Publicações

Encontra as Diferenças: "Moby Clique" e "Mean Girls"



E hoje um YA para variar, hein?
A modelo é a mesma mas de resto muita coisa até diferente.

A Sair do Forno: ''Tempestade de Guerra - Parte 1'' de Victoria Aveyard


Sai dia 17 de Maio 

A vitória tem um preço.
Mare Barrow aprendeu rapidamente que para vencer é preciso pagar um preço muito alto. Depois da traição de Cal, que praticamente a destruiu, Mare está determinada a proteger o seu coração e a continuar a lutar com os rebeldes para assegurar a liberdade de Vermelhos e sanguenovos. A jovem fará de tudo para derrubar o governo de Norta – começando pela coroa de Maven.
Mas para a guerra que se avizinha é necessário ter aliados poderosos. Conseguirá Mare lutar ao lado dos que a magoaram para assegurar a vitória? Ou será a rapariga-relâmpago silenciada para sempre?
Na primeira parte da conclusão desta extraordinária série, Mare terá de abraçar o seu destino e convocar todo o seu poder. Quem sobreviverá aos testes que se aproximam?

A Sair do Forno: ''O Senhor'' de E.L. James



Depois do sucesso de ''As cinquenta sombras de Grey'' a autora lança o seu primeiro livro fora da série. Como todos os outros livros desta autora, este também sairá em Portugal pela Lua de Papel. O melhor é que já temos data, por isso apontem nas agendas a data de 28 de Maio!
Perca-se numa apaixonante história de amor.
O Senhor é o eletrizante novo romance de E.L. James, autora do fenomenal bestseller internacional As Cinquenta Sombras de Grey.
Londres, 2019. A vida tem trado bem Maxim Trevelyan. Com a sua beleza, dinheiro e relações privilegiadas, nunca teve de trabalhar e raras vezes dormiu sozinho. Mas tudo isso muda quando na sequência de uma tragédia ele herda a riqueza, as propriedades, e o título nobiliárquico da família, com toda a responsabilidade que essa herança acarreta. É um papel para o qual não está preparado e que só a custo consegue enfrentar.
Mas o seu maior desafio é conter o desejo por uma jovem enigmática que inesperadamente chegou a Inglaterra, trazendo consigo pouco mais do que um passado perturbante e perigoso. Tímida, linda de morrer e musicalmente sobredotada, ela revela-se misteriosamente tentadora. E o desejo que Maxim sente por ela transforma-se numa paixão que nunca experimentou e nem sequer se atreve a nomear. Quem é Alessia Demachi? E poderá Maxim protegê-la do mal que a ameaça? E o que fará ela quando souber que também ele esconde segredos?
Do coração de Londres às paisagens idílicas da Cornualha, passando pela rude beleza dos Balcãs, O Senhor é uma montanha russa de perigo e desejo, que deixará o leitor sem fôlego até à última página.

A Sair do Forno: ''Acredita em Mim'' de J.P.Delaney


Sai dia 7 de Maio 

Claire Wright gosta de se pôr na pele de outras pessoas. Mas quem é o isco… e quem é a presa? Claire é uma inglesa estudante de teatro em Nova Iorque. Sem o green card, não tem outra saída senão aceitar o único emprego que consegue: trabalhar para uma firma de advogados especializados em casos de divórcio.
A sua missão é fingir que é uma rapariga fácil, em bares de hotel, para desmascarar maridos infiéis. Quando um dos seus alvos se transforma no objecto de uma investigação por assassinato, a Polícia pede a Claire que use todas as suas habilidades para ajudar a atrair o suspeito para uma confissão.
O novo e extraordinário thriller psicológico do autor do bestseller A Rapariga de Antes.

A Sair do Forno: A Rapariga sem pele'' de Mads Peder Norbo


Sai dia 7 de Maio 

Um policial intenso e perturbador na fascinante Gronelândia. Neve, gelo e neblina revelam terríveis segredos mortais escondidos há muito tempo. Quando um cadáver viquingue mumificado é descoberto numa fenda no gelo, o jornalista Matthew Cave é destacado para cobrir a história.
No dia seguinte, a múmia desapareceu. o corpo do polícia que a guardava jaz no gelo, nu e esfolado, tal como as vítimas de uma horrível série de assassínios que aterrorizaram a remota Nuuk na década de 1970.

A Sair do Forno: ''O Herói Acidental'' de Cheryl Holt




 Sai dia 28 de Maio 
Matthew Harlow acaba de se se tornar um herói nacional. Perante o dramático naufrágio de um navio, ele manteve a calma necessária para salvar os passageiros, entre os quais se incluíam membros da realeza. A sua nova condição de celebridade não lhe agrada minimamente, pois Matthew não passa de um soldado, um capitão no exército do rei. Mas o seu talento para a liderança não passa despercebido a ninguém, bem como a sua aparência distinta. Duas características pouco comuns num homem como ele, órfão e desconhecedor das suas origens ... Clarissa Merrick é pobre e solteira. Vive à mercê da crueldade dos primos na sua propriedade de Greystone... propriedade essa que acabou de ser concedida a Matthew pelos seus feitos heróicos. Mas quando Clarissa conhece o jovem capitão, a sua vida nunca mais será a mesma. A começar pelo facto de ficar sem teto! Mas os planos de Matthew são outros, e Clarissa faz parte deles... Conseguirá ela ajudá-lo a encontrar as respostas que tanto procura?

A Sair do Forno: ''O Sacrifício de um Homem'' de Sandra Brown


Sai dia 21 de Maio 
Ella Baron é uma mulher só embora viva rodeada de pessoas. Cuida do seu filho Solly, de dez anos, com dedicação extrema. Com o país mergulhado numa recessão profunda, ela gere a sua pensão com a eficiência de um militar e a gentileza de uma aristocrata. Aconteça o que acontecer, não pode por em risco o seu sustento. Mas quando o reputado médico da vila lhe pede para aceitar um novo hóspede e apresenta David Rainwater, algo dentro dela se retrai. David é atraente e gentil, mas não passa de um desconhecido. Perante a hesitação de Ella, o médico comete uma inconfidência: o seu novo hóspede não vai ficar por muito tempo pois está a morrer. Os ventos da mudança sopram fortes e Ella sente que algo indizível está a avolumar-se no horizonte. Ao ver-se envolvida numa sucessão de estranhos acontecimentos, esta extraordinária mulher rapidamente percebe que a vida tal como a conhece vai mudar para sempre. E é neste clima de medo e tensão que David se vai revelar um pilar de tranquilidade, altruismo e retidão. E, aos poucos, Ella aprende a confiar no misterioso homem... até à noite mais quente e mais sangrenta desse verão, em que os limites de todos eles serão postos à prova. Inspirado por uma história da família de Sandra Brown, O Sacrifício de um Homem decorre em 1934, em plena Grande Depressão, e é o livro mais pessoal da autora.

A Sair do Forno: "Em nome do amor" de Lesley Pearse

Sai dia 14 de Maio


Katy Speed tem 23 anos e o sonho de viver em Londres, longe da pequena cidade de Bexhill-On-Sea e do temperamento difícil da mãe.Enquanto não consegue escapar, acompanha avidamente a vida de Gloria Reynolds, a simpática e glamorosa vizinha da frente. Para Katy, entediada com a pacatez do seu dia a dia, as estranhas movimentações na casa de Gloria são um alimento para a imaginação...Quem serão as mulheres que a visitam ao sábado num carro preto? E porque é que por vezes vêm acompanhadas de crianças? O certo é que essas atividades suspeitas provocam algum desconforto na comunidade.Uma noite, porém, um incêndio devastador vai por fim a tudo isso… e também à vida de Gloria e da filha. Depressa se torna evidente que se tratou de fogo posto, uma notícia chocante para todos mas principalmente para Katy, pois o principal suspeito é o seu pai. Ela sabe que ele é inocente. E vai fazer tudo para o provar... nem que para isso tenha de arriscar a própria vida.
Romance de amor e história de coragem, Em Nome do Amor é uma incursão perturbante ao lado negro das relações humanas. No magnífico retrato de uma época já distante, a autora bestseller trata com profundidade e coragem temas tremendamente relevantes ainda nos dias de hoje.

Opinião Contemporânea: ''Voltar a Amar-te'' de Carrie Elks



Cada vez acredito mais que há livros bons que lemos em maus momentos e também vice-versa. Em 2017 li um o primeiro livro desta autora em Portugal e na altura não gostei assim tanto mas gosto sempre de dar uma segunda oportunidade aos autores. E com isto, li em 2 dias o novo livro de Carrie Elks que saiu esta semana pela Planeta. E sabem que mais? Gostei mais deste.
É totalmente um romance e sim continuo a achar que tudo aconteceu demasiado depressa mas este livro era mesmo o que estava a precisar neste momento. 
45041839Aqui temos Beth de 29 anos que neste momento encontra-se casada com um cinquentão que a salvou de uns tempos difíceis no passado. Embora Simon seja rico, Beth não casou por interesse, ela gosta e sente carinho por Simon e agradece tudo o que ele fez e faz por ela. 
Mesmo que não precise de trabalhar, Beth colabora numa clónica para dependentes. O seu trabalho consiste em organizar actividades com crianças, filhos desses dependentes. Embora hajam mais crianças a história dá especial destaque a Cameron e a Allegra. Com uma vida pacata e um trabalho que adora, a vida de Beth muda quando chega um novo voluntário ao centro de dia: Niall. Niall foi um antigo namorado de Beth e aquele que mais problemas lhe trouxe, envolvendo-a em drogas e outros assuntos mais sérios que fizeram com que Beth fosse expulsa da Universidade. A verdade é que Beth nunca esqueceu Niall e vice-versa. Mas o passado também mudou Niall, já não é o jovem rebelde de antigamente e por isso mesmo trabalhar nesta clínica é mais uma etapa na sua redenção. 
Paralelamente ao romance entre Niall e Beth temos a história de Allegra com a sua mãe Daisy que acaba por influenciar bastante a vida de Beth. Percebemos que Daisy ama a filha mas que o seu vício é maior, levando-a a uma recaída fatal. 
Achei que o romance entre a Beth e o Niall foi muito repentino. Num capítulo a Beth ainda dizia que não se podia envolver com ele porque era casada e no capítulo a seguir já o estava a beijar. Esperava que o romance fluísse mais lentamente tendo em conta que havia uma terceira pessoa envolvida. Beth não é uma mulher muito decidida, pelo contrário ela encontra-se num limbo e até quer tomar uma atitude mas tem receio de avançar. 
Achei um livro muito fácil e rápido de se ler mas não porque era fantástico e queria saber o que ia acontecer. O livro não tem assim muita acção mas a parte final surpreendeu-me quando acabou por desviar-se mais do romance e focar-se na Allegra. Ao longo do livro a autora também vai contando a história de Niall e Beth enquanto eram adolescentes e o que aconteceu para eles se terem afastado e acho que isto foi importante para o livro ter mais algum conteúdo.
Um romance que gostei e aconselho a quem queira ler algo leve e rápido. 

Vale a pena dar uma segunda oportunidade ao amor?
Beth Lawrence tem vinte e nove anos e a vida encarrilada. Um emprego que adora, um marido rico e uma bela casa estão muito distantes da tragédia que a atingiu quando tinha dezanove anos. Mas agora que o passado parece ter ficado para trás, um antigo amor entra de novo na sua vida. E traz recordações dolorosas de uma época que se esforçou muito para esquecer, reanimando uma paixão que tentou enterrar anos antes.
Niall Joseph é um artista em ascensão, regressado do seu sucesso na América. Tendo-se voluntariado para ensinar numa clínica para toxicodependentes de bairros problemáticos, a última pessoa que está à espera de encontrar é a rapariga que lhe destroçou o coração há nove anos. Trabalhar juntos permite-lhes sarar feridas antigas e forjar uma ligação mais profunda.
Uma ligação que começa lentamente a inflamar-se. Ao mesmo tempo que se envolve com uma criança negligenciada e a sua mãe toxicodependente, Beth sente-se atraída por Niall. Mas nenhum deles pode prever como é difícil trilhar a ténue fronteira entre amizade e desejo. Um coração destroçado pode reaprender a amar? 

Passatempo Dia Mundial do Livrro

Bom diaaa!

Feliz dia Mundial do Livro!

Hoje como é um dos nossos dias, dia de um dos nossos objectos favoritos decidimos apostar num passatempo aqui no nosso estaminé mais Doce!

Temos a vossa disposição 3 thrillers com muito mistério e suspense no qual podem escolher aqueles que vos apela mais :)



Regras:
Preencher correctamente o formulário abaixo;
Passatempo válido até dia 1 de Maio;
Só aceitamos participações de Portugal Continental e Ilhas.

Boa sorte! E que tenham um Dia Mundial do Livro recheado de Livros! :D 

Chegou à Despensa: ''Traz-me de volta'' de B.A. Paris



Mais um livrinho desta autora cá em casa. É o 3º que ela publica e é 3º que vou ler dela.

Gosto bastante desta capa e adoro mais que os thrillers desta autora sejam todos de poucas páginas (este tem 260). Promete ser mais um livro bom e vai ser uma das minhas próximas leituras! 

Encontra as Diferenças: "Mão na Gravata" de Vários


Em dia de actualização, mais um conjunto deles. Nós aqui adoramos é quando mudam o cabelo dos modelos eheh.

Opinião Contemporânea: ''A tentação na porta ao lado'' de Alice Clayton


A Topseller continua a lançar novas autoras com romances engraçados e românticos e desta vez chega-nos Alice Clayton. O lançamento deste livro foi uma autêntica supresa para mim, pois já conhecia o original há anos e portanto não estava nada à espera que saísse cá (até porque o original já saiu há alguns anos e até era uma fanfic do Twilight...e essa série acabou há mais de 5 anos).
44547401A base da história é muito simples, Caroline e Simon são vizinhos e ela acorda todas as noites com as paredes do seu quarto a tremerem por causa das actividades nocturnas do Simon. Ao contrário do seu vizinho, que todas as noites tem uma parceira diferente, Caroline está solteira há algum tempo e digamos e também que sexualmente frustrada. Caroline acredita que Simon é um garanhão mas quando finalmente conhecem-se, percebe que ele não é nada como ela imaginou. Para melhorar tudo, os amigos de Simon e as amigas de Caroline também conhecem-se e formam-se dois casais, deixando Simon e Caroline como os únicos solteiros no meio do grupo de amigos. 
À medida que vamos conhecendo os protagonistas, vamos percebendo que Simon até pode ser um bocadinho malandro mas tenta sempre respeitar com quem se envolve. Ele é fotógrafo profissional e viaja pelo mundo e sabe que uma relação pode ser difícil quando passa tanto tempo em viagem. Já Caroline tem um emprego mais certo e é não é tão impulsiva, pois encontrou estabilidade financeira sozinha (ou melhor com o seu gato Olive) e a realmente a única coisa que lhe falta é um companheiro.
Acho que aquilo que gostei mais no livro foi o facto de os protagonistas não se envolverem logo românticamente. A autora criou uma amizade tão boa que tornou o livro mais interessante porque eles passam de amigos a namorados e não logo de desconhecidos a amantes. Acho que este ponto foi essencial para eu conectar-me com as personagens e faz com que este livro seja um bocadinho diferente de tantos outros.
A autora também usa doses generosas de comédia que fizeram-me dar algumas gargalhadas. Juntando a isto temos algum drama e umas cenas bem quentes mas tudo num equilíbrio que achei perfeito.
Eu gostei imenso do livro, tanto das personagens como da história em si mas só tenho um pequeno problema: o livro faz parte de uma série de 5 volumes em que o 2º e o 5º são com o Simon e a Caroline mas o 3º e o 4º são com personagens totalmente novas (que nem aparecem neste primeiro livro). Por mais que tenha gostado deste não me vejo a ler mais 2 livros com este casal (até porque ao ler as sinopses já percebi que vem por aí muito drama) e depois as sinopses dos outros livros com as novas personagens também não me cativaram muito por isso acho que fico-me por um único livro de Alice Clayton.

Ele só quer diversão
Ela só quer uma noite de sono em paz.
E assim começa a guerra!
Com um apartamento novo em São Francisco e uma batedeira de bolos topo de gama, Caroline Reynolds podia ser feliz, não fosse a falta que sente do seu «O» (sim, aquele com direito a bolinha vermelha…). É dona do gato mais esperto do planeta, mas isso não compensa o facto de há muito não ter contacto com um «O». E por muito bem que a sua carreira como designer de interiores esteja a correr, se há coisa que na sua vida não tem sucesso é o seu triste e há muito perdido «O».
Para piorar esta falta de prazer, não consegue dormir desde que mudou de casa. Tudo por causa do barulhento e engatatão vizinho do lado e das suas ruidosas atividades noturnas!
O culpado pela trepidação das paredes de Caroline é Simon Parker, que todas as noites faz questão de mostrar que está em grande forma no que toca ao amor. Por isso, quando o barulho ameaça atirá-la literalmente para fora da cama, envolta pela frustração sexual e por um sensual baby-doll cor-de-rosa, ela decide confrontar o vizinho que passa a vida a ouvir mas nunca viu. Só que a tensão entre eles é tão forte como as paredes são fracas…
Com umas paredes tão finas, é impossível não sentir a tentação na porta ao lado…


Encontra as Diferenças: "The Next Thing on my List" e "The Decoding of Lana Morris"

 

Hoje trazemos capas mais simples, mas quase iguais em tudo.

Origem: ''Voltar a Amar-te'' de Carrie Elks


Esta foi fácil :P

A Sair do Forno: "Adorada até quinta" de Catherine Bybee

Sai dia 10! 
Último livro da série! 😀
Gabriella Masini: Ela é uma mulher atormentada pelo seu passado, com cicatrizes a prová-lo. Acha que os contos de fadas são para os outros. Junta homens e mulheres romanticamente na agência Alliance, dedicando-se aos clientes mais importantes. Mas algo não bate certo com o seu cliente mais recente: um multimilionário terrível cheio de segredos. Quando Gabi se recusa a ser sua esposa temporária, Hunter obriga-a a aceitar com uma oferta irrecusável. Mas o casamento com um homem desses nunca poderia durar... ou poderia?
Hunter Blackwell: A sua conta bancária é a única coisa maior do que sua implacável capacidade de conseguir tudo aquilo que quer. Hoje em dia, ele tem um motivo secreto para se acalmar, pelo menos por um tempo e acha que a sensual e atrevida Gabi se vai encaixar perfeitamente. Mas, quando seu casamento de conveniência se torna perigoso, Hunter deve decidir até onde vai cumprir o seu voto de honrar e proteger Gabi para sempre.

Opinião Suspense: ''Levaram Annie Thorne'' de C.J. Tudor


Da mesma autora de ''O Homem de Giz'' chega-nos o novo livro de C.J. Tudor. Como aconteceu no ano passado, a Planeta fez um kit muito giro para todos os parceiros onde vinha o livro e um boneca nada fofinha na minha opinião eheh.
Eu gostei do ''Homem de Giz'' mas confesso que não adorei. A autora tem um estilo muito próprio envolvendo sempre crianças e cenários mais obscuros e de terror, não são propriamente thrillers psicológicos que envolvam polícia por exemplo. É um género de thriller que ainda estou a tentar perceber se gosto ou não. Semelhante ao livro anterior, a este também dei 4 estrelas, o que não é mau, mas sinto que falta sempre qualquer coisinha para eu conseguir dar 5 estrelas completas aos livros da Tudor. Talvez isso aconteça com o 3º livro - The Other People - que sai no próximo ano tanto lá fora como cá. A sinopse é daquelas que mais me interessou de todos estes livros. 
Aproveito para dizer que o evento feito na Fnac do Chiado com a autora foi muito bom. Fiquei surpreendida com tanto pessoal jovem que estava lá. A autora é super simpática e relaxada e foi um prazer conhecê-la. Se vier cá novamente para o lançamento do 3º livro, irei tentar ir com todo o gosto pois adorei o seu à vontade com o público. 
44314747Passando então ao livro em si, a acção é centrada novamente numa pequena localidade, desta vez Arnhill, onde há uns anos atrás, Annie foi dada como desaparecida durante 48 horas. Quando volta a casa, Joe sente e sabe que a sua irmã já não é mais a mesma e quer tentar entender o que aconteceu com a pequena Annie. 
Passados 25 anos, Joe regressa à cidade que o viu crescer onde começa a dar aulas na escola onde andou. A verdade é que ser professor é apenas um meio para atingir um fim. O regresso de Joe é tudo menos inocente como ele tenta mostrar. Ele procura respostas e especialmente deseja uma pequena vingança. 
Eu gostei de Joe mas é uma personagem anti-herói. Como já tem sido comum em alguns thrillers que tenho lido, Joe tem problemas alcoólicos e aqui também físicos. Não é uma personagem afável e que crie empatia com o leitor mas no fundo acabamos por sentir pena dele. 
Alternando entre o passado e o presente (onde o passado basicamente é centrado no que aconteceu com Annie)vamos resolvendo vários mistérios que envolvem uma antiga mina da vila,desactivada há uns anos.
Não dá para contar muito sem fazer algum spoiler mas não sei dizer que parte do livro gostei mais. A parte do passado instigou-me mais para ler embora as respostas também sejam dadas na parte do presente. Pensei que a própria personagem da Annie fosse ter muito mais destaque mas não, a história gira em torno dela mas não temos nenhum ponto de vista de si, o que eu acho que seria ainda mais interessante. 
Embora algumas coisas sejam explicadas, achei que a autora também deixa margem para o leitor poder tirar as conclusões que quiser do que realmente aconteceu. O núcleo de personagens secundárias tem também bastante presença mas achei todas bastante desprezíveis, até pelo que tentam fazer ao Joe.
Em suma, se gostaram do livro anterior da autora não vão ficar desiludidos com este. É um livro que aconselho a quem gostar de thrillers diferentes, que tenham mais mistério e menos presença policial ou de investigação. Eu gostei e aconselho.


Naquela altura…
Uma noite, Annie desapareceu. Sumiu da sua cama. Houve buscas, apelos. Todos pensaram o pior. E depois, miraculosamente, após quarenta e oito horas, ela voltou. Pensou-se que não queria ou não conseguia dizer o que lhe acontecera.
Mas alguma coisa aconteceu à minha irmã. Não sei explicar o quê. Só sei que quando voltou, já não era a mesma. Não era a minha Annie. Não queria admitir de forma alguma que às vezes tinha um medo de morte da minha irmãzinha…
Agora…
O e-mail chegou à minha caixa de correio há dois meses.
Quase o apaguei de imediato, mas fiz clique para abrir:
SEI O QUE ACONTECEU À SUA IRMÃ. ESTÁ A ACONTECER DE NOVO.
Quando a minha irmã tinha oito anos, desapareceu… mas depois voltou. O pior dia da sua vida não foi quando a irmã foi levada… foi o dia em que ela voltou. 
 

A Sair do Forno: "O senhor Doubler e a arte de cultivar batatas " de Seni Gleister


Sai dia 30 de Abril!
Cozidas, em puré, assadas ou fritas, o senhor Doubler sabe tudo sobre as suas batatas, mas o mesmo não se pode dizer sobre as pessoas. Desde que perdeu a esposa, Doubler vive sozinho e às mil maravilhas em Mirth Farm, uma quinta no alto de uma colina. As multidões não são para ele. A única companhia de que precisa são as suas batatas e a sua empregada, a senhora Millwood, que o visita todos os dias. Quando a senhora Millwood adoece, tudo se desmorona e o senhor Doubler sente que começa a andar à deriva. Poderá a simpatia de uns estranhos fazê-lo sair da sua bolha? Este livro é um canto nostálgico à boa mesa, à amizade, à simpatia e às segundas oportunidades.

A A Sair do Forno: ''Ela não está" de Tamsin Grey

Sai dia 30 de Abril


A HarperCollins lentamente tem vindo a publicar livros interessantes, sejam thrillers de suspense ou romances contemporâneos desconhecidos do grande público. 
Tinham ido ao Lido no dia anterior, domingo, de bicicleta, bem cedo para evitar filas. Lucy adorava nadar, mas tinha-se sentado à beira da água, com o seu cabelo selvagem enfiado dentro de um grande chapéu de palha, medalhão dourado ao pescoço, o corpo embrulhado num gigantesco sarongue vermelho. Enquanto deslizava como uma raia sobre o chão manchado de lodo da piscina, tinha olhado para cima e visto os pés fortes castanhos a balançar na água. Porque é que não entras?, perguntou-lhe em silêncio, a olhar para os dedos dos pés com anéis — dourados, como o medalhão —, as unhas a condizer com o sarongue."
Jonah e Raff acordam numa segunda-feira, mas a mãe Lucy já não está em casa.
Mesmo tendo só nove anos, Jonah já sabe o suficiente da vida para manter a ausência dela em segredo. Se alguém souber que os deixou sozinhos, quem sabe o que lhe pode acontecer a ele e ao irmão mais novo?
Enquanto os dias passam, vai encaixando as diferentes pistas deixadas para trás: quem é que enviou flores a Lucy? Porque é que o seu telefone está dentro de um vaso? Porque é que os seus sapatos estão todos dentro do armário?
E quem é que na vizinhança pode saber mais sobre Lucy do que ele?

Quem gostou?

Encontra as Diferenças: "Alça na Mão" de Vários


Outra grande actualização (ver aqui a última).
Continuam a aparecer mais e mais e nós vamos actualizando.

A Sair do Forno: "Bem te Quero, Mal me Queres" de Penelope Ward




Pois é minhas queridas gulosas. A 2020 já nos tinha avisado que iria sair um livro desta autora que nos derrete o coração, mas só agora descobrimos qual e o título em português.
Este livrinho, ainda sem capa portuguesa anunciada, sairá em Abril, dia 29!!


 Partilhar a casa com um homem atraente é um sonho tornado realidade, certo? Mas não quando ele é o único amor da tua vida… e te odeia!
Quando a minha avó morreu, herdei a sua bonita casa de férias em Rhode Island. Mas havia uma condição: teria de a partilhar com o Justin, o meu melhor amigo de infância. O mesmo rapaz a quem despedacei o coração quando éramos ainda adolescentes assustados.
Tinha esperanças de que o reencontro fosse acabar com os nossos desentendimentos, mas estava enganada! O Justin tinha-se tornado um homem bonito, talentoso e… com muita raiva reprimida. Tudo por minha culpa. Obrigados a partilhar o mesmo espaço depois de tantos anos de separação, as discussões tornaram-se intensas e fogosas.
Para piorar ainda mais as coisas, ele trouxe a namorada para casa e faz questão de a exibir… alto e bom som! Sei que ele quer vingar-se de mim, mas acredito que o rapaz que amei ainda se esconde atrás daquele sorriso.
E a verdade? É que agora que não o posso ter na minha vida, desejo-o cada vez mais…
Romance tenso e sensual sobre uma relação à base de desencontros. Envolvente, cativante e com um final surpreendente.

A Sair do Forno: "Três pequenas mentiras" de Laura Marshall

Sai dia 29 de Abril
Alguém andou a mentir.Alguém sabe a verdade.Alguém está de olho em ti.Quando Sasha entra na vida de Ellen, esta fica imediatamente deslumbrada por ela. Por isso, quando Ellen começa a frequentar a casa da amiga, é incapaz de ver a escuridão que se esconde por detrás do estilo boémio daquela família.Até que um ataque brutal tem lugar na noite de Ano Novo, mudando para sempre a vida de todos. Dez anos depois, Ellen e Sasha, ainda unidas pelo que aconteceu naquela trágica noite, partilham um apartamento em Londres. Quando Sasha desaparece, Ellen teme o pior. A polícia não a leva a sério, mas os acontecimentos do passado dão-lhe boas razões para ter medo.O que aconteceu realmente? Quem está a dizer a verdade? Será que Ellen conhece, de facto, Sasha? Ellen terá de procurar respostas a estas perguntas para conseguir encontrar a amiga. Mas alguém sabe que andam a remexer no passado… e esse alguém não quer que a verdade venha ao de cima.

A Sair do Forno: "A rapariga da Carta" de Emilly Gunnis


À venda a 29 de abrilUm romance comovente e perturbador, inspirado em impressionantes factos reais.Uma carta devastadora.Uma rapariga aprisionada.Um mistério por resolver.No inverno de 1956, a jovem Ivy Jenkins engravida e é enviada em desgraça para St. Margaret, uma sombria casa de acolhimento para mães solteiras, no sul de Inglaterra. A bebé é adotada contra a sua vontade, e Ivy teme nunca sair daquele lugar aterrador. Sessenta anos mais tarde, Samantha Harper, uma jornalista desesperada por um furo, depara-se com uma carta do passado, e o seu conteúdo chocante comove-a. A carta é de Ivy, uma jovem mãe que implora para ser resgatada de St. Margaret… antes que seja tarde demais. Samantha é arrastada para esta história trágica e descobre uma série de mortes repentinas e inexplicáveis em torno daquela rapariga e da sua filha.Com o edifício antigo de St. Margaret prestes a ser demolido, Samantha tem apenas algumas horas para desvendar os terríveis segredos que aquele lugar esconde, antes que a verdade, perturbadoramente perto de si, se perca para sempre…

A Sair do Forno: "Ghost" de Jason Reynolds

À venda dia 29 de Abril!
Nunca deixes que alguém faça pouco da tua vida ou dos teus sonhos.»Castle Cranshaw, ou Ghost, como ele próprio se intitula, é um miúdo considerado ?problemático?. Vive sozinho com a mãe e uma das coisas de que mais gosta é descobrir novos recordes do Guiness. Um dia, Ghost passa por uma equipa de atletismo que está a treinar e fica com vontade de experimentar. Ghost impressiona todos os presentes com a sua incrível velocidade e o treinador convida-o para entrar na equipa, mas com uma condição: ele tem de ter bom comportamento e bons resultados não só na corrida, mas também na escola.Não é assim tão fácil manter-se fora de sarilhos, mas Ghost integra-se no grupo e aprende as maiores lições com os seus erros e com as revelações dos colegas e do próprio treinador.Ao longo do livro é Ghost quem nos conta a sua história, que nos revela a importância do desporto, da amizade e da capacidade de sacrifício para se superar na pista e fora dela.

Opinião Suspense: ''A Boa Filha'' de Karin Slaughter





Mais um livro de Karin Slaughter lido. Em 5 meses li 3 livros desta autora e embora ainda não me tenha estreado com os seus livros de séries, tenho adorado estes livros únicos e já anseio pelo próximo. 
36505925Aviso que os livros desta autora não são para toda a gente. São thrillers um pouco mais macabros com cenas bem fortes. Aqui por exemplo para além de cenas de violação temos uma cena de uma pessoa sendo enterrada viva. Eu que nunca gostei de ler estas coisas assim, dou por mim a adorar estes livros embora mexa com o meu psicológico. 
Os livros da Karin começam logo com uma explosão de acontecimentos, seja no presente ou no passado. Aqui começamos pelo passado, quando Charlie e Sam sobrevivem a um ataque na sua casa e que vitimiza a sua mãe. Elas são filhas de Rusty, um dos advogados mais odiados da cidade de onde vivem, porque ele defende desde pedófilos a homicidas, sejam culpados ou inocentes. Num ajuste de contas que dá errado, Sam e Charlie conseguem sobreviver a um ataque que irá deixar feridas para todo o sempre, tanto em si como na relação de ambas. 
A história avança 28 anos e temos Charlie, já casada mas que devido a algo que fez, regressa à escola onde estudou para resolver uma situação. O problema é que vê-se envolvida num tiroteio da escola que vitima o director e uma criança. No centro do tiroteio está uma adolescente que ao olhos de todos e das câmeras parece ser a responsável. 
A partir daqui e ao longo de quase 500 páginas vamos descobrir que este tiroteio interliga-se com o que aconteceu com Sam e Charlie há 28 anos atrás. 
Depois de um início estrondoso, achei que o livro perdeu algum fôlego e arrastou-se um pouco. Este é daqueles thrillers que tem várias fases, havia alturas que não conseguia parar de ler porque queria entender o que tinham acontecido no tiroteio da escola e quem era o culpado e havia outras alturas um pouco mais paradas mas que não eram aborrecidas, o livro apenas estava numa fase mais calma de acontecimentos, onde era necessário que acção abrandasse. Acho que no final tudo ficou esclarecido e a autora conseguiu juntar bem as duas histórias. A Charlie por vezes irritou-me um pouco e por isso gostei mais da Sam. 
É mais um livro fantástico desta autora e espero pelo próximo livro único dela. 

Duas meninas são obrigadas a entrar no bosque com uma pistola apontada. Uma foge para salvar a vida. A outra fica para trás.
Há vinte e oito anos, um crime horrível sacudiu a feliz vida familiar de Charlotte e Samantha Quinn. A sua mãe foi morta. O seu pai, um conhecido advogado de defesa de Pikeville, ficou prostrado de dor. A família desfez-se irremediavelmente, consumida pelos segredos daquela noite pavorosa.
Transcorridos vinte e oito anos, Charlie tornou-se advogada, seguindo os passos do pai. É a filha ideal. Mas quando a violência volta a aumentar em Pikeville e uma grande tragédia assola a localidade, Charlie vê-se imersa num pesadelo. Não só é a primeira pessoa a chegar à cena do crime, mas também o caso desperta as recordações que tentou manter à margem durante quase três décadas. Porque a surpreendente verdade sobre o acontecimento que destruiu a sua família não pode permanecer oculta para sempre.
Cheio de voltas e reviravoltas inesperadas e transbordante de emoção, A boa filha é um romance apaixonante: suspense em estado puro.

 

Chegou à Despensa: "O Silêncio das Águas" de Brittainy C. Cherry






Ai este livro 😍
Sou completamente apaixonada. Bem-vindo, finalmente, à minha estante!

Encontra as Diferenças: "First Desire" e "Deadly Little Secret"



Por aqui já conhecíamos a segunda autora de há muito tempo atrás. Ficam aqui mais duas capas muito semelhantes.

A Sair do Forno: 'Linhagem de Ouro' de Natasha Solomons


Sai dia 3 de Maio

A influência dos Goldbaum fez-se sentir por toda a Europa. São banqueiros e as pessoas de confiança de governos e imperadores. Pouco acontece sem o seu aval e menos ainda sem o seu conhecimento. Mas Greta Goldbaum não tem palavra a dizer em relação a quem será o seu marido. Enquanto o poder reside na riqueza, a força está na família. A união de Greta com o primo Albert vai fortalecer o lado austríaco e britânico da dinastia. É uma união sensata e estratégica. Mas Greta não é nenhuma dessas coisas. Infeliz e provocadora, está desesperada por encontrar o seu lugar no mundo, sem deveres e responsabilidades.
Mas justamente quando começa a saborear uma inesperada felicidade, a Grande Guerra agiganta-se no horizonte e nem os Goldbaum conseguem alterar o seu curso. Pela primeira vez em duzentos anos, a família encontra-se em lados opostos.
A Casa dos Goldbaum, tal como a própria Europa, está à beira da ruína.

A (Re)Sair do Forno: ''Demência'' de Célia Correia Loureiro


1312339744790516

2011/2019

Já há venda!

Numa pequena aldeia beirã, duas mulheres de gerações diferentes leem o seu destino nas mãos de um mesmo homem: Letícia foi vítima de um marido ciumento e manipulador, e Olímpia é a mãe extremosa desse agressor.
Mas quando Letícia regressa para assistir Olímpia, aos primeiros sinais de demência, os traumas que traz na bagagem ameaçam estilhaçar o silêncio conivente dos aldeões. Ainda que ostracizada, Letícia esforça-se por esquecer os tumultos do seu casamento, enquanto Olímpia pede ajuda ao amigo de infância, Sebastião, para reconstruir as próprias memórias e entender o que se passou com o seu único filho.
Demência traz-nos, através das vivências destas duas mulheres, a dura realidade de um Portugal rural e ainda tendencioso, e faz-nos repensar o significado de família e de comunidade, de inocência e de culpa. 

Opinião Contemporânea: "Disgrace" de Brittainy C. Cherry


Brittainy C. Cherry se não nos mata do coração com estas capas, mata-nos com as histórias.
Para quem não conhece e olha para estas imagens pode pensar erroneamente que no seu interior tem um romance cheio de peripécias e divertido. Pois enganem-se! Completamente ao contrário! Em vez de nos fazer rir, faz-nos chorar de uma ponta a outra de tristeza e de emoção. Não deixa de ser um romance, mas tal como os outros, é sempre uma história sofrida, mas que faz valer a pena cada página.
A história de Jackson e Gracelyn não foge à regra e logo nas primeiras páginas comecei a sentir lágrimas a escorrer-me pela cara. Nem me apercebi do que estava a começar tão embrenhada estava na história. Ai Gracelyn! Coitada! Literalmente e fortemente.
Disgrace assemelhou-se um pouco ao Sweet Home Alabama (filme de 2002) em que a protagonista volta a casa passado imenso tempo, com muita bagagem, tanto física como psicológica, e sempre a fugir da realidade citadina.
Mas aqui ela volta ainda bem casada e agarrada ao casamento que rapidamente se transforma num inferno ainda maior do que ela pensava. E foi aqui que começaram as lágrimas, com todas as descobertas que Brittainy C. Cherry nos despeja em cima! E ela não fica por aí, qual sádica qual George R.R. Martin que mata as personagens todas, e por isso vai continuar com revelações, levantando o véu que cobre o passado e o presente de Gracelyn. Prova mais uma vez que os seus romances não são só histórias tristes, com imenso drama, que anulam o romance. As temáticas que ela aborda através da vida dos personagens são sempre peças importantes para os vermos mais completos e reais, e que, apesar destes sentimentos e experiências servirem de obstáculos para o final feliz, vão obrigar a que todas as peças do puzzle se encaixem de forma harmoniosa apesar de tudo, e acabar a história de forma gloriosa!
Temos presente temáticas como a realidade dos casamentos, no que eles se transformam; adultério, como é uma tentação que as pessoas nem se esforçam em lutar contra e conseguem viver anos com esse peso que entretanto desaparece, como essa tentação só não é vencida quando o amor não é verdadeiro; a morte do bebé e da sua mãe, os buracos, mesmo pequenos, que deixam num coração ou numa alma e que nunca são preenchidos ou esquecidos; a maneira como homem e mulher lidam com essa perda; a responsabilidade parental de um filho; o preconceito e o orgulho (sim, este poderia ser quase um remake da obra de Jane Austen); como as almas gémeas vencem qualquer e quantos obstáculos se lhes surge, mesmo quando os opostos tentam não se atrair. E não vou enumerar mais se não daqui a pouco ponho a história toda por pontos, apesar de nenhuma lista substituir a leitura desta obra desta artista que eu tanto adoro e venero.
Mais uma história lindíssima que recomendo e fico feliz em ter lido.
Se têm tensão alta ou corações fracos, esta história não é para vocês!

Todos os dias eu rezava para que o meu marido me amasse novamente.
Depois de quinze anos juntos, afastou-se de mim e nos braços de outra.
Não sabia como lidar. Não sabia o meu valor. Não sabia como existir sem ele ao meu lado.
Tudo que eu queria era que ele voltasse para mim.
Então, Jackson Emery apareceu.
Deveria ser uma distracção para minha mente. Uma aventura de verão. Um impulso de confiança para o meu coração magoado.
Nós éramos perfeitos um para o outro, porque nós dois sabíamos que não duraria. Jackson não acreditava em compromisso e eu não acreditava mais em amor. Ele era muito fechado e eu estava muito danificada.
Tudo estava bem, até que uma noite o meu coração pulou uma batida.
Não esperava que ele me fizesse rir. Para me fazer pensar. Para fazer a minha tristeza desaparecer um pouco.
Quando o nosso tempo acabou, o meu coração não sabia como ir embora.
Todos os dias rezava para que o meu marido me amasse novamente, mas lentamente as minhas orações começaram a mudar para o homem que não era certo para mim.
Eu rezei por mais um sorriso, mais um beijo, mais uma risada, mais um toque ...
Eu rezei para ele ser meu.
Mesmo sabendo que seu coração não estava destinado a amar.

Opinião Contemporânea: "Dating You/Hating You" de Christina Lauren


A minha estreia com estas duas escritoras (sim, são duas: Christina Hobbs e Lauren Billings) começou com este livro único, ignorando as séries já escritas.
Apesar das sinopses serem prometedoras, curiosamente nunca senti impulso para pegar nelas e por isso decidi experimentar um livro sozinho e provar a ver se gostava. Posso já dizer que não é mau, mas apesar das coisas positivas que vou enumerar em seguida, o entusiasmo final não foi assim tão grande para classificar com mais de 3 estrelas.
Carter e Evie vivem então este prelúdio na bem conhecida Hollywood, que para mim foi um cenário novo. Penso que nunca tinha lido nada que se passasse lá, o que contribuiu para um ponto positivo e novo, mas que como teve escassas descrições de cenário, acabou por ser um pouco discreto e passar-me ao lado.
Tendo lido o Odeio-te e Amo-te de Sally Thorne e não conseguindo não comparar, penso que foi o que acabou por me fazer gostar menos deste romance. Sim, a história de Carter e Evie começa com eles a terem uma ligação fora do trabalho e depois acontecerem n armadilhas do destino que vão trazer os seus lados humanos mais negativos ao de cima, mas que no final o vilão é outro e é castigado; e na de Lucy e Joshua a construção e evolução do amor é toda da responsabilidade apenas deles os dois. Mas a ideia base é a competitividade vs amor e essa é a mesma.
Em Dating You/Hating You achei que as personagens deixaram-se ser demasiado influenciadas, tanto pelos vários "vilões", como pela ganância. E aqui, ao longo da leitura, achei que se quebrou ali a ligação e por isso também a empatia com os personagens. Além disso, existem demasiadas personagens secundárias, com pequenas histórias que não interessam à história.
O final, obviamente arranjado para uma resolução rápida, não me surpreendeu minimamente.
Mas a maior culpa foi a personalidade submissa de Evie para com o chefe e toda aquela energia negativa do machismo que está constante nestas páginas. Mais uma vez, este tipo de personagens femininas e protagonistas repelem em vez de atrair a minha empatia e interesse, e neste caso, as autoras nem sequer corrigiram a questão, ou seja, a personagem não evoluiu nada! A história no geral resolveu por ela.
Joshua por seu lado também não foi muito melhor e colocou sempre o seu medo pelo futuro e desemprego à frente, mesmo tendo a prova que ele era bastante capaz.
Ao contrário do livro de Sally Thorne, aqui as altercações entre o casal não foram tão animadas nem com "tiradas" inteligentes, contribuindo assim para mais um ponto contra nesta comparação e por isso conclusão final.
De qualquer forma, vou querer ler mais destas autoras, e esperar ler sem qualquer tipo de interferências de "fantasmas" de outros livros semelhantes, para poder fazer uma avaliação mais individual.

Carter e Evie imediatamente se conectam e a tensão sexual é inegável, embora o surgimento de um romance seja pouco provável em razão de um encontro embaraçoso numa festa de Halloween.
Além disso, mesmo o facto de que ambos são agentes de talentos de firmas concorrentes em Hollywood não é suficiente para apagar o fogo. Mas, quando as duas agências se fundem – fazendo com que a dupla concorra ao mesmo cargo –, tudo se torna imprevisível. O que poderia ter sido o desabrochar de um belo romance se transforma em guerra declarada de sabotagem mútua.
Carter e Evie são profissionais de trinta e poucos anos – então por que não podem agir como tal? Será que Carter vai parar de tentar agradar a toda a gente e ver como o chefe de ambos está a fazer jogo? Será que Evie pode deixar de lado a sua natureza competitiva por tempo suficiente a fim de descobrir o que realmente quer na vida? Será que seus clientes, os actores, podem ser mais humanos?

Pausa para Chocolates: "A Terra, o meu Rabo e outras Coisas Grandes e Redondas" de Carolyn Mackler


Quando não estamos viradas para um género o melhor é fazer uma pausa. 
Este livro parece-me bem leve e já está emprestado há demasiado tempo!
Uma história surpreendente, de uma autora premiada, e que nos dá uma lição de vida, a importância de nos aceitarmos tal como somos. Virginia Shreves, de 15 anos, tem um peso acima da média, poucos amigos, e um complexo de inferioridade enorme, especialmente quando comparada com a sua família perfeita e… magra. Até que um dia recebe um telefonema chocante — e uma acusação horripilante — sobre o irmão, o deus do râguebi, que mudará tudo.

Opinião Young-Adult: "Nunca, Nunca - Parte III" de Colleen Hoover e Tarryn Fisher


Opinião de Nunca, Nunca - Parte I e Nunca, Nunca - Parte II

Esta trilogia é composta, a meu ver, por três contos e não três livros, já que cada história é relativamente curta e como fazem parte de um todo, espero que sejam publicados como isso. Separados são demasiado pequenos e a pausa que é feita de parte para parte só contribui para o suspense e o mistério, mas se for vendido como três partes acho que não valerá o dinheiro.
Conhecendo Colleen Hoover, mas não conhecendo Tarryn Fisher, posso mesmo assim reconhecer o contributo de cada uma. Continuo por isso a achar que Colleen Hoover ganha muito mais em escrever sozinha. Apesar de ter achado um romance mais fraco que todos os outros que li da autora, acredito que este livro reunido num só, sem grandes pausas e com um pouco mais de desenvolvimento estaria à altura de todos os outros.
O romance está lá, mas as personagens, mesmo com todos os obstáculos por que passam, pareceram me tão imaturas. O amor também está presente, mas em 90% das partes achei que era demasiado unilateral, já que Charlie apenas demonstra esse amor mesmo no final.
Há envolvimento de outras personagens, mas nem as considerei secundárias, já que elas estão presentes mas o seu contributo é nulo. Se não estivessem lá, a acção desenrolar-se-ia na mesma ou semelhante.
Achei que ficaram muitas pontas soltas, principalmente nas suas relações com os pais e entre estes. O passado é mencionado, mas não é bem desenvolvido. Existem personagens que surgem na primeira e na segunda parte, que depois desaparecem de repente - o que contribui para uma maior descontinuidade entre as partes, já não bastando termos três princípios e três finais.
A escolha dos nomes também me pareceu algo confusa, mas já percebi que é uma das características desta autora, já que não é a primeira obra em que isto me acontece.
No geral, é uma historia muito querida, em que a inocência dos personagens é o que nos cativa. Adicionando ao que eu já disse, se esta fragilidade fosse mais desenvolvida ou aproveitada, este romance poderia ser algo muito mais cativante. Assim, são só dois protagonistas sem memória, que se vão recordando aos poucos, mas que estão constantemente a voltar à estaca zero. No final, temos uma conclusão um pouco diferente do que esperava na primeira parte, mas muito fraca em relação ao que esperava na segunda.
Estou curiosa para saber se sou só eu que vejo estes pontos todos como fracos e se estou a ser demasiado exigente. Só sei que ainda bem que os li com períodos de tempo tão espaçados, porque assim consegui relembrar apenas os pontos positivos que ficaram na memória e começar a parte seguinte com mais entusiasmo do que com que finalizei a última.

Juntos, Silas Nash e Charlize Wynwood devem olhar mais fundo no passado para descobrir quem eram e quem querem ser. Com o tempo a passar, o casal corre para encontrar as respostas de que precisa antes de perder tudo.
Eles podem recuperar o que já tiveram? E restaurará quem eles eram uma vez?

Opinião Contemporânea: "A Verdade Nua" de Vi Keeland


Este foi talvez o livro que gostei menos da autora. Posso culpar o facto de ter sido o último de muitos seguidos e já estar um pouco saturada do esquema que autora usa ser sempre o mesmo. Mas acho que a culpa foi mesmo dos personagens.
Achei-o demasiado carente. Achei-a demasiado insegura. Faltou aqui aquela garra que gosto tanto de identificar nos personagens, sendo o ideal nos dois, mas no mínimo num. Neste caso, nem um nem outro.
A questão de transferirem o sentimento que têm em relação ao fracasso dos pais para a própria vida já é muito usada, para além de ser uma justificação muito fraca e que aumenta o drama desnecessariamente. Não senti qualquer empatia nestas cenas porque, no meu ponto de vista, não passa disso mesmo... uma desculpa para criar ali ou uma ligação entre personagens, mesmo que fraca, ou então afastá-los, dando lugar àquele impasse típico num romance que teria tudo para ser cheio de atracção.
A doença que surge quase no final ainda é o que trás algo mais inesperado e foi talvez aí que me liguei à história. Apesar de ser mais um ponto dramático num romance com um inicio muito picante e sexy, achei que foi bem inserido na história e que aqui sim, as personagens criam uma ligação conseguem criar empatia até com o leitor.
De qualquer forma as faíscas perdem-se com tanto drama e acaba por ficar monótono, o que não é nada habitual nos romances de Vi Keeland.
Mesmo as pequenas cenas de sexo que vão acontecendo já não têm aquela "magia" e por isso acabei por me desiludir com todos estes pontos que mencionei.
Mas Vi Keeland continua a ser uma das minhas autoras preferidas do ano e claro que um romance mais fraco não me vão fazer desistir de ler os seus outros livros. Continuo a recomendá-la!


Foi apenas uma segunda-feira típica.
Até o grande chefe me pedir para fazer o discurso para um novo cliente em potencial.
Depois de dois anos em solo instável no trabalho por causa do meu estrago, uma oportunidade para impressionar os parceiros seniores era exactamente o que eu precisava.
Foi o que pensei...
Até que entrei na sala de conferências e colidi com o homem que eu deveria conquistar. O meu café entornou-se, os meus arquivos caíram no chão e quase perdi o equilíbrio. E essa foi a parte boa do meu dia. Porque o homem lindo que se agachou e olhou para mim como se quisesse comer-me viva, não era outro senão meu ex, Gray Westbrook.
Um homem que eu apenas comecei a seguir em frente à pouco tempo.
Um homem que o meu coração desprezava, mas que o meu corpo obviamente ainda tinha outras ideias.
Um homem que era tão carismático e confiante quanto era sexy.
De alguma forma, consegui passar pela minha apresentação ignorando o seu olhar intenso. Embora fosse impossível ignorar todas as coisas sujas que me sussurrou ao ouvido logo depois de terminar.
Mas de jeito nenhum eu lhe ia dar outra hipótese, especialmente agora que ele era um cliente… seria?