cá em Portugal não só pelos temas que trata mas pela mensagem que passa. Uma óptima leitura para os jovens de hoje em dia. 

A Entrar no Forno: "Every Last Fear" de Alex Finlay

 


Mais um thriller a chegar cá às nossas terras portuguesas! 
Um lançamento deste ano de lá fora e que sairá cá pela Editorial Presença
Fiquem com a sinopse traduzida:


"Encontraram os corpos numa terça-feira."Assim começa este romance retorcido e de tirar o fôlego que traça o destino da família Pine, um thriller que vai deixá-lo ansioso e à beira das lágrimas.

Depois de uma noite de festa, o estudante da NY University, Matt Pine regressa ao seu quarto e recebe as notícias devastadoras: quase toda a sua família—a mãe,  o pai e o irmão mais novo e a irmã—foram encontrados mortos numa aparente fuga de gás durante as férias no México. A polícia local afirma que foi um acidente, mas o FBI e o Departamento de Estado parecem menos certos. 

A tragédia faz notícia em todos os lugares porque esta não é a primeira vez que a família Pine é empurrada para os holofotes dos mídia. O irmão mais velho de Matt, Danny-que atualmente cumpre prisão perpétua pelo assassinato da sua namorada adolescente Charlotte-foi objeto de um documentário viral sobre crimes reais sugerindo que Danny foi injustamente condenado. Embora o país tenha se reunido atrás de Danny, Matt guarda um segredo sobre o seu irmão que ele nunca contou a ninguém: na noite em que Charlotte foi morta, Matt viu algo que o faz acreditar que seu irmão é culpado do crime.

Quando Matt volta para sua pequena cidade natal para enterrar os pais e irmãos, ele enfrenta uma comunidade hostil que foi vilanizada pelo documentário, uma mídia frenética, e memórias que ele esperava deixar para trás para sempre. Agora, com as mortes no México cada vez mais suspeitas e ligadas ao caso de Danny, Matt deve descobrir a verdade por trás do crime que enviou seu irmão para a prisão—colocando sua própria vida em perigo—e forçando-o a enfrentar todos os seus últimos medos.

Dito através de vários pontos de vista e alternando entre passado e presente, "Every Last Fear" de Alex Finlay não é apenas um thriller de viciante mas é também uma história comovente sobre uma família gerida a desgosto e tragédia, e a viver através de uma fama que eles nunca quiseram.

A Sair do Forno: ''Arrepio'' de Allie Reynolds


Sai dia 24 de Agosto! 

O que era para ser um encontro de amigos nos Alpes franceses, transforma-se num cenário mortal, quando descobrem que alguém os isolou no alto da montanha, em meio de uma tempestade.

Milla Anderson, antiga atleta de alta competição, aceita um convite para uns dias numa pequena estância de desportos de inverno, antes do início da temporada. Convencida que vai divertir-se com quatro velhos amigos, a recordar velhos tempos. Mas, depressa percebe que algo de muito errado se está a passar. A estância está deserta, os teleféricos que os transportaram até ao lugar estão parados e todos os telemóveis e computadores desapareceram. No hotel aguarda-os um jogo que os vai levar à verdade sobre Saskia, a amiga que perderam uma década antes, naquele mesmo sítio, durante uma competição de snowboarding.

Fechada naquela montanha, Milla rapidamente se apercebe como não pode confiar em ninguém… ela pode ser a próxima a desaparecer.

A Sair do Forno: "Sinais dos Astros" de Minnie Darke

 


Sai dia 19 de Agosto 
Quando Justine Carmichael (Sagitário, cética, e aspirante a jornalista) e Nick Jordan (Aquário, crente fervoroso, que sonha ser ator) se cruzam por acaso na rua, talvez seja apenas um acaso do destino. Ou talvez estivesse escrito nas estrelas. Justine e Nick viveram um primeiro amor na infância e, agora que se reencontram na vida adulta, Justine percebe que ainda o ama. Nick é devoto de Astrologia, lê todos os dias o horóscopo na sua revista preferida - onde, mais um acaso, Justine escreve - e confia plenamente nas previsões dos Astros. Mas Nick parece continuar a resistir ao encanto de Justine, e é então que ela decide dar uma pequena ajuda ao destino. Fazendo pequeníssimas afinações, toma o horóscopo de Nick, e o próprio Fado, nas suas mãos. Afinal de contas, o que de pior pode acontecer? O problema é que Nick não é o único aquariano que toma decisões importantes baseado no que está escrito nas estrelas…

Opinião da Ne: "Corte de Chamas Prateadas" de Sarah J. Maas

COM SPOILERS

Apesar de estar a adorar a saga e tudo que a torna tão espectacular começo a não gostar do que a autora faz com as personagens. Quando quer que elas sejam boas ou más consoante precisa delas.

Aqui temos Eris assim. Jurian assim. Mas notei principalmente Nestha, que no primeiro livro era má, no segundo má, no terceiro boa, e agora no quarto voltou a má assim de repente. E aquela auto-penalização dela sempre com os mesmos assuntos também se torna repetitivo. Pelo menos lembro-me que com Feyre esta questão psicológica foi mais branda. e apesar de ter traumas não eram "relembrados" tantas vezes.

Talvez seja por ser tão protectora de Cassian e por achar que aqueles traumas fazem dela apenas egocêntrica. Pegar no que ela não fez no primeiro para agora ser uma desculpa para ter traumas não acho que tenha resultado muito bem. Pelo menos para mim. A questão do poder dela ter demorado a ser desvendado também aborreceu um pouco e esgotou a curiosidade.

Não estava à espera da primeira cena de Cassian e Nestha terminar naquela forma, mas a autora usou-a bem para voltar a anular tudo o que Nestha tinha conquistado. 

Gostei bastante das cenas entre as 3 novas amigas, tal como dos seus treinos e finalmente tivemos um Rito de Sangue, apesar de ter sido falsificado. As cenas de poder que mais gostei de Nestha foi mesmo quando ela explodiu e a final. Ai dela que não fizesse tal coisa! Sinceramente estava à espera que Feyre alterasse o próprio corpo, mas assim também foi bem porque ficou tudo perdoado. O facto de Nestha ter alterado o próprio corpo também foi algo dissimulado e forçado, para não dizer oportunista da parte da autora.

Notei bastante a ausência das personagens Jurian, Julien e Vass (?). Tiveram tão presentes no terceiro volume e aqui desaparecem. Quase foi uma nova história ou um spin-off.

Esta vilã também foi algo ausente e quem se manteve mais presente foi Eris. De resto, o livro baseou-se muito na relação amorosa e sexual de Cassian e Nestha e em todos os dramas emocionais que eles carregam. Acrescentou-lhe as cenas dos treinos, como se a guerra estivesse à espera que elas trabalhassem e treinassem. Pessoalmente não me encantei com este casal. Ainda estou apaixonada pela Feyre e pelo Rhysand, e dificilmente os vão suplantar.

Os extras quase que me escapavam, mas também não adiantaram muito. O de Azriel mantém-nos na dúvida e mostrou-nos um lado dele que não estava à espera mas que não me agradou muito, sinceramente. Sou equipa Gwen claro! Valquírias para sempre! 

Entretanto não resisti a ir reler os últimos capítulos do primeiro livro porque senti muita falta do casal Feyre e Rhys. Adorava que a autora escrevesse um livro com o POV de Rhys desde o início. Sei que já deu uns bónus, mas não me chegou. Também espero que os próximos não demorem muito, apesar de já ter decidido reler os três primeiros para ver se me escapou alguma coisa e porque agora vou ler tudo com outros olhos.

Nestha Archeron sempre foi orgulhosa, irritável e lenta em perdoar. Ter sido Feita pelo Caldeirão não tornou sua personalidade mais doce. Mas o que poucos sabem é que, por trás da fachada de força, Nestha carrega uma dor que a está corroendo: o arrependimento por não ter feito nada para ajudar a família quando caíram na pobreza e por não ter sido capaz de salvar o pai...Desde que foi forçada a entrar no Caldeirão e se tornar Grã-Feérica contra sua vontade, ela lutou para encontrar um lugar para si mesma dentro do mundo estranho e mortal que habita. No entanto, ela não consegue superar os horrores da guerra com Hybern e tudo o que perdeu nela.

A única pessoa que a incendeia, mais do que qualquer outra, é Cassian, o guerreiro com cicatrizes de batalha cuja posição na Corte Nocturna de Rhysand e Feyre o mantém constantemente na órbita de Nestha. Mas seu temperamento não é a única coisa que Cassian inflama. O fogo entre eles é inegável, e fica ainda mais quente quando são forçados a ficarem próximos um do outro.Como se não bastasse, a possibilidade de uma nova guerra desponta no horizonte e, enquanto isso, as traiçoeiras rainhas humanas que retornaram ao continente durante a última guerra forjaram uma perigosa nova aliança, ameaçando a frágil paz que se instalou nos reinos... E a chave para detê-los pode depender de Cassian e Nestha enfrentarem seu passado assustador.

Contra o pano de fundo arrebatador de um mundo devastado pela guerra e atormentado pela incerteza, Nestha e Cassian percebem que apenas juntos podem triunfar, e lutam contra monstros por dentro e por fora enquanto buscam aceitação – e cura – nos braços um do outro.

Opinião da Ne: "Cidade da Lua Crescente" de Sarah J. Maas

SEM SPOILERS

Esta opinião é daquelas que queremos escrever logo mal acabamos para conseguirmos eternizar todos os pensamentos e opiniões em relação a este livro.

Como fã da autora já sei o que posso esperar. Já sei que nem todos vão sobreviver, já sei que tudo tem um segundo sentido, já sei que nada acontece por acaso. Também sei que nem todas as relações são eternas e que de x em x capítulos vai haver uma surpresa, e que de y em y capítulos vai haver algo que acontece que nos faz repassar tudo o que lemos até ali e exclamar um enorme e bem alto AHHHHHH!

Comprei este menino e a dobrar, em livro físico e em ebook, os dois na versão brasileira. E não posso deixar de agradecer à minha querida Paula do @manias_de_leitora, que me trouxe este e mais uns tesouros para minha casa.

Bryce já estava no meu coração ainda antes de a conhecer. Todas as personagens femininas e protagonistas do livro de Sarah J. Maas têm que ser guerreiras e eu sabia que a ia adorar e ela não me iria desapontar. O impressionante é como é que a autora consegue criar três protagonistas tão diferentes mas tão magníficas. Como sempre estão carregadas de altruísmo, coragem e muito amor para dar e vender. Serão sempre protectoras dos mais fracos e enfrentarão tudo e todos. Sacrificam-se sempre sem pensar duas vezes e aqui, Bryce faz e sei que irá fazer isso e muito mais.

Como já tinha ouvido dizer, este livro é sobre amizade, sobre um amor diferente sem ser o romântico ou sexual. Adorei esse ponto nestas personagens e nesta história e ainda bem que é bem abundante. Aqui vamos ter quatro amigas, três amigos, parceiros de equipa, parceiros de fé, parceiros de guerra. Este livro está tão cheio e deixa nos de coração tão cheio. É muito bom. 

COM SPOILER

Tanto no Trono de Vidro como na Corte de Rosas e Espinhos, Celaena e Feyre têm um começo e depois têm a provação final. As duas com seus passados. Bryce também tem um passado mas menos doloroso ou com menos dificuldades, mas depois parece que tudo se acumula e tem que passar por tudo ao mesmo tempo. Ou não, mas estas 900 páginas passam tão rápido que mais parece um livro de 200. São quase 100 capítulos e está dividido em 3 partes.

Como podem ler na sinopse, acontece uma desgraça logo no inicio. Essa desgraça vai acompanhar Bryce até ao fim e acompanhar-nos também. É um peso enorme no coração que sei que irá assombrar até os próximos livros. Eu adoro Hunt, sem dúvida, mas nada como o primeiro amor. Não o consigo esquecer, tal como não esqueci no Trono de Vidro. E não falo de Chaol!

Apesar de no início achar um pouco descritivo de mais, mesmo com a desgraça inicial (está na sinopse), depois à medida que a história foi avançando, quando o plot foi se compondo, a trama foi se desenvolvendo, as relações foram-se consolidando ou até desfazendo. Há traições graves, há traições que não são traições, passamos as páginas todas com dúvidas em relação a todos os passos de todos os que envolvem Bryce, até de todo o cenário porque a história é sobre artefactos perdidos e por isso ficamos sempre atentas a pistas em todos os movimentos, descrições ou até palavras.  Normalmente não me preocupo muito com esses pormenores, se me passar a informação sei que depois esta me vai ser dada pela protagonista, mas acaba por ser divertido principalmente quando descobres que estavas certa nalgumas coisas.

Adorei a relação de Bryce com Ruhn. Ele faz-me lembrar Dorian com tamanha nostalgia! Ainda por cima Ruhn tem aquela relação com Flynn (suspiro) e com Declan. Este trio e a sua relação transportam-me para o trio Rhys, Cassian e Az. Depois há aquele bónus de Ruhn que me lembra Dorian e Manon. Ai que saudades!!! E o hunt é tão Rowan, mas menos, não sei se me entendem. Apetece me reler este, TOG e ACOTAR tudo ao mesmo tempo, fazer um mapa de coisas em comum, de escrever teorias, ... É muita emoção junta, muitas sensações que vivemos a ler tudo.

A relação das amigas é tão potente! Adorei a relação da Bryce com a Danika. Que amizade tão poderosa! Tão linda! Do início ao fim! E a cena que só se revela no final? Ma-ra-vi-lho-sa! Adoro o facto da Bryce ser tão desenrascada e talentosa, de nascença e de educação. Ela é linda por dentro e por fora, sabe que é linda por fora, só não sabe que os outros também o são e querem lhe dar tudo. Revejo a muito como a Feyre na parte em que aceita o que lhe dão, só que ela dá sempre muito mais. 

A questão da descida demorou imenso mas já estava à espera que tivesse um propósito. O sacrifício de Hunt não me afectou tanto como esperava porque sabia que se ia resolver. Mas as massagens cardíacas dele! Pormenor muito bom neste mundo de fantasia mas tão contemporâneo.

Adorei o poder dela. A tatuagem já estava à espera apesar de não ter adivinhado tudo. Mas a ligação dela com as espadas, com os livros, com os outros animais, adorei. Adorei a Lehabah e a Syrinx. Adorei as trocas de mensagens, as rotinas dela, os áudios. Consegue se visualizar tudo tão bem!

Crescent City tem toda uma variedade de personagens: feéricos (já não consigo ler nada sem eles), anjos (um grande SIM sempre), lobos (adoro adoro adoro), bruxas (tão bom), duendes, sereias, ceifadores, deuses, arcanjos, etc etc etc. Todos eles têm um papel super importante em tudo o que acontece. Mas o melhor é que temos isto tudo num mundo moderno, de telemóveis, de câmaras, de carros e helicópteros. E funciona tudo tão bem que é um mundo em que eu adorava viver, mesmo com tudo o que acontece!

SEM SPOILERS

Felizmente encontrei quem ama tanto estes livros como eu. A minha querida Mariana da @citydixie que já conhece o trabalho de Sarah J. Maas há mais tempo e sabe tudo de cor ajudando-me a exteriorizar todo o histerismo que envolveu a leitura deste livro e das memórias das outras sagas que foram surgindo. Este livro foi lido em leitura conjunta com a Bruna do @finish.the.book e ela como amante de thrillers adorou tanto como esta amante de fantasia e romance, porque esse é outro ponto deste docinho, é o facto de ter todo um mistério em volta de vários crimes. 

Infelizmente há pouca fanart de Crescent City, mas as poucas que há são muito boas. E quero partilhar as minhas preferidas convosco. Espero que com a publicação do segundo hajam muitas mais principalmente de cenas chave, acontecimentos mais memoráveis.

COM SPOILER

Queria falar mais, queria fazer aqui um resumo de tudo o que se passou do início ao fim, esmiuçar as melhores cenas e as minhas cenas preferidas. Mas é difícil escolher principalmente desde a cena do barco para a frente. A partir daí foi tudo tão bom, tão sofrível, tão romântico, tão heróico, tão movimentado e inesperado, com duas acções ao mesmo tempo, com dois conjuntos de personagens, que não conseguimos escolher qual queremos ler mais. É tudo tão intenso, tão mágico, tão profundo. Bem hoje estou cheia de adjectivos e elogios, mas estou aqui de coração cheio depois de ter terminado de ler este livro que só me apetece ir gritar ali para a rua para toda a gente o ir ler e partilhar comigo esta alegria!!!! E mais: outra característica perfeita é que como a escritora tem sempre histórias dentro de histórias, este livros têm sempre um fim, mas um fim que continua. O que dá nos vontade de ler os outros mas ficamos com o sentimento de realização e satisfação. 

Resumindo: leiam com coração aberto. Os amantes de fantasia vão adorar, os de policiais também, os de romance também, os de contemporâneo também.

Bryce Quinlan tinha a vida perfeita - trabalhava duro o todo e festejava noite adentro -, até que um demónio assassina alguns de seus melhores amigos, deixando-a destruída e mudando sua vida para sempre. Sem entender como sobreviveu ao ataque da besta, a semifeérica tenta superar a perda, com o consolo de que o culpado por conjurar o demónio está atrás das grades. Mas quando os crimes recomeçam, dois anos depois e com as mesmas características, Bryce se vê no meio de uma investigação que pode ajudá-la a vingar a morte dos amigos.

Hunt Athalar é um notório anjo caído, agora escravizado pelos arcanjos que um tentou derrubar. Suas habilidades brutais e força incrível foram definidas para alcançar um único objectivo: assassinar – sem perguntas – os inimigos do seu chefe. Mas com um demónio causando estragos na cidade, ele ofereceu um acordo irresistível: ajudar Bryce a encontrar o assassino, e sua liberdade estará ao seu alcance.

Enquanto Bryce e Hunt se aprofundam nas entranhas da Cidade da Lua Crescente, eles descobrem um poder sombrio que ameaça tudo e todos que amam, e encontram um no outro uma paixão ardente – que teria o poder de libertar os dois, se eles apenas a aceitassem.

Opinião da Ne: "O Sedutor" de Vi Keeland

Inicio de leitura: 17/07/2021 19h00

Fim de leitura: 18/7/2021 11h40

Como podem ver esta leitura foi daquelas express como sabia que iria ser. Não dá para pegar num livro de Vi Keeland e parar. Até acho que sonhei com o Ford ahahah.

Apesar de concordar que há muito cliché, que a história base é sempre a mesma, sei que será uma leitura que me deixará satisfeita, emocionada e animada pelas cenas sexuais (excitada seria dizer demais). Portanto, a historia de Valentina, uma Técnica de Radiologia (como eu) que decide ser professora de italiano, divorciada, com um filho quase adulto, que se apaixona pelo Match.com conquistou-me logo nas primeiras páginas, principalmente pelas mensagens de Ford.

Gostei do inicio e adorei o fim, mas a certa altura achei que dramatizou um pouco e amornou o entusiasmo. De qualquer forma não deixa de ser uma história que evolui bem e se lê rápido.

Ford é bastante cativante claro, por ser tão correcto e honesto. E tem um amigo curioso que era engraçado conhecer uma história só dele. Ainda temos personagens secundários como a família mais próxima e uma história paralela sobre os pais de Ford. 

Como sempre a autora aborda sempre outros assuntos como a traição ou ser progenitor cedo, mas sempre de forma leve e mais para dar ali um pouco de conteúdo ao romance principal. A questão da diferença de idades é abordada de várias formas e como tema principal, mas achei que dramatizou demais com todas as dúvidas existenciais deles os dois. 

Continuo a dizer que esta autora é das minhas preferidas porque me dá aquela leitura leve e perfeita para ler entre livros mais pesados e que nos deixam sempre com aquela ressaca. Nunca fiquei com ressaca dos livros de Vi Keeland, mas fico sempre com fome de mais.

Eu não podia deixar-me seduzir por um homem mais novo…
Quando conheci o Ford Donovan, não sabia nada sobre ele. Bem, a não ser que era lindo, inteligente, bem-sucedido e… jovem. Talvez demasiado jovem para mim.
Tudo começou quando a minha melhor amiga decidiu que eu precisava de voltar a sair. Sem eu saber, criou-me um perfil num site de encontros românticos — fazendo algumas alterações nas minhas preferências… Era apenas uma brincadeira, mas a verdade é que foi assim que eu e o Ford nos conhecemos e começámos a trocar mensagens.
Ao fim de um casamento de quase 20 anos, a minha curiosidade para saber mais sobre o Ford era muita. Ele era inteligente e bem-disposto, mas eu não conseguia ultrapassar a nossa diferença de idades. As conversas sedutoras prolongaram-se durante semanas, e eu acabei por concordar com um único encontro. Depois de tantas mensagens trocadas, queria ao menos conhecê-lo!
Quando nos encontrámos, aquele sorriso sensual foi o suficiente para me deixar completamente derretida. Mas o seu rosto parecia-me familiar, e não tardei a perceber porquê. Ele era o filho dos nossos vizinhos da casa de férias! Só que já não era nenhum miúdo, era um homem feito!
Mas seria possível resistir a tanto encanto?

Compilações: Hani and Ishu's Guide to Fake Dating e She Drives me Crazy

 Mais duas opiniões de livrinhos novidade lá fora e que li no último mês! 


Este era talvez um dos meus lançamentos mais antecipados de 2021. Adoro a capa e gostei da sinopse, é daqueles livros que as personagens fingem que namoram por algum objectivo mas nunca tinha lido com duas raparigas então fiquei intrigada em conhecer esta história. 
O livro apesar de ser temática Lgbt é um YA cliché, temos a rapariga popular da escola - Hani - que finalmente percebe que também gosta de raparigas. O seu grupo de amigos não aceita bem esta revelação dado que ela nunca tinha dado indicação de ser bisexual, visto que teve sempre namorados. 
 Ishu por outro lado é o oposto completo de Hani. Ela é uma superdotada aluna que espera entrar  numa boa faculdade. Mas Ishu concorda em ajudar Hani no seu plano de namoro falso se Hani a ajudar a se tornar mais popular para que ela tenha mais capacidades sociais. 
Apesar do pacto mutuamente benéfico, elas começam a desenvolver sentimentos reais uma pelo outra. 
Como já tinha dito acima, o livro é cliché na sua premissa mas não é por isso que deixa de ser bom. Primeiro de tudo gostei que a Hani e Ishu não fossem propriamente inimigas, aliás elas quase não se conhecem são meramente colegas de escola,logo aí já é algo fresco à velha história batida de inimigos que fingem namorar. Depois a autora aborda vários assuntos importantes para além da sexualidade como por exemplo racismo e religião. As duas personagens principais são muito bem construídas e apesar de serem bastante diferentes acabam por completar-se. O livro é muito curto de se ler mas não sentimos que faltou algo, toda a história é bem desenvolvida tanto o relacionamento das duas como a reação das personagens principais com a familia e amigos. Sinceramente adorei este livro e fiquei curiosa para ler mais da autora.
                                  

Mas se quiserem um romance de inimigos que depois apaixonam-se também tenho uma indicação para vocês e este livrinho. Aqui temos duas inimigas do ensino médio, uma cheerleader e uma da equipa de basquetebol. 
Aqui temos Scottie, uma jogadora que ainda está a tentar esquecer a ex-namorada
 Devido a uma situação a sua vida cruza-se com a de Irene, a cheerleader super popular mas também com uma reputação de ser má. A relação das duas não começa bem pois elas simplesmente não se dão mas Scottie quer mesmo esquecer a ex-namorada e deixar de ser piada na escola então vem aí o plano do namoro 
Apesar do livro também ser bastante cliché dentro do género YA eu achei piada à picardias do casal principal e ao desenvolvimento pessoal de cada uma. Não é tão bom como o livro anterior mas mesmo ass dentro do mesmo género é um livro que irá agradar a maioria dos leitores. 

A Sair do Forno: "Refém" de Clare Mackintosh



                              A voar dia 12 

 Um thriller claustrofóbico que te transporta até um voo arrepiante de vinte horas, sem escalas, de Londres a Sydney.


Mina está a tentar concentrar-se no seu trabalho como hospedeira de bordo em vez de pensar nos problemas da sua filha de cinco anos ou nas fissuras do seu casamento. Mas, assim que o avião se encontra a quilómetros de altitude, Mina recebe uma nota arrepiante de um passageiro anónimo. Alguém com a intenção de garantir que o avião nunca chegue ao seu destino. Alguém que precisa da colaboração de Mina e sabe exatamente como fazê-la obedecer.


Restam vinte horas para aterrar no destino. Muita coisa pode acontecer em vinte horas. 

A Sair do Forno: "O Acordo da Rainha" de Anne Bishop

 


Sai dia 12 de Agosto 

O regresso ao Mundo Negro, sensual e poderoso das Joias Negras.

Depois de um erro de juventude, a reputação do Senhor Dillon ficou arruinada, deixando-o vulnerável perante as jovens aristocratas que procuram um pouco de diversão. Para recuperar a honra, necessita de uma ligação acima de qualquer suspeita.

Acreditando que deixou para trás a nobreza que o desprezou, escolhe Jillian, uma jovem protegida de Lucivar Yaslana, o imprevisível Príncipe dos Senhores da Guerra de Ebon Rih.

Por outro lado, o casamento de Surreal SaDiablo e Daemon Sadi está a desmoronar-se. Este reconhece que algo não está bem, mas não percebe que ao reprimir a própria natureza para poupar a mulher está lentamente a destruir-se. Pior: a pessoa que o poderia ajudar desapareceu de todos os reinos - a Feiticeira, a única Rainha suficientemente poderosa para o controlar.

Enquanto Jillian vive as emoções do primeiro amor com Dillon, Surreal e Daemon lutam para salvar um casamento de pesadelo, enquanto Lucivar procura uma forma de manter a família a salvo…

A Sair do Forno: Noiva à Experiência de Helen Hoang

 


Sai dia 12 de Agosto 


O amor não precisa de palavras… Khai Diep não tem sentimentos. Ou melhor, não consegue experienciar aqueles que são verdadeiramente importantes, como a dor ou o amor. Está convencido de que, de alguma forma, tem algo de errado. Contudo, a sua família sabe o que se passa - o autismo do jovem leva-o a processar as emoções de maneira diferente. Como Khai rejeita sistematicamente os relacionamentos, a sua mãe decide resolver o problema e voltar ao Vietname para lhe encontrar a esposa perfeita.

Esme Tran sente-se deslocada em Ho Chi Minh. A sua vida nem sempre foi fácil, pelo que, quando surge uma proposta de viajar para os Estados Unidos para conhecer um potencial marido, ela aproveita a oportunidade. No entanto, seduzir Khai tem os seus desafios, e as lições de amor de Esme parecem funcionar apenas com ela. A jovem está perdidamente apaixonada por um homem que acredita que nunca será capaz de retribuir o afeto de uma mulher.

Será Khai capaz de superar os limites do seu coração e compreender que existe mais do que uma forma de amar?

A Sair do Forno: "A Coruja Caça Sempre à Noite" de Samuel Bjork


Sai a 27 de Julho de 2021.

Quando uma adolescente problemática desaparece de um orfanato e é encontrada assassinada e o seu corpo deitado numa cama de penas, o experiente Holger Munch e a sua equipa são chamados para resolver o caso.

A investigadora estrela Mia Krüger, que está de licença temporária, enquanto continua a lutar com seus próprios demónios, volta abruptamente para a ribalta e mergulha neste caso, a tempo de descodificar as pistas sobre um vídeo perturbador que retrata a vítima minutos antes ser morta e onde surge aprisionada como um animal enjaulado.

Enquanto isso, a filha de Munch, Miriam, conhece um atraente estranho numa festa - um apaixonado activista defensor dos direitos dos animais - que começa a seduzi-la para o seu mundo e para longe da sua família.
Neste sofisticado e intrincadamente delineado thriller psicológico em que Munch, Krüger e toda a equipa devem caçar o assassino, impedindo um novo ataque, Samuel Bjørk volta a prender-nos com a sua escrita.

A Sair do Forno: "Segredos ao Entardecer" de Elizabeth Edmondson

 

Sai a 27 de Julho de 2021.

Das lareiras aconchegantes das mansões inglesas aos lânguidos fins de tarde italianos, este volume reúne dois romances emblemáticos de Elizabeth Edmondson. São duas viagens à descoberta de paisagens e personagens prodigiosas, pela mão de uma escritora inesquecível.
A Casa do Lago
O ano de 1936 está a chegar ao fim. Nostálgica, a jovem Alix Richardson regressa à mansão da família, de onde havia fugido três anos antes numa tentativa desesperada para se libertar da tirania da avó. Alix não é a única. Um a um, todos os membros da família e alguns amigos estão de volta. A paz é frágil. No ar pairam velhos rancores, segredos, paixões… e demasiadas perguntas sobre o misterioso acidente que vitimou a mãe e a irmã de Alix. A jovem está finalmente preparada para descobrir a verdade, nem que para tal tenha de desenterrar os fantasmas do passado e mudar a vida de todos.
Uma Villa em Itália
Delia é uma cantora de ópera sem voz que não consegue esquecer o grande amor da sua vida. George é um cientista nuclear consumido pela culpa. Marjorie tenta desesperadamente vingar como escritora. Lucius debate-se com demónios que ameaçam a fachada perfeita que criou.
Estas quatro pessoas - que parecem não ter nada em comum - vêem os seus nomes mencionados no testamento de uma mulher desconhecida. Quem foi Beatrice Malaspina e porque exige que se juntem na sua villa em Itália?
Enquanto esperam pelas respostas, a magia do lugar começa a exercer os seus efeitos sobre eles. Aos poucos, o grupo descobre que a mudança - e até mesmo a esperança - é possível. Mas a misteriosa Beatrice tem um segredo que os afectará a todos…

Opiniao da Ne: "Six of Crows" de Leigh Bardugo


Depois da trilogia The Shadow and Bone, que para mim foi um grande NÃO e uma grande desilusão (menos tu Mal, continuo a adorar-te) peguei nesta duologia, também em leitura conjunta com as meninas do Clube de Leitura Mais Que Ler, mas com expectativas algo elevadas apesar de tudo. Quando comecei a ler, um pouco com medo, percebi que este seria muito diferente dos outros três que li da autora. E por aí continuou, sempre a agarrar-me com as personagens, a muita acção, às promessas de algum romance, às promessas de muita aventura deste grupo. E o que gostei mais é o facto de ser um conjunto de personagens principais, cada uma com a sua história, cada uma fazendo parte de uma teia de relações inter-pessoais intensas e/ou divertidas.
"Sem Luto."
"Sem funerais."
Estou a adorar o Kaz, a Inej e o Jesper. Adoro o facto de serem uma equipa e de terem uma dinâmica de ladrões. Faz-me lembrar e ter muitas saudades da dupla Celaena e Sam d'A Lâmina da Assassina de Sarah J. Maas.
Adoro também a Nina e começo a gostar de Matthias. O Kaz apesar de o adorar também me irrita solenemente com todo o secretismo e muitas cartas escondidas na manga, muito fiel ao seu personagem.
Aquele Jesper mata-me com o seu bom humor, a Inej super corajosa e talentosa, a Nina com um coração muito doce, também guerreira, o Kaz com a sua maldade justificável e o seu secretismo, Matthias com as suas ideologias e a sua fé e por fim o Wylan que foi um elemento que nunca pensei que se mantivesse e que ainda estou com dúvidas sobre o papel dele. Tive sempre à espera que ele os traísse, mas ele surpreendeu-me pela positiva e acho que ainda me vai surpreender mais.
"Nina é tudo o que você disse. É coisa demais."
"Hum", Inej murmurou, dando um gole da sua caneca. "Talvez você simplesmente não seja suficiente."
Aqui a autora apresenta-nos personagens mais interessantes, tanto principais como secundárias, cenários super variados e bem descritos, acções cheias de movimento e emoção, mas que conseguimos vê-las como um bom filme de acção, mesmo as escuras.
A parte do romance para mim soube a pouco, mas esse pouco, quando sabes que vai ser escasso, acaba por ser suficiente para criar alguma empolgação. Leigh Bardugo é poupada neste ingrediente e por isso qualquer colherzinha nos sabe como uma boa cena de sexo num romance erótico.
"Todo o mundo é o monstro de alguém, Nina."
Curiosamente, a parte que me meteu menos empolgação foi mesmo a parte com mais acção. Não consegui acompanhar bem a descrição e visualizar bem o cenário, por isso acabei por desmoralizar um pouco, já que é uma descrição muito complexa, com nomes estranhos e muito movimento e cenários sempre a mudar. Não me preocupo muito porque sei que vou reler e esta primeira leitura, com tanta empolgação, serve apenas para viver. A segunda leitura vai ser para saborear bem mais devagar e ler os pormenores.
Kaz se inclinou para trás. "Qual é a maniera mais fácil de roubar a carteira de um homem?"
"Faca na garganta?", perguntou Inej.
"Arma nas costas?", disse Jesper.
"Veneno no copo?", sugeriu Nina.
"Vocês são todos Horríveis", disse Matthias.
Mas de resto, acabei esta leitura com aquele sentimento de satisfação, de uma meta cumprida e saboreada. Recomendo e estou ansiosa por seguir para o Crooked Kingdom e por aí adiante. Principalmente para saber mais deste grupo super corajoso e cheio de artimanhas que conseguem sobreviver a qualquer coisa. Six of Crows não termina, apenas faz uma pausa para podermos mudar de livro e continuar esta enorme e empolgante aventura.
Podem contar também com diferentes POV's e protagonismo muito dividido. Boas e rápidas descrições, excepto na cena que já falei. Os capítulos continuam a ser longos, mas aqui não se nota tanto.
Ketterdam, capital de Kerch, um lugar agitado onde tudo pode ser conseguido pelo preço certo. Nas ruas e nos becos que fervilham de traições, mercadorias ilegais e assuntos escusos entre gangues, ninguém é melhor negociador que Kaz Brekker, a trapaça em pessoa e o dono do Clube do Corvo. Por isso, Kaz é contratado para liderar um assalto improvável e evitar que uma terrível droga caia em mãos erradas, o que poderia instaurar um caos devastador. Apenas dois desfechos são possíveis para esse roubo: uma morte dolorosa ou uma fortuna muito maior que todos os seus sonhos de riqueza. Apostando a própria vida, o dono do Clube do Corvo monta a sua equipe de elite para a missão: a espiã conhecida como Espectro; um fugitivo perito em explosivos e com um misterioso passado de privilégios; um atirador viciado em jogos de azar; uma grisha sangradora que está muito longe de casa; e um prisioneiro que quer se vingar do amor de sua vida. O destino do mundo está nas mãos de seis foras da lei – isso se eles sobreviverem uns aos outros.

Opinião da Ne: "A Rainha do Nada (O Povo do Ar #3)" de Holly Black


Depois de uma paragem maior do que eu esperava, finalmente comecei a leitura conjunta deste terceiro volume. Toda a trilogia foi-me "vendida" com a promessa de um terceiro melhor que os anteriores, ou como "O Melhor". A primeira meta, até ao quinto capítulo (inclusive) foi lido de modo sôfrego - e que saudades eu tinha desta Jude! Digo apenas da Jude porque ela toma conta de todos os capítulos, apesar do primeiro ser sobre a infância de Cardan. 
Nas seguintes metas e capítulos, Jude é sem dúvida a personagem preferida desta escritora, porque por mais que o leitor goste de outras personagens, ela apenas dá protagonismo a Jude e apenas vemos a historia pelos olhos dela. Queremos mais de Cardan: não temos. Queremos mais de Vivi: não temos. Queremos mais de Taryn: não queremos. Esta é talvez a personagem com quem menos me identifico e por isso que mais odeio, apesar das suas tentativas de se redimir. Vou colocá-la ali junto da Nestha ahahah.
O que mais gostei neste livro e até nesta trilogia, são as reviravoltas da vida de Jude, de como ela encontra tantos obstáculos e mesmo assim consegue sempre ultrapassá-los com mais ou menos dificuldade. Também gostei de Madoc e do papel que ele representa, como alguém ao nível de Jude, de quem ela de facto tem medo; mas por outro lado também é quem gosta dela de certa forma.
Continuei a adorar este mundo, estes personagens, uns mais que outros.
Acredito que não seja uma leitura para qualquer um. Mesmo agora que terminei posso dizer que o meu preferido dos três foi o segundo, O Rei Perverso, mas este é de facto rico em acontecimentos marcantes. Apesar de ter dado cinco estrelas, eu classificaria como 4,5 apenas por uma cena que acontece mas que está lá mesmo à frente dos nossos olhos. Achei algo demasiado fantasioso e desproporcionado, mesmo para uma trilogia como esta. Para quem adorou o inicio que muitos se queixam de ser descritivo e com demasiada fantasia, eu achei isso de alguns capítulos destes. De qualquer forma o epílogo é longo e compensa. Adorei o ponto final desta trilogia que um dia vou reler. Num futuro próximo. Mesmo ao fim de três livro eu quero mais de Cardan e de Jude. A autora tem outros livros deste mundo mas nenhum deles me traz estas personagens de volta. Quero mais Holly Black! Por favor! Há tantas cenas nesta trilogia, principalmente neste último que a autora podia ter desenvolvido e escrito mais uns quantos capítulos!! Estou a pensar seriamente em lhe escrever uma lista de cenas que quero ler mais. Se alguém me apoia que escreva aqui nos comentários.
Para mim foram três livros bem viciantes que se lêem numa semana e se fica de ressaca literária. Um mundo fantástico, com regras fantásticas e personagens ainda mais interessantes. Livros cheios de acção, cheios de reviravoltas, surpresas, mas adoro-o principalmente por esta protagonista super forte e corajosa apesar de toda a sua fragilidade. Adoro também o amor deles, a amizade entre irmãs, o amor familiar e as lealdades e traições que enchem esta páginas de algo pálpavel e excitante. Quem me dera poder entrar dentro deste mundo!
Ele será a destruição da coroa e a ruína do trono. O poder é mais fácil de adquirir do que de manter. Jude aprendeu a lição mais difícil de sua vida quando abdicou do controle do Rei Cardan em troca de um poder imensurável.Agora, ela carrega o outrora impensável título de Grande Rainha de Elfhame, mas as condições são longe de ser ideais. Exilada por Cardan no mundo mortal, Jude se encontra impotente e frustrada enquanto planeja reivindicar tudo que Cardan tomou dela. A oportunidade surge com sua irmã gêmea, cuja vida está em perigo. Para salvá-la de uma situação tenebrosa envolvendo Locke, Jude decide voltar ao Reino das Fadas se passando por Taryn. Antes disso, porém, ela precisa confrontar os próprios sentimentos contraditórios pelo rei que a traiu.No entanto, ao voltar a Elfhame, Jude constata que tudo mudou. A guerra está prestes a eclodir, e ela caminha próximo a seus inimigos. Será que ela vai ser capaz de resgatar a Coroa e o amor incondicional de Cardan, ao mesmo tempo que destrói os planos de seus inimigos? Ou será que tudo está perdido para sempre?

Opinião da Ne: "The Price Guide of the Occult" de Leslye Walton

Sabem aquelas pechinchas que toda a gente compra por ser barato e nós vamos atrás? Pois este livro foi mesmo assim. No Clube de Leitura Mais Que Ler temos uma sala para as promoções e alguém encontrou este livro de capa dura e sprayed edges a 4€ e ninguém conseguiu resistir.

Entretanto lá foi organizada a leitura conjunta e aqui a Ne lá pegou num livro em inglês (mas só porque não encontrou traduzido claro). A leitura foi mais lenta por causa disso e como é de fantasia muito do vocabulário é desconhecido. Apesar disso consegui tirar o sentido à maior parte e lá fui lendo com as minhas parceiras de leitura.

Apesar do preço as expectativas eram muitas, também sempre com o pensamento que se não gostarmos ao menos foi barato e ficamos com esta capa linda na nossa estante. Portanto sem pressão.

Sobre a história o que posso dizer é que achei a personagem principal, Nor, muito sem sal. Para mim um bom livro tem que ter uma personagem feminina forte e confiante, e aqui temos alguma coragem, mas Nor tem uma baixa auto-estima. Faz-se muito de coitadinha por causa da sua mãe e acaba por ser protegida por todos. Mas de repente tudo muda e a história passa de algo prometedor para algo forçado e demasiado bom.

Acabei por gostar (não adorar) da parte de Fern, uma autêntica Cruella. A magia negra, as tatuagens, pelo menos animaram um pouco a história, a meu ver.

A questão do romance também prometia algo interessante devido à herança das Blackburns, mas depois desiludiu e não foi pouco. A autora prometeu-nos algo minimamente bom, depois engana-nos e depois desilude-nos a grande. O fim também foi resolvido de forma muito rápida para tanto suspense. 

When Rona Blackburn landed on Anathema Island more than a century ago, her otherworldly skills might have benefited friendlier neighbors. Guilt and fear instead led the island’s original eight settlers to burn “the witch” out of her home. So Rona cursed them. Fast-forward one hundred–some years: All Nor Blackburn wants is to live an unremarkable teenage life. She has reason to hope: First, her supernatural powers, if they can be called that, are unexceptional. Second, her love life is nonexistent, which means she might escape the other perverse side effect of the matriarch’s backfiring curse, too. But then a mysterious book comes out, promising to cast any spell for the right price. Nor senses a storm coming and is pretty sure she’ll be smack in the eye of it. In her second novel, Leslye Walton spins a dark, mesmerizing tale of a girl stumbling along the path toward self-acceptance and first love, even as the Price Guide’s malevolent author — Nor’s own mother — looms and threatens to strangle any hope for happiness.

2 estrelas

Doces do Momento/Leitura Conjunta 4: "Amor e Gelato" de Jenna Evans Welch


Sim, ainda há mais! Esta já é a minha terceira leitura conjunta mensal do Clube Mais Que Ler. Desta vez é um romance de verão fofo e leve. Espero gostar tanto como o resto do pessoal. Até agora já li duas metas e estou a gostar, mas nada de especial.
Lina foi passar o verão na Toscânia para cumprir o desejo da mãe - conhecer o seu pai, que desapareceu à 16 anos. Mas a descoberta do diário da vida da sua mãe em Itália vai mudar tudo. Vai conhecer um mundo mágico de amores proibidos e um segredo que vai transformar tudo o que ela julgava saber sobre a sua mãe, o seu pai, e até ela própria.

Doces do Momento/Leitura Conjunta 3: "O Silêncio das Águas" de Brittainy C. Cherry


Esta é uma re-leitura. Uma que já devia ter feito há muito tempo, mas que só agora com outro grupo de leituras conjuntas é que lhe peguei. O grupo chama-se Wine Not Book Club e o estado de espírito é fiel ao nome eheh. Também é uma leitura mensal e discutimos semanalmente, mas já muitas o terminaram porque este livro não dá para parar. Eu é que já estou "domesticada" de outras leituras e consegui segurar-me. Mesmo relendo, este livro é qualquer coisa. Um dos livros da minha vida!
Estou eternamente grata à Editorial Presença por ter publicado um dos livros desta escritora incrível e espero mesmo que muita gente o leia e goste para puderem publicarem ainda mais.
Momentos. A vida é uma sucessão de momentos. Alguns, profundamente dolorosos e cheios de mágoas do passado. Outros, cheios de esperança e promessas para o futuro. Tive muitos momentos na minha vida, momentos que me modificaram, que me desafiaram. Momentos que me assustaram e atormentaram. No entanto, os mais importantes - os momentos mais comoventes e arrebatadores - sempre o incluíram a ele. Eu tinha dez anos quando perdi a voz. Uma parte de mim foi-me roubada, e a única pessoa que conseguia ouvir verdadeiramente o meu silêncio era o Brooks Griffin. Ele era a luz dos meus dias escuros, a promessa do amanhã, até que a tragédia o encontrou. A tragédia que acabou por afogá-lo num mar de memórias. Esta é a história de um rapaz e de uma rapariga que se amavam um ao outro, mas não se amavam a si mesmos. Uma história de vida e de morte. De amor e de promessas quebradas.

Doces do Momento/Leitura Conjunta 2: "Casa de Terra e Sangue (Cidade da Lua Crescente #1)" de Sarah J. Maas


Como fã viciada nas personagens e mundos desta autora não consegui resistir muito mais a pegar no livro que me faltava ler dela. Apesar de o ter comprado em livro, tenho estado a lê-lo em e-book até porque também o paguei e pesa menos. Além disso o tipo de letra e a impressão não está muito boa e troco os olhos todos a ler no papel.
Estou a ler em conjunto com uma amante de thrillers mas que se começa a render à fantasia. Mas sei porque ela está a gostar tanto como eu, porque este romance de Sarah J. Maas tem muito de suspense e mistério. A minha parceira de leitura é a Bruna do @finish.this.book.
Bryce Quinlan tinha a vida perfeita - trabalhava duro o todo e festejava noite adentro -, até que um demónio assassina alguns de seus melhores amigos, deixando-a destruída e mudando sua vida para sempre. Sem entender como sobreviveu ao ataque da besta, a semifeérica tenta superar a perda, com o consolo de que o culpado por conjurar o demónio está atrás das grades. Mas quando os crimes recomeçam, dois anos depois e com as mesmas características, Bryce se vê no meio de uma investigação que pode ajudá-la a vingar a morte dos amigos. Hunt Athalar é um notório anjo caído, agora escravizado pelos arcanjos que um tentou derrubar. Suas habilidades brutais e força incrível foram definidas para alcançar um único objectivo: assassinar – sem perguntas – os inimigos do seu chefe. Mas com um demónio causando estragos na cidade, ele ofereceu um acordo irresistível: ajudar Bryce a encontrar o assassino, e sua liberdade estará ao seu alcance.
Enquanto Bryce e Hunt se aprofundam nas entranhas da Cidade da Lua Crescente, eles descobrem um poder sombrio que ameaça tudo e todos que amam, e encontram um no outro uma paixão ardente – que teria o poder de libertar os dois, se eles apenas a aceitassem.

Doces do Momento/Leitura Conjunta 1: "Jogos Perigosos" de Simona Ahrnstedt


Este livro, que já estava na minha biblioteca lá de casa desde Fevereiro de 2018, finalmente foi começado, graças à leitura conjunta do Clube Erótico de que faço parte. É a minha primeira leitura conjunta com elas e é uma leitura mensal e discutida semanalmente.
David Hammar é um pirata dos tempos modernos. O multimilionário é arrogante e implacável no seu trabalho, arrasando empresas e pessoas por onde passa. E está agora de olho na Investum, uma das empresas mais antigas da Suécia, fundada pelo aristocrático clã De la Grip. Esta aquisição hostil será a maior e mais arriscada jogada da sua carreira... mas para que tudo corra bem, David precisa de ter um dos membros da família do seu lado. E a jovem Natalia De la Grip parece ser a escolha ideal.A elegante e inteligente Natalia fica intrigada ao receber um convite de David para almoçar. Conhece bem a reputação do tubarão financeiro, e pergunta a si própria o que terá na manga... Mas Natalia e David têm mais em comum do que imaginam, e a atracção entre ambos é instantânea, dando lugar a um caso tórrido mas perigoso, que irá expor segredos de família e verdades chocantes. Poderá o amor florescer em circunstâncias tão hostis?Um romance sofisticado, sensual e dramático. Uma história de amor, vingança, lealdade e preconceito que o vai deixar sem fôlego...

A Entrar no Forno: "The Damage" de Caitlin Wahrer


Os dramas familiares continuam na moda e portanto vem aí mais um, acabadinho se lançar lá fora. Portanto deve demorar um pouco a sair por cá, mas vamos esperar para que a TopSeller não demore muito 😊🤞 

Os Hall são uma família um pouco disfuncional, que enfrenta os seus próprios dilemas até que se vê envolvida em mais uma tragédia. 

Desta vez envolve Nick, o irmão mais novo de Tony, que chega a casa depois de sofrer abuso sexual. O instinto protector de Tony leva-o a tentar convencer o irmão a  denunciar o agressor. 


 O tema, forte, é tratado com discrição – ninguém está confortável em falar sobre o assunto -, e a história vai ganhando tons sombrios quando o acusado é preso, indiciado, está disposto a se vingar das acusações feitas por Nick. A sua família, agora presa àquele evento, está disposta a ir às últimas consequências para que o rapaz não fique impune, seja pela lei, seja por suas próprias mãos. 


O livro de estreia desta autora mergulha na violência sexual masculina, os traumas e tabus que isso traz, a dificuldade em se falar sobre o assunto e se fazer justiça. 

A Sair do Forno: Deixa-te Levar de Sarah Dessen

 


11 anos depois... Sai um novo livro da autora em Portugal! 
Sai dia 4 de Agosto 😻

Auden sempre se sentiu uma estranha. Quando os pais se divorciaram, afastou-se do mundo, dedicou-se inteiramente à escola e deixou de fazer o que quer que fosse. Mas agora, com a mudança para casa do pai, um mundo totalmente novo abre-se para Auden e, sem mais nem menos, tudo muda.


À medida que começa a encontrar-se a si mesma - além de conhecer um misterioso rapaz de olhos escuros e inquietantes - conseguirá Auden deixar o passado para trás e, finalmente, ter a sensação de verdadeira pertença?

A Sair do Forno: Corpos Ocultos de Caroline Kepnes

 


Continuação de "Tu". 
Sai dia 4 de Agosto 

Corpos ocultos: eis uma coisa que não é estranha para Joe. nos últimos dez anos, ele, que tem pouco mais de trinta, enterrou quatro corpos, danos colaterais da sua busca pelo amor. Mas agora, enquanto se dirige a Los Angeles, a cidade das segundas oportunidades, está determinado em deixar o passado para atrás.


Em Hollywood, Joe passa completamente despercebido: encaixa de forma perfeita naquele ambiente. Come guacamole, trabalha numa livraria e alimenta um flirt com uma vizinha jornalista. No entanto, se os outros estão focados em si próprios, Joe não consegue parar de olhar por cima do ombro. O problema dos corpos ocultos é que nem sempre permanecem… ocultos. Emergem, como pensamentos terríveis, multiplicam-se, ameaçam destruir o que Joe mais quer: o verdadeiro amor. E quando ele o descobre, numa escura sala da Soho House, está mais desesperado do que nunca por manter o segredo bem enterrado. Joe não quer magoar a sua nova namorada - quer ficar com ela para sempre. Mas se ela descobrir o que ele fez…

Origens: "Aquilo que nos une" de Nicky Pellegrino

 


Uma foto banal para uma capa bonita! 




Opinião da Mafi: "Sem fôlego" de Jennifer Niven

 



Depois do sucesso de "Fala-me de um dia perfeito" e "O Universo nos teus olhos", estava curiosa com este novo livro de Jennifer Niven e portanto fui para a leitura com algumas expectativas. 

Acabei por apenas gostar e é um livro que já li há algum tempo mas que já me tinha esquecido de quase tudo. Não acho que o livro vá ter o mesmo impacto do que o seu primeiro livro YA e não sei se foi devido à pandemia mas mesmo lá fora não vi muitos comentários sobre ele. 

Vou começar pelo fim, não falo do final do livro em si mas dos agradecimentos. Ao ler estes, percebemos que este livro é muito importante para a autora pois é baseado na sua adolescência, quando os seus pais separaram-se e ela mudou-se com a mãe. Na minha opinião o livro tem um bom ponto de partida e uma boa premissa e ainda bem que a autora conseguiu desenvolver uma história a partir de algo real e seu mas achei que para o meio o livro começou a ficar um pouco chato e sem nada de relevante a acontecer. Gostei do romance e gostei do final, é um final real em que mostra que nem sempre as coisas correm como queremos. No geral gostei deste YA, achei-o real, sem dramas estúpidos de adolescentes e com foco em temas pertinentes mas não me prendeu totalmente, por isso dou três estrelas. O próximo livro da autora é em parceria com o autor David Levithan o que me deixa curiosa para continuar a ler os seus livros. 




Claudine Henry é uma jovem determinada a escrever a sua própria história. Prestes a acabar o liceu, concentra-se em quatro coisas principais: sexo, começar a faculdade, tornar-se uma escritora famosa e ... sexo.


Quando os pais anunciam que se vão separar, o seu mundo começa a desmoronar-se. A épica viagem que tinha planeado com a melhor amiga foi cancelada, e, de repente, Claude viu-se presa numa ilha remota na costa da Geórgia com a sua mãe - uma ilha sem WiFi, sem rede de telemóvel e sem amigos.


Até que conhece Jeremiah, um rapaz misterioso, atraente e de espírito livre. A química entre os dois é absolutamente irresistível. Quando Claude decide que ele deveria ser o primeiro, diz a si mesma que é apenas sexo. Ambos sabem que o que têm não pode durar para sempre, mas talvez possa ser o suficiente.


Uma abordagem franca, de leitura compulsiva, sobre sexo e amor, dramas familiares e desgostos, e sobretudo sobre o caminho de autodescoberta na transição para a vida adulta

A Entrar no Forno: ''Pretending'' de Holly Bourne

 


Quem gosta desta autora? 
Por aqui gostamos bastante e portanto também ficamos felizes que a TopSeller vai continuar a publicar esta autora. 

No meio de tantos que ela já lançou, o escolhido foi este "Pretending" 
 Vamos descobrir lendo a sinopse? 

 April é gentil, bonita e relativamente normal, mas não consegue ultrapassar o quinto encontro. Sempre que ela pensa que encontrou alguém em quem confiar, eles revelam-se horríveis, deixando-a destroçada. E zangada.

Se ao menos a April fosse mais parecida com  Gretel.

Gretel é exactamente o que os homens querem.ela é uma miúda de sonho sem problemas.

O problema é que a Gretel não é real. E a April agora diz ser ela.

Assim que April começa a' ser ' Gretel, namorar  torna-se muito mais divertido-especialmente quando ela começa a conhecer melhor Joshua. 

Finalmente,  April é que está no controlo, mas ela consegue controlar os seus próprios sentimentos? E à medida que ela e  Joshua se aproximam, quanto tempo ela vai ser capaz de continuar a fingir?

A Sair do Forno: "Incompleta" de Catherine Bybee


                         Sai dia 5 de Agosto! 

O casamento por contrato de Trina Petrov era para ser temporário. Mas quando a tragédia a atinge, Trina torna-se uma das mulheres mais ricas do mundo. Para recuperar do choque, decide passar algum tempo em Itália, jurando a si própria não se apaixonar por nenhum homem enquanto lá estiver. Mas isso não significa que não se possa apaixonar por ninguém na viagem de regresso a casa…

Wade Thomas, estrela da música pop, está no bar de um hotel e é tratado com frieza pela mulher sentada ao seu lado. Habituado a fãs a cair aos seus pés, Trina é uma mudança refrescante, assim como o facto de ela não fazer ideia de quem ele é.

Quando as coisas começam a acontecer, Trina descobre que as circunstâncias da morte do marido não são o que parecem. Agora ela está metida em sarilhos e Wade não a quer perder de vista. Aproximarem-se do amor e do perigo pode acabar com a vida deles… ou levá-los até às nuvens.

 

A Sair do Forno: "A Rapariga da Rosa" de Leslie Wolfe

 


A descobrir o assassino dia 5 de Agosto 
Três histórias. Duas vidas. Um assassino.

A agente Tess Winnett está de volta com três casos reunidos num único livro. Raparigas desaparecidas, evidências perturbadoras e crimes terríveis. Tess Winnett corre contra o tempo. Um corpo congelado, vidas suspensas nas mãos de assassinos em série, destinos cruzados e mensagens misteriosas em corpos ensanguentados. Quantas mais vítimas terão de morrer? Quanto tempo mais irão os assassinos continuar a escapar?

A Rapariga da Rosa
Um corpo congelado, incapaz de se mover. Os olhos vazios, fixos no sangue que emana do seu próprio corpo, enchendo uma taça de porcelana cuidadosamente trabalhada a ouro. Os lábios entreabertos de quem soltou um grito que não chegou a ninguém. E ele apenas sorri, enxugando-lhe as lágrimas com os dedos frios.

Marcada para a Morte
Um número, uma letra. Duas personagens, nove cortes, os seus destinos cruzados e nitidamente esculpidos na pele ensanguentada de Danielle. Tess já tinha visto isto antes. Nos corpos de outras vítimas… ela conhece aquela assinatura... O Assassino das Palavras está de volta, no entanto, a sua identidade permanece um mistério. Um assassino impulsivo, desorganizado e rápido como um relâmpago. E porque terá deixado Danielle com vida?

Morte nas Alturas
O mar alto não teve tempo suficiente de destruir o corpo. A sua beleza permanece intacta, os lábios pálidos em memória de um último suspiro, o rosto escondido por mechas de cabelo escuro e ondulado. Cada centímetro da sua pele testemunha um terrível destino entregue nas mãos de um assassino que nunca esperou que ela fosse encontrada.

A Sair do Forno: "Noivas de Roma" de Debra May McLeod

 


5 de Agosto! 

Roma, 45 a. C. Seis sacerdotisas têm a tarefa de guardar a Chama Eterna: são as Virgens Vestais, veneradas como divindades desde os tempos de Rómulo e Remo. Mas o seu poder é acima de tudo político, num mundo de privilégios, conspirações e traições. Um poder que Pompónia, a Vestalis Maxima, exerce com habilidade e que a coloca no centro do conflito entre duas forças: Marco António e Cleópatra de um lado, e Otaviano e a sua intriguista esposa Lívia do outro.


Porém, Pompónia guarda secretamente uma afeição proibida: a de Quinto, sacerdote de Marte e soldado de César. Assim, quando uma acusação de adultério é levantada contra as Vestais, ela sabe o castigo que a espera: ser enterrada viva no Campo Celerado. Será que a sua astúcia, charme e destreza política serão suficientes para restaurar o respeito devido às mulheres mais importantes de Roma?


Em Noivas de Roma, Debra May Macleod recria habilmente o mundo da antiga Roma com a sua brutalidade, vivacidade e riqueza histórica. Um livro ambicioso, tão inteligente como comovente, que dá vida à ordem Vestal como nunca foi feito até hoje.