Publicações

A Sair do Forno/Doce Re-Aquecido: "Os Donovan" de Nora Roberts

Sai a 2 de Abril de 2019.

Versões de 2011 em livro de bolso.

Para quem não leu os pequenos, pode agora ler em grande.

A Sair do Forno/Doce Re-Aquecido: "Demasiados Segredos" de Nora Roberts

 Sai a 2 de Abril de 2019.

Saiu a 1 de Setembro de 2014.

David Brady queria fazer um documentário sobre fenómenos paranormais, por isso decidiu entrevistar Clarissa, uma mulher conhecida como vidente.
No dia da entrevista, conheceu a agente de Clarissa, A.J. Fields, uma mulher fria e profissional que conseguiu afetá-lo de uma forma muito estranha.
David propôs-se descobrir o que se escondia por trás daquela fachada, todavia A.J. não estava disposta a que ninguém se aproximasse dos seus segredos, e menos ainda do seu coração…

A Sair do Forno: ''A Tentação do Casamento'' de Mary Balogh



Sai dia 30 de Abril

Alexander Westcott carrega um grande fardo. Embora tenha herdado o título de conde de Riverdale, não é propriamente um homem de posses. O seu sentido de dever obriga-o, porém, a restaurar a propriedade que lhe coube em herança, pois dela dependem muitas famílias. Resta-lhe uma opção: casar com uma mulher abastada. Mas antes de ser capaz de pôr o seu plano em ação, Alexander recebe um insólito convite para tomar chá com a vizinha, Miss Wren Heyden. E a acompanhar o chá vem... uma proposta de casamento!
Wren é uma mulher rica, mas sabe que ninguém quererá casar com ela. Vive em reclusão, e são poucos os que alguma vez vislumbraram o seu rosto. Ela anseia agora por um marido, nem que tenha de o comprar!
Estará o tão improvável casal preparado para o que aí vem?

A Sair do Forno: ''Um ano em veneza'' de Nicky Pellegrino


Sai dia 30 de Abril!

Kat é uma aventureira de alma e coração. De tal modo que ganha a vida a viajar para os lugares mais recônditos, a experimentar as iguarias mais exóticas e a escrever sobre as suas experiências. E agora está prestes a embarcar na aventura mais louca de sempre: um relacionamento amoroso. Perdidamente apaixonada, ela está disposta a ultrapassar todas as barreiras. Massimo é italiano e Kat não tem meias medidas: vai viver com ele para Veneza, ajudá-lo a gerir a sua guesthouse, o Hotel Gondola, explorar a cidade e documentar as suas vivências. Tudo é uma novidade repleta de encanto... os aromas, os sabores, as cores vibrantes dos canais, as pessoas com quem se cruza, e até o homem que a fez querer assentar.Mas Kat já devia saber que o grande problema das aventuras é que nunca correm da forma que esperamos... Romântico e delicioso, o novo livro de Nicky Pellegrino transporta-nos para as ruas e os canais de La Serenissima, onde não faltarão – é claro! – os mais ricos e saborosos petiscos venezianos.

A Sair do Forno: "Perfeito" de Judith McNaught

Sai dia 9 de Abril

Julie foi abandonada à nascença nas ruas de Chicago. Um início de vida triste a que se seguiu uma magnífica reviravolta. A sorte - que escapa a tantas e tantas crianças - sorriu-lhe e Julie foi adotada por uma família carinhosa. Agora, já adulta, está determinada a retribuir toda a bondade que recebeu. Zack tornou-se famoso graças ao seu talento enquanto ator e realizador. Mas a fama que o glorificou também acelerou a sua queda... e da forma mais cruel. Injustamente acusado de assassinar a mulher, Zack é condenado a uma pena de 45 anos. Agora, acaba de escapar da prisão… e de raptar Julie, levando-a para uma cabana isolada nas inóspitas montanhas do Colorado. Apesar da revolta que sente, Julie não consegue ignorar a sua intuição, que lhe diz estar perante um homem inocente. Zack, por sua vez, não consegue voltar a confiar em ninguém... talvez nem no seu próprio coração. No momento em que as suas vidas se cruzam, Julie e Zack veem os planos que haviam traçado para si mesmos serem irremediavelmente alterados. Com passados tão sofridos, conseguirão eles desafiar – de novo – o destino e construir algo... perfeito?

Encontra as Diferenças: "Bruxinha de Frente" de Vários


Talvez uma das nossas maiores actualizações (post anterior apenas com 2 capas)!

Doce do Momento: "Vox" de Christina Dalcher



Preparada para uma distopia de nos enervar até à ponta dos cabelos.

Estados Unidos da América. Um país orgulhoso de ser a pátria da liberdade e que faz disso bandeira. É por isso que tantas mulheres, como a Dra. Jean McClellan, nunca acreditaram que essas liberdades lhes pudessem ser retiradas. Nem as palavras dos políticos nem os avisos dos críticos as preparavam para isso. Pensavam: «Não. Isso aqui não pode acontecer.»
Mas aconteceu. Os americanos foram às urnas e escolheram um demagogo. Um homem que, à frente do governo, decretou que as mulheres não podem dizer mais do que 100 palavras por dia. Até as crianças. Até a filha de Jean, Sonia. Cada palavra a mais é recompensada com um choque elétrico, cortesia de uma pulseira obrigatória.
E isto é apenas o início.

A Entrar no Forno: ''Death and Other Happy Endings'' de Melissa Cantor



Mais um romance com velhotes que vem por aí, pela mão da Porto Editora!

Jennifer Cole acaba de saber que tem três meses para viver. 90 dias para se despedir de amigos e familiares e colocar todos os seus assuntos em dia. 90 dias para chegar a um diagnóstico que é injusto, inesperado e completamente impronunciável. Concentrando-se nos pontos positivos,  Jennifer percebe que apenas tem um únco remorso para resolver: os relacionamentos que ela perdeu.
Diante de seu próprio relógio, escreve uma carta para as três pessoas que mais a magoaram  - a sua irmã egoísta e arrogante, o seu ex-marido e  o seu ex-namorado charmoso e pouco confiável - finalmente dizendo-lhes o que sempre quis dizer .
No começo, Jennifer sente-se limpa e liberta. O seu ex-namorado reentra na sua vida e cria uma nova ligação com a sua irmã Isabelle. Mas criar novas relações é difícil, quando não temos mais nada a perder e queremos apenas dizer a verdade...
Quem quer ler?

A Sair do Forno: ''O Silêncio das Águas'' de Brittainy C. Cherry

44570328

Se bem se lembram em Novembro fomos as primeiras a publicar a noticia que esta autora tão adorada pela Ne ia sair cá pela Presença! 
Demorou um bocadinho mas finalmente vai sair já dia 3 de Abril!

Momentos.
A vida é uma sucessão de momentos. Alguns, profundamente dolorosos e cheios de mágoas do passado. Outros, cheios de esperança e promessas para o futuro.
Tive muitos momentos na minha vida, momentos que me modificaram, que me desafiaram. Momentos que me assustaram e atormentaram. No entanto, os mais importantes - os momentos mais comoventes e arrebatadores - sempre o incluíram a ele.
Eu tinha dez anos quando perdi a voz. Uma parte de mim foi -me roubada, e a única pessoa que conseguia ouvir verdadeiramente o meu silêncio era o Brooks Griffin. Ele era a luz dos meus dias escuros, a promessa do amanhã, até que a tragédia o encontrou. A tragédia que acabou por afogá-lo num mar de memórias.
Esta é a história de um rapaz e de uma rapariga que se amavam um ao outro, mas não se amavam a si mesmos. Uma história de vida e de morte. De amor e de promessas quebradas.

A Sair do Forno: ''Traz-me de volta'' de B.A. Paris

44562511

Mais um livro desta autora a 3 de Abril!

Ela desapareceu. Ele seguiu a sua vida. Muitos segredos ficaram por revelar.
Finn e Layla são jovens, estão apaixonados e têm a vida toda para serem felizes. Ao regressarem de umas férias em França, já de noite, Finn para numa estação de serviço, deixando Layla sozinha dentro do carro . Minutos depois, ao dirigir-se de volta à viatura, descobre que a namorada desapareceu. E nunca mais a viu . Esta é a história que Finn conta à polícia. É a verdade - mas será toda a verdade?
Passaram-se doze anos. Finn construiu, entretanto, uma nova vida ao lado de Ellen, irmã de Layla. Um dia, alguém que ele conhece do passado telefona-lhe e diz-lhe que viu Layla. Mas será mesmo ela - ou alguém a querer passar-se por ela? Se for Layla, o que querererá? E o que terá ela a dizer sobre a noite em que desapareceu? Um tour de force de suspense psicológico, este novo romance da autora bestseller B. A. Paris, leva o leitor a questionar tudo e todos até ao climax admirável.

Opinião Suspense: "Má" de Chloé Esposito




Má (Mad, Bad and Dangerous to Know Trilogy #2)Depois de no ano passado ter lido e adorado o ''Louca'', eis que chega-nos a continuação: ''Má''. Ora que diferença um ano pode fazer? Muita. A Bertrand demorou um ano a lançar este segundo livro e se eu não sou a mesma pessoa de ontem, muito menos sou a mesma de há um ano atrás. Isto tudo para dizer que seu eu adorei o ''Louca'', não gostei nadinha do ''Má''. Nada mesmo. Tudo o que tinha gostado no primeiro livro, as peripécias da Alvie, a sua personalidade completamente tresloucada, todas as confusões em que se metia e a sua ironia e sarcasmo, foi o que mais me irritou neste livro. 95% do mesmo é centrado na Alvie que vai à procura de Nino, que fugiu com 2 milhões de euros. O livro é só este jogo do gato e do rato entre eles os dois. Ela pensa que vê, vai atrás dele, mas afinal não é ele e por sorte ou azar aparece sempre alguém que atrapalha a vida dela e por alguma razão acaba sempre com a Alvie a ter de matar essa pessoa.
A única parte que me fez rir foi quando ela vai fazer uma tatuagem no rabo o tatuador em vez de escrever ''Morre Nino'', escreve ''Morre Nemo''. De resto não achei piada a nadinha, e a única personagem que gostei foi o cão, que também se chama Nino e achei piada à mãe da Alvie e ao seu romance lá com o outro mafioso. De resto é todo um rol de acontecimentos que não tem nem pés nem cabeça, desde a plástica ao nariz, como o envolvimento com a Rain e até a freira.
De resto é um livro totalmente exagerado e sei que muita gente tinha achado já isso no primeiro livro mas este ultrapassa ainda mais os limites da imaginação do que pode acontecer.
Tenho muitas duvidas se irei ler o terceiro que eventualmente só deve sair para o ano. Sinceramente acho que não vou ter paciência nenhuma e nem sei que caminhos a autora pode seguir, por isso não, acho que fico-me por aqui com esta trilogia.


Alvie Knightly até pode acordar no Ritz, mas a sua vida não é um mar de rosas.
Para começar, tem a maior ressaca de sempre. E depois, a sua gémea mimada, Beth, foi encontrada morta na Sicília, e agora a polícia quer interrogá-la.
E ainda por cima, o namorado sexy de Alvie desapareceu com o dinheiro todo que roubaram a Beth.
Mas ele meteu-se com a miúda errada.
Alvie vai perseguir o seu ex em Roma num jogo de gato e rato em que só um pode sobreviver.
Não há fúria no inferno como a de uma mulher enganada… Mas será que Alvie conseguirá vingança antes de ser apanhada pelos seus crimes?

 

Encontra as Diferenças: "Fire and Ice" e "Betting it All"


Hoje apresentamo-vos as bocas. Quando andávamos à procura de capas semelhantes, tivemos que catalogá-las para nos auxiliar na memória e não ser tudo uma confusão. Esta foi a "bocas 1". A "bocas 2" virá brevemente.

Compilação: "Daisy Está na Cidade" e "Maluca por Você" de Rachel Gibson


Estes livros já foram lidos há uns meses, quando eu ainda andava em manifestações pela carreira da minha classe! Foi numa dessas viagens a Lisboa que peguei nestes ebooks que tinha no telemóvel e li tudo até trocar os olhos.
Curiosamente, vejo-me a gostar bastante de romances passados no Texas, em que os imagino a falar com aquele sotaque, já para não falar das calças justas nos homens e desejar poder usar umas botas de cowboy e ficar sexy como elas.
O primeiro volume, Daisy Está na Cidade, fez-me lembrar um filme que ainda hoje me recordo com nostalgia: Sweet Home Alabama; e sendo a protagonista loira, não consegui deixar de imaginar Daisy como Reese Witherspoon. Tal como no filme, a citadina volta para a terra natal onde encontra o amor de infância e talvez da sua vida, mas ao contrário do primeiro, aqui Daisy volta para pedir perdão solteira e pronta a carregar com todas as culpas e confessar os seus pecados e segredos.
No Goodreads encontrei muitas opiniões negativas, classificadas apenas com uma estrela, mas, talvez pelas ligações que fiz, terminei o romance num instante e bastante satisfeita porque apesar de ter muitos clichés, Rachel Gibson soube pegar em protagonistas muito imperfeitos (neste caso Daisy) e perfeitos (Jackson) e juntá-los lentamente. Transmitiu muito bem a tensão sexual entre eles que nunca desapareceu, o coração mole de Jackson que ele quis esconder, o coração mole de Daisy que ela despejou aos pés dele, e com muitos pormenores óbvios entreteve-me nesta espécie de novela.
A história não se resume apenas a estes dois, havendo bastantes personagens secundárias que nos fazem rir e completam tudo.
Os cenários são fáceis de imaginar e o final faz as nossas delícias.
Em relação ao segredo de Daisy, há ali umas confusões, em que parece que a autora nos quer baralhar de propósito, mas acaba por ser mais "enganar".

O segundo volume já não gostei tanto. Em seguimento do primeiro volume, temos aqui a oportunidade da irmã de Daisy encontrar o amor depois de muito sofrer.
Claro que a empatia com Lily é grande e já vem do primeiro livro, mas vi-me a torcer cada vez mais por aqueles dois. O engraçado, é que Lily tem um quê de loucura, mas saudável, o que não a torna menos atraente. Rapidamente a autora conta-nos o porquê dos seus actos "loucos" e rapidamente esse capítulo é apagado e passamos a ver a personagem como alguém normal.
Foi uma história mais rápida em que vemos avançar o romance muito mais rapidamente que no primeiro. Talvez pela sua linearidade não me satisfez tanto, mas não deixa de ser uma história romântica cor-de-rosa e docinha, com alguns momentos mais cómicos, mas que não teve muito mais.
Temos também, tal como no primeiro, algumas cenas mais sexuais, que apimentam um pouco o doce que referi.
De qualquer forma fiquei fã de Rachel Gibson e pelo que percebi ela tem romances ainda melhores que este que estou curiosa por conhecer.

Daisy Lee Monroe está de volta a Lovett, Texas, e depois de muitos anos descobriu que pouca coisa mudou. Sua irmã continua uma louca e sua mãe ainda tem flamingos de plástico rosa no quintal. E Jackson Lamott Parrish, o bad boy que ela havia deixado para trás, ainda é tão sexy quanto antes. Ela gostaria de poder evitar este homem em particular, mas ela não pode. Daisy tem algo a dizer para Jackson, e ela não vai a lugar nenhum até que ele escute.
Jackson aprendeu a lição sobre Daisy da maneira mais difícil, e agora a única palavra que ele está interessado em ouvir dos lábios vermelhos de Daisy é um adeus. Mas ela está surgindo em toda parte, e ele não acredita em coincidência. Parece que a única maneira de mantê-la quieta é com a boca, mas beijar Daisy já foi sua ruína no passado. Ele é forte o suficiente para resistir a ela agora? Forte o suficiente para vê-la sair da sua vida novamente? Ele é forte o suficiente para fazê-la ficar?
Um charmoso policial acaba de chegar à cidadezinha de Lovett, no Texas. Seu nome é Tucker Matthews. Tudo o que ele quer é um pouco de sossego e um lar pra chamar de seu. Seu e de Pinky, sua gatinha de estimação, deixada com ele por uma ex-namorada louca. Mas parece que Tucker tem sorte (ou azar) para mulheres doidas. Sua nova vizinha é ninguém menos que Lily Brooks, ou, a Maluca Lily Darlington, famosa na cidade pelos excessos do passado, como quando entrou com o carro dentro do escritório do ex-marido cretino. Fofocas à parte, Tucker não imaginou que no lugar da suposta barraqueira fosse conhecer uma baita mulher em seus trinta e oito anos, linda, inteligente, sexy e engraçada, que irá virar sua cabeça do avesso. Maluca por você é um romance apimentando e divertidíssimo! Você não vai conseguir parar de ler!

Doce do Momento: "Levaram Annie Thorne" de C. J. Tudor


Primeiro a Ne, depois a Mafi.

Naquela altura…
Uma noite, Annie desapareceu. Sumiu da sua cama. Houve buscas, apelos. Todos pensaram o pior. E depois, miraculosamente, após quarenta e oito horas, ela voltou. Pensou-se que não queria ou não conseguia dizer o que lhe acontecera.
Mas alguma coisa aconteceu à minha irmã. Não sei explicar o quê. Só sei que quando voltou, já não era a mesma. Não era a minha Annie. Não queria admitir de forma alguma que às vezes tinha um medo de morte da minha irmãzinha…
Agora…
O e-mail chegou à minha caixa de correio há dois meses.
Quase o apaguei de imediato, mas fiz clique para abrir:
SEI O QUE ACONTECEU À SUA IRMÃ. ESTÁ A ACONTECER DE NOVO.
Quando a minha irmã tinha oito anos, desapareceu… mas depois voltou. O pior dia da sua vida não foi quando a irmã foi levada… foi o dia em que ela voltou.

Chegou à Despensa: "Às Vezes os Milagres Acontecem" de Dr. Brian Weiss e Amy E. Weiss


Acabadinho de Chegar à Despensa!
Algo diferente para ler. Quem me conhece (Ne) sabe que não acredito em deus(es). A minha religião é a ciência e é nisso que acredito e gosto que respeitem. Mas porque não conhecer outras realidades? Escolhi este livro porque mo recomendaram e fiquei com curiosidade já que há entrevistas e dados.

Alguém já leu?

Opinião Contemporânea: "Hate Notes" de Vi Keeland e Penelope Ward


Este romance é a cara chapada (se me permitem a expressão) de Vi Keeland, com um toque de Penelope Ward. Como dizia há pouco tempo no nosso Instagram, há medida que vamos lendo livros das autoras conseguimos identificar os pequenos pormenores que são só delas. Neste caso, quando se juntam duas, e apesar de se complementarem muito bem como foi no Stuck-Up Suit, também começamos a perceber o contributo de cada uma, o que ainda é mais giro.
A parte de Vi Keeland é a parte do amor misturado com humor. Penelope Ward está mais para as cenas sexuais e para um pouco de drama.
Aqui temos isso tudo e que boa conjugação que foi. Não tão boa como o primeiro livro que li das duas, mas gostei bastante visto que tenho um fraquinho por estes "bate-bocas" entre os protagonistas, com muitas faíscas de tensão sexual, mas também de guerra de sexos! Adoro!
As "hate notes/notas de ódio" são pequenos posts-its, mas que a meu ver foram sobrevalorizados demasiados, até tendo direito a lugar no título!
Curiosamente gostei bastante da dinâmica familiar que encontramos da parte de Reed, principalmente com a sua avó. Gostei bastante da transformação que este personagem vai sofrendo ao longo do livro. Não sendo apenas transformação, mas também um levantar do véu, onde vemos o seu verdadeiro eu.
Adorei a primeira cena com o vestido, que como sempre é uma óptima introdução para o resto da história (aposto que foi a Vi que escreveu).
Charlotte por sua vez é a típica personagem feminina desastrada e azarada mas que tem um coração de ouro... e também um belo corpo. Digamos que é a Cinderela até com a parte do borralheira, visto que os empregos anteriores que teve não foram nada glamourosos, digamos assim. Também podemos encontrar a sua fada madrinha que faz um óptimo trabalho! Principalmente na parte de valorizar o cérebro desta jovem mulher e de "dar na cabeça" do jovem homem que protagoniza esta história.
Temos também uma pequena surpresa que resolverá um pouco o mistério de Reed, mas que acaba por ser um pormenor pouco original, tal como a atitude do respectivo.
Temos ainda as listas "Fuck-It" que curiosamente não achei assim tanta piada. Foi uma maneira sim de eles interagirem mais e que resultou mas não deslumbrou.
Mas, tudo junto, é-nos dado um romance completo de bons ingredientes e que nos fazem ler este livro de 300 páginas num ápice.
As capas continuam também a fazer as nossas delícias, tal como as cenas as dois, tanto as sexys como as doces. Adorei o final e o epílogo que derretem qualquer coração mais negro e gelado. 💝

Tudo começou com uma misteriosa nota azul costurada num vestido de noiva.
Algo azul.
Eu tinha ido vender o meu vestido de noiva por usar numa loja de roupas vintage. Costurado no forro de um design fabulosamente emplumado estava a mensagem mais linda que já li: "Obrigado por fazer todos os meus sonhos se tornarem realidade".
O nome em relevo no papel de carta azul: Reed Eastwood, obviamente, o homem mais romântico que já viveu. Também descobri que ele é o mais lindo. Se apenas as minhas fantasias de amor verdadeiro tivessem parado ali... Porque já descobri outra coisa sobre o Sr. Olhos-fixos.
É arrogante, cínico e exigente. Eu deveria saber. Graças a uma reviravolta do destino, ele é meu novo chefe. Mas isso não vai me impedir de descobrir a história por trás da sua última carta de amor. Uma carta de amor que não resultou num feliz para sempre.
Mas esta história não é nada comparada com aquela que se desenrola entre nós. Foi ficando mais quente, mais doce e mais surpreendente do que qualquer coisa que eu poderia imaginar.
Algo novo.
Mas não tenho ideia de como isso vai acabar ...

Chegou à Despensa: "Levaram Annie Thorne" de C.J. Tudor


O ADPOC também teve direito ao kit Annie Thorne 😍 não se enganem pela boneca. O melhor é mesmo o livros. Grandes expectativas!!

A Sair do Forno: ''Em queda livre'' de Jennifer Weiner



Sai dia 12 de Abril 
Uma vida aparentemente perfeita. Allison Weiss é a típica mãe trabalhadora que tenta conciliar um negócio, pais idosos, uma filha exigente e um casamento. Mas quando o website por ela desenvolvido se torna um enorme sucesso, fica completamente esmagada. Enquanto se esforça por manter a vida equilibrada e satisfazer as necessidades dos que a rodeiam, Allison descobre que os analgésicos receitados para uma lesão nas costas a ajudam a lidar com algo mais do que apenas o desconforto físico - fazem com que se sinta calma e capaz de ultrapassar os seus dias cada vez mais agitados.
À medida que as semanas passam os analgésicos vão desaparecendo a uma velocidade cada vez maior e naturalmente, a sua preocupação aumenta. Em pouco tempo vê-se num mundo que nunca imaginara possível: a reabilitação. No longo caminho que Allison se vê obrigada a percorrer, as lições de vida vão-se suceder.
Numa história rica e absorvente, sempre marcada por um toque de humor e caracterizações realistas e carinhosas, Jennifer Weiner acompanha-nos num percurso emocionante de recuperação e redenção.

A Sair do Forno. ''Nada menos que um milagre'' de Markus Zusak



Sai dia 3 de Abril 

Clay olhou para trás uma última vez antes de mergulhar - de emergir e voltar a mergulhar - rumo a uma ponte, a um passado, a um pai. E nadou nas águas douradas pela luz.
Os cinco irmãos Dunbar vivem - lutando, amando e chorando a morte da mãe - no caos perfeito de uma casa sem adultos. O pai, que os abandonara, acaba de regressar. E tem um pedido surpreendente: algum deles aceita ajudá-lo a construir uma ponte? Clay, um rapaz atormentado por um segredo que esconde há muito, aceita. Mas porque está ele tão devastado? O que o leva a aceitar tão extraordinário desafio?
Esta é a história de um rapaz apanhado numa espiral de sentimentos, um rapaz disposto a destruir tudo o que tem para se tornar na pessoa que precisa de ser. Diante dele, ergue-se a ponte, a visão que irá salvar a sua família - e salvá-lo a ele próprio. Será um milagre e nada menos que isso.
Simultaneamente um enigma existencial e uma busca pela redenção, esta história de cinco irmãos em plena juventude, numa casa sem regras, transborda energia, alegria e emoções. Escrita no estilo inimitável de Markus Zusak, é um tour de force de um autor que conta histórias com o coração.

A Entrar no Forno: ''The Real Michael Swann'' de Bryan Reardon

36364977

Vem por aí mais um thriller que promete! Por parte da Planeta!


Num típico dia de verão, Julia Swann está ao telefone com o seu marido, Michael, quando a ligação de repente desliga-se. De repente a notícia cai: Uma bomba explodiu em Penn Station, onde Michael apanha o comboio para casa. A cidade de Nova York está em estado de caos.
Julia vai para Nova Iorque à procura de Michael, As chamadas não tem resposta e ninguém sabe do seu marido. Quando alguém encontra um panfleto feito por Julia e diz--lhe que podem ter visto Michael, os sonhos dela parecem ser respondidos.
Alternando entre o rescaldo da explosão e a vida anterior de ambos como casal, Julia procura por respostas: Michael sobreviveu à explosão? Por que ele não entrou em contacto? O que estava a fazer quando a última ligação foi interrompida? Ele era ou ainda é o homem pelo qual ela se apaixonou?

Quem ficou curioso?

Opinião Contemporânea: "As Cartas que Escrevemos" de Brittainy C. Cherry


Este conto tem uma história até engraçada. Desde que li a série Elements, em que me apaixonei pelas personagens, as suas histórias e consequentemente pela escrita desta autora, que decidi que iria ler tudo o que pudesse dela, não fosse estar a perder outras grandes obras. Entretanto li o Sr. Daniels e quando encontrei As Cartas que Escrevemos fui logo a correr adquiri-lo. Um belo dia peguei nele toda contente e preparada psicologicamente para enfrentar uma crise de choro quando, após ler o primeiro capítulo, olho para baixo e vejo "64 páginas". Caiu-me tudo! Parei de ler, claro está, enquanto não estava com aquele entusiasmo que nos faz colar as mãos ao Kobo e tratei de ir procurar nova versão. Não encontrei e por isso desisti até há pouco tempo quando percebi que não era um livro mas sim um conto... Agora que conto a história já não estou a achar assim tão engraçado, mas que fique aqui registado para a próxima aprender.
Falando então deste conto. 
Na sinopse do Goodreads, que não sei quem colocou como se fosse uma outra edição do Art&Soul, diz: "De um jeito doce e por vezes cómico, Brittainy C. Cherry escreve uma história envolvente sobre amor e, acima de tudo, perdão.". Ora, não sei onde a pessoa que escreveu isto leu a parte cómica da coisa, já que esse é um ingrediente que não encontrei em lado nenhum, só se for na história em cima.
Esta é uma história sobre uma vila/aldeia e como as pessoas podem ser mesquinhas e estragar a vida dos outros e dormirem bem à noite. É uma história de como o amor é o sentimento mais altruísta e que se prova pelos actos e não pelas palavras. É também um sentimento que não vê doença, nem dinheiro. E claro, a autora conseguiu como sempre transmitir e muito bem este amor que há entre Jake e Ana e de como ele sobreviveu por tantos anos e com tanta distância.
As cartas só aparecem quase no fim (que por sinal é muito próximo do inicio) e, tanto estas como o que Henry faz, me fez ficar com o sobrolho franzido pois achei tudo muito óbvio e que serviu de desculpa para que o final acontecesse. Também achei que para tão poucas páginas (o conto propriamente dito só tem 45 páginas) houve algumas repetições desnecessárias, como a cena do carrossel, mas pelo menos não houve flashbacks o que foi um ponto positivo.
Infelizmente, esta pequena amostra soube-me a pouco e tendo alguns pontos negativos acabei por gostar mas também por não gostar e por isso é que dei a classificação que dei.

Quando Jake descobre que seu amor de infância, Ana Louise, vai se casar, ele decide deixar Los Angeles para voltar à pequena cidade no interior de Kansas onde nasceu e cresceu. Ana Louise está prestes a se casar com Henry, o ex-melhor amigo de Jake. Cada um seguiu com sua vida, mas ela era feliz com Henry... Não era? Entre um término conturbado e um reencontro inesperado, quem sabe o que pode acontecer às vésperas de um casamento?

Opinião Contemporânea: "Tempo de Partir" de Jodi Picoult






Com o lançamento de não um mas dois livros da Jodi em poucos meses, decidi pegar num dos livros mais antigos que tinha cá em casa da autora. Certo que ainda tenho um da Civilização que já deve estar aqui em casa há uns 6 anos mas foi em ''Tempo de partir'' que peguei e decidi começar a ler.
O livro ainda é grande com quase 500 páginas e como é típico da autora temos vários pontos de vista. Já sabia que falava de elefantes e até gostei da parte em que a autora fala deles. Não são o meu animal favorito mas até gosto de ler sobre os comportamentos de animais selvagens e portanto as passagens dos elefantes não me incomodaram, embora também não tenham sido as minhas favoritas.


Quanto às personagens humanas gostei de Jenna e Serenity mas sinceramente foi só. Nem Alice, que é uma das grandes protagonistas da história me encantou. Gostei da Jenna por ser jovem e por querer respostas sobre o paradeiro da mãe e gostei da Serenity porque não é comum ler sobre personagens que são médiuns. Virgil, Thomas, Gideon e restante companhia não me disseram nada.
Eu não fazia ideia que este livro era sobre espíritos e confesso que estes temas sobrenaturais não me apelam nem um pouco. Não me perguntem se acredito em fantasmas ou não, não tenho opinião sobre isso nem nunca me debati muito sobre estes assuntos mas não morro de amores por temas espirituais. Posto isto, fiquei admirada com a reviravolta que o livro levou no final. Não estava de todo à espera. 
Este também é dos primeiros livros que leio da Jodi que não envolve nenhum assunto tabu/polémico, nem envolve tribunais. Talvez por isso não tenha gostado tanto porque a Jodi é mesmo boa é a falar de temas controversos e muito dramáticos que nos fazem pensar. Este não me fez pensar em nada e por isso leva 3 estrelas. 


Durante mais de uma década, Jenna Metcalf não deixa de pensar na sua mãe, Alice, que desapareceu em misteriosas circunstâncias na sequência de um trágico acidente. A criança que era então não conservou lembranças dos acontecimentos, mas Jenna recusa-se a acreditar que a mãe a tivesse abandonado e relê constantemente os diários que ela escrevia com as observações da sua pesquisa sobre elefantes, tentando encontrar uma pista oculta.
Desesperada por obter respostas, Jenna contrata dois improváveis ajudantes, uma médium famosa por encontrar pessoas desaparecidas e um detetive que já tinha estado envolvido na investigação do desaparecimento de Alice, e parte determinada a descobrir a verdade.

Encontra as Diferenças: "Bad Boys", "Surrender Your Love" e "Misguided Heart"


Dia de actualização, esta mais curta que a anterior.
Continuam a ser parecidas, mas não iguais, incluindo a nova capa (post anterior).

A Sair do Forno: "A Floresta do Mal" de M.J Arlidge


Na floresta dia 1 de Abril
M. J. Arlidge mantém o ritmo acelerado e o ambiente tenso. Viciante!» - The SunSem terem por onde fugir, ou um lugar onde se esconder, nem quem os ouça gritar.Existe algo demoníaco na floresta. Primeiro, cavalos selvagens foram abatidos. Depois, mulheres e homens inocentes foram caçados e brutalmente assassinados por uma figura sem rosto. Perdidos na escuridão, tentaram fugir e esconder-se.Em desespero, pediram ajuda, mas não havia ninguém para ouvir os seus gritos. Agora, a inspetora Helen Grace é chamada ao local dos crimes para enfrentar um novo pesadelo. Lá descobre corpos pendurados em árvores e perfurados por setas de besta. O que terá motivado estas execuções? Poderá ser um psicopata?Ou serão estes corpos alguma espécie de oferenda à natureza? Para descobrir a verdade por detrás deste caso desafiador e macabro, Helen Grace terá de enfrentar a mais profunda escuridão, numa verdadeira corrida contra o tempo para evitar mais mortes. Incluindo a sua.

A Sair do Forno: "A Única Mulher na Sala" de Marie Benedict

Sai dia 1 de Abril
Ela é linda. E é um génio. Será um mundo dominado por homens capaz de a aceitar?Um romance poderoso baseado na incrível história da atriz Hedy Lamarr, uma mulher brilhante cuja inovadora invenção revolucionou a comunicação moderna. Hedy Kiesler é uma atriz austríaca com ascendência judaica que, em 1933, se casa com um poderoso fabricante de armas, o que lhe permite escapar à perseguição nazi. Além de bela, Hedy é também muito inteligente. Nos extravagantes jantares em que participa com o marido, ouve os planos do Terceiro Reich, e percebe que a sua segurança não está garantida e que algo muito grave está a ser planeado. Em 1937, desesperada por escapar ao marido controlador e à ascensão dos nazis, Hedy disfarça-se e foge.Viaja, então, para Hollywood, onde se torna a estrela de cinema Hedy Lamarr. Mas Hedy esconde um segredo mais forte do que o facto de ser judia: ela tem uma mente científica brilhante. Durante o seu casamento, Hedy ouviu segredos do regime nazi, e agora tem uma ideia que pode ajudar os Aliados, permitindo-lhe igualmente aliviar a culpa que sente por ter fugido. Tudo o que precisa é que não a subestimem devido à sua beleza, e que a ouçam.

A Sair do Forno: "A Tentação na Porta ao Lado" de Alice Clayton

A bater nas paredes dia 1 de Abril!
Ele só quer diversãoEla só quer uma noite de sono em paz.
E assim começa a guerra!
Com um apartamento novo em São Francisco e uma batedeira de bolos topo de gama, Caroline Reynolds podia ser feliz, não fosse a falta que sente do seu «O» (sim, aquele com direito a bolinha vermelha…). É dona do gato mais esperto do planeta, mas isso não compensa o facto de há muito não ter contacto com um «O». E por muito bem que a sua carreira como designer de interiores esteja a correr, se há coisa que na sua vida não tem sucesso é o seu triste e há muito perdido «O».Para piorar esta falta de prazer, não consegue dormir desde que mudou de casa. Tudo por causa do barulhento e engatatão vizinho do lado e das suas ruidosas atividades noturnas!O culpado pela trepidação das paredes de Caroline é Simon Parker, que todas as noites faz questão de mostrar que está em grande forma no que toca ao amor. Por isso, quando o barulho ameaça atirá-la literalmente para fora da cama, envolta pela frustração sexual e por um sensual baby-doll cor-de-rosa, ela decide confrontar o vizinho que passa a vida a ouvir mas nunca viu. Só que a tensão entre eles é tão forte como as paredes são fracas…Com umas paredes tão finas, é impossível não sentir a tentação na porta ao lado…

A Sair do Forno: ''O Céu está em toda a parte'' de Jandy Nelson




Depois do sucesso de ''Eu dou-te o Sol'' da autora Jandy Nelson, vamos ter um novo livro desta escritora em Portugal.
Na verdade o ''The sky is everywhere'' foi o primeiro livro que a autora lançou há uns bons anos mas nunca foi editado cá. Como parece que está difícil sair o seu terceiro livro, a Editorial Presença já assegurou os direitos do primeiro livro que a autora publicou. 

A Mafi leu este livro em Julho do ano passado e podem ler a opinião dela aqui.

Lennie Walker, de dezassete anos, é uma leitora compulsiva, apaixonada por música, toca clarinete na orquestra da escola e tem uma vida protegida e feliz à sombra de Bailey - sua irmã mais velha, confidente e melhor amiga.
Mas Bailey morre subitamente e Lennie passa a confrontar -se sozinha com os seus próprios problemas. Apesar de não se lhe conhecerem antecedentes amorosos com rapazes, ela vê -se de repente a ter de escolher entre dois: Toby, o namorado de Bailey, cujo desgosto pela morte desta espelha bem a dor de Lennie; e Joe, recém-chegado à cidade, vindo de Paris, com um sorriso quase mágico e um grande talento para a música. Para Lennie, eles são o Sol e a Lua - Toby ajuda-a a libertar-se da dor; Joe dá-lhe conforto e alívio.
Mas, tal como acontece com os seus corpos celestes congéneres, os dois rapazes não podem colidir sem que o mundo inteiro deflagre.
Ao mesmo tempo uma celebração ao amor e um testemunho da dor e da perda, a luta de Lennie para isolar a sua própria melodia do ruído que a rodeia é sempre sincera, muitas vezes jovial, e inesquecível.

Quem leu o livro anterior da autora e quer ler este?

Opinião New Adult/Contemporâneo: "Stuck-Up Suit" de Vi Keeland e Penelope Ward


Adorei este livro! Até agora o meu preferido da(s) autora(s).
Tem imenso humor, tanto nos diálogos como nas próprias atitudes das personagens, e aqui é que está a "estrelinha", é no facto de tanto Soraya como Graham são divertidíssimos cada uma à sua maneira. Soraya representa muito bem a sua cultura e conseguiram descrever muito bem tanto o estilo como a atitude. O mesmo para Graham, que é o oposto, mas que faz como que eles os dois se complementem.
Graham é um personagem masculino com m maiúsculo que nos conquista de várias formas e nos faz soltar vários e mui diferentes suspiros. É daqueles personagens que dava tudo para ser real e para o conhecer pessoalmente.
Claro que não é uma história original, mas são aqueles pequenos pormenores, é aquela sedução quase sem esforço entre eles que nos cativa e nos faz rir e ficar com o coração acelerado. Adorei! Estas sensações mantêm se constantes, fortes e permanentes ao longo de todo o livro e o final é como o culminar de tudo.
Eles vão ter as suas dificuldades claro, mas estamos a falar de Vi Keeland e Penelope Ward que adoram um bom drama familiar/romântico ou os dois. Podemos sempre contar com um texto recheado de guloseimas, com um inicio que nos cativa logo e que começa sem rodeios. É também um inicio cheio de lições de moral, principalmente dirigidas a Graham.
Pelo meio temos assuntos familiares, mas as autoras nunca deixam de manter o interesse nesta relação picante e cheia de indirectas.
Graham vai ter que suar muito para a conquistar, porque Soraya não é uma mulher qualquer e aqui representa bem a força que todas nós temos para mostrar o nosso valor. Ponto mais que positivo.
No meio disto tudo temos o trabalho dela, que consiste na resposta a cartas e emails com pedidos de conselhos, com que ela responde sempre de forma directa mas muito assertiva e que também irá contribuir não só para o ingrediente do humor, como depois para o ingrediente do amor. Eles passam assim de um casal explosivo, muito sexual e sensual, com elevada química, para um casal muito fofo que derreterá o coração mais congelado.
Terminei esta leitura com aquela sensação bipolar de satisfação insatisfeita por ter acabado como eu queria, mas que ao mesmo tempo me soube a pouco.


Tudo começou como uma manhã qualquer no comboio, até eu ficar completamente hipnotizada pelo homem sentado do outro lado do corredor. Ele gritava com alguém ao telefone como se fosse o dono do mundo. Quem o engomadinho metido pensava que era? Deus? Na verdade, ele parecia um deus. Quando a sua paragem chegou, levantou-se bruscamente e saiu, deixando cair o telefone no caminho. Talvez eu o tenha achado. Talvez eu tenha passado por todas as suas fotos e ligado para alguns dos números. Talvez eu tenha ficado com o telefone do homem misterioso por dias – até finalmente criar coragem para devolvê-lo.
Quando cheguei ao seu escritório chique, recusou-se a ver-me. Então, deixei o telefone na mesa vazia do lado de fora da sala do idiota arrogante.
Eu talvez tenha deixado uma foto íntima.
Eu não esperava que ele respondesse.
E não esperava que as nossas trocas de mensagens fossem quentes como o inferno.
Eu não esperava apaixonar-me por ele – muito menos antes de nos conhecermos de verdade.
Nós dois não poderíamos ser mais diferentes, mas você sabe o que dizem sobre os opostos.
Todas as coisas boas acabam um dia, certo? Mas o nosso final era impossível de prever...
 

Encontra as Diferenças: "24 Bones" e "Don't Make Me Beautiful"


Bom dia alegria,

Aqui fica mais uma EAD para vocês testarem a vossa acuidade visual eheh. Nesta ainda encontramos muitas diferenças, o que é raro acontecer.

A Sair do Forno: ""O Homem do Mês, Vol. 2 Abril | Maio | Junho" de J. Kenner



Sai dia 1 de Abril.
O bar The Fix on Sixth está em risco de fechar. Um grupo de amigos decide ajudar, competindo com o que de melhor tem: sensualidade e atributos físicos! E assim surge o concurso O Homem do Mês, onde os melhores partidos do Texas vão disputar o título durante doze meses, atraindo os olhares do público e das mulheres que os tiram do sério.
Abril
Divertido, picante e inconveniente, Nolan Wood é uma estrela de rádio, que usa o sexo sem compromisso e algum humor para esconder a sua insegurança. Até que conhece Shelby. O problema é que Shelby acredita que são completos opostos e que a relação entre eles nunca irá funcionar. Conseguirá Nolan mostrar-lhe que está errada?
Maio
Tyree Johnson é o dono do The Fix e há muito que o destino lhe tem sido cruel. Perdeu o melhor amigo na guerra, a mulher num acidente, e agora está em risco de perder o bar. Como se não bastasse, Eva, o seu primeiro amor, está de volta. Mas estará Tyree disposto a abrir o coração à primeira mulher que lho partiu?
Junho
Não há mulher que resista ao rico e irreverente Parker Manning. A não ser Megan Clark. Por isso, quando ela lhe pede ajuda, Parker propõe-lhe em troca uma noite sensual. Mas ele não esperava ficar tão rendido ao poder dela, e agora, para a conquistar, tem de aprender a mostrar quem verdadeiramente é. Será que vai conseguir?
Qual destes homens a conquistará?

Opinião Contemporâneo: "A Banana Dele" de Penelope Bloom


Falemos então d'A Banana Dele!
O que eu mais gosto deste livro é mesmo o título, porque sem maldade podemos brincar imenso com ele e com o fruto nele representado! Penelope Bloom apresenta-nos esta saga com capas e títulos bastante apelativos que fazem qualquer uma virar a cara para confirmar que leu bem.
A história em si não é nada que já não tenhamos lido e já li romances do género com muito mais picardia entre chefe e funcionária, basta pegar num de Vi Keeland para nos rirmos mais e melhor. Mas aqui, Bloom inclui temáticas como patologias psiquiátricas que pela sinopse ou pela capa/título não temos noção nem vamos estar à espera. 
Bruce é então um personagem bastante completo que parece uma coisa, mas depois tira-se-lhe a casca e encontramos o oposto. Adorei-o! Para mim, deu 10 a 0 a Natacha, que com a sua personalidade trágica, do tipo "ups escorreguei na casca da banana que acabei de comer ao meu chefe", não me cativou assim tanto. Até porque esta última queixa-se imenso da sua vida, inclui muito mais drama, mas comparada com a vida de Bruce ela tem é que estar calada.
Além disso, achei a personalidade de Natacha demasiado exagerada, como se aquelas suas respostas que tanto surpreendem o protagonista, fossem assim tiradas tão boas e originais. Mas a meu ver não o são, o que torna tudo um pouco falso ao género teatral.
Encontramos também algumas incongruências na história, principalmente a Caitlyn, tal como algumas cenas a nível do seu trabalho.
O confronto entre eles também já se esperava e foi bastante óbvio; e o final também parece algo rebuscado e remendado.
De qualquer forma, é um livro de entretenimento, com uma classificação de 3,5 estrelas, mas que mesmo assim nos deixa curiosas para os próximos volumes. Veremos é se o próximo (A Cereja Dela) nos mantém este interesse o suficiente para experimentarmos A Guloseima Dele e O Pacote Dele. A autora também tem outro fora desta série que é O Segredo Dela (estou a traduzir seguindo a linha deste) com uma capa do género.


O meu novo chefe adora impor regras.
E há uma que ninguém se atreve a quebrar: nunca tocar na banana dele.
A sério.
O tipo é viciado em bananas.
E eu, claro, fui logo tocar na dele.
Pior, pu-la na boca. Mastiguei... e até engoli.
E foi nesse momento que ele apareceu.
E, acreditem em mim, foi mau. Muito mau!
Mas deixem-me começar pelo início...

Antes de tocar na banana de um bilionário, eu tinha acabado de conseguir o meu primeiro trabalho a sério como jornalista. Nada das tretas do costume. Nada de entrevistas a lixeiros sobre as suas rotas preferidas, ou artigos sobre a importância de apanhar caca de cão nos jardins. Já dei para esse peditório.
Esta era a minha grande oportunidade. Podia provar ao mundo que não era uma trapalhona. A missão: infiltrar-me na Galleon Enterprises para investigar as suspeitas de corrupção.
Já estão a ouvir a banda sonora do James Bond a tocar, não estão?
Eu ia ser um sucesso. Só tinha de conseguir o lugar de estagiária e não dar cabo da entrevista com Bruce Chamberson.
Agora avancem até ao momento imediatamente antes da entrevista. Sim, eu sou aquela ali de banana na mão. Uma banana com o nome dele escrito a marcador preto. É aí que ele entra e me apanha em flagrante de fruta na mão. Pouco depois, contrata-me.
Pois, eu sei. Também a mim me pareceu estranho...

4* 

A Sair do Forno: "Os duques preferem as loiras" de Loretta Chase


Quase 3 anos depois do 3º, aqui está o 4º e último livro da série. Sai dia 18 de Abril.

A beleza é um perigo para o coração… 
As propostas de casamento quinzenais vindas de homens que não conseguem ver para além da aparência estão a afetar os nervos de Clara Fairfax. Deslumbrante, inteligente e divertida, ela é muito mais do que uma cara bonita. Casar com alguém que não a considere um simples acessório ou uma fonte de rendimento é o seu objetivo. Até que o seu caminho se cruza com Oliver Radford…
Embora se encontre inesperadamente na linha de sucessão para herdar um ducado, Radford nunca pertenceu à sociedade elegante, e a bela e loira Clara, apesar de ter algum cérebro, nunca fez parte dos seus planos. Mas a jovem é persistente e consegue derrotar até a lógica mais infalível. À medida que o casamento se aproxima, Oliver terá de fazer tudo para não perder a cabeça por causa dela.
De acordo com os padrões da sociedade, este é um casamento inconveniente, mas Clara e Oliver estão longe de ser pessoas comuns. Será que a herdeira mais desejada da temporada e o solteirão mais difícil de Londres serão vítimas dos seus desejos mais rebeldes?

A Sair do Forno: "Coração em Chamas" de Nora Roberts

Sai dia 18 de Abril
O fogo não é a única coisa que ela deve temer… 
O perigo e a adrenalina fazem parte da vida de Rowan Tripp. Ser bombeira paraquedista está-lhe no sangue, e para ela há poucas coisas tão estimulantes como saltar de paraquedas sobre uma floresta em chamas. Voltar às florestas do Montana é como voltar a casa… mesmo que esse regresso seja ensombrado pelas recordações do companheiro que perdeu no ano anterior.
Com a época de incêndios quase no início, os recrutas preparam-se intensamente. Entre eles destaca-se Gulliver Curry, um experiente bombeiro com muita conversa fiada que quer chegar ao coração de Rowan. Ela não tem o hábito de se envolver com outros bombeiros — qualquer distração no ar ou em terra pode ser fatal —, mas Gull está convencido de que a fará mudar de ideias…
Quando os fogos começam e um assassino deixa um rasto de morte, Rowan e Gull percebem que terão de unir esforços para enfrentar um perigo muito mais real do que as chamas…

A Sair do Forno: "Por Detrás da Cortina" de Beth Kery

Sai dia 18 de Abril!
O desejo e a paixão não têm barreiras no novo romance de Beth Kery. 
Asher Gaites está de regresso a Chicago para uma pausa no jornalismo. O reencontro com os amigos leva-o a um clube de jazz onde uma nova artista está a fazer furor, mas o que Asher encontra é muito mais do que poderia esperar. A voz que ouve e o corpo que vê através da cortina levam-no de volta ao passado.A cortina dá a Laila Barek o anonimato de que precisa. A americana de origem marroquina sempre lutou para conciliar os valores familiares e a paixão pela música. Mas há um homem que não lhe sai do pensamento, e quando Asher a confronta depois de um espetáculo fica chocado por reconhecer a mulher que o abandonou há quase uma década.Laila nunca conseguiu esquecer o toque e o sabor de Asher. E apesar da dúvida e do medo que ameaçam as suas vidas, ambos têm de confiar nos seus sentimentos para derrubar os muros que o mundo colocou entre eles.