Chiado Editora,

Opinião Contemporânea: "A força do destino" de Susana Esteves Nunes

janeiro 30, 2015 Mafi 5 Comments

Bem o pior livro de 2015 está conhecido: A Força do Destino. Vamos à opinião. Spoilers.

A Força do DestinoEste livro, que se lê num ápice, é fraco. E é fraco porquê? Porque mais parece um livro ainda em rascunho e não um trabalho final. A julgar pela quantidade de erros de construção que o livro tem, percebe-se que falta-lhe muita revisão. Que deveria ter sido feita pela editora mas provavelmente não foi. E isto cobre logo uma grande fatia do porquê o livro ser mau. Com uma boa revisão, o livro melhorava muito, mas cheio de erros de revisão, peca bastante.

Até achei o livro com potencial mas também tem outro grande problema: a falta de profundidade do livro. E em tudo, seja enredo como personagens. Uma estória de amor, que vai desde os protagonistas serem desconhecidos um do outro até terem um filho...em menos de 200 páginas. Obviamente achei tudo muito corrido e não há qualquer densidade no livro. A autora podia ter ido por dois caminhos: ou escrevia um livro mais longo e trabalhava melhor a estória, ou ficava-se pelo curto e não avançava tanto na relação dos dois protagonistas. É que todos os acontecimentos em catadupa, pareceram mesmo forçados e tudo muito atabalhoado.

Como tinha acabado de ler o livro da Liliana Lavado quando fui pegar neste, senti uma disparidade gritante na escrita. A autora ainda está num patamar inferior a outros livros de autores portugueses que leio mas tem bastante capacidade para melhorar. 

Foi uma estreia pouco satisfatória e retirando todas as falhas apontadas, a estória até tinha potencial para ser um livro comovente, perfeito para qualquer romântico incurável mas infelizmente a mim não me convenceu de todo. 

Sinopse:



5 comentários:

  1. Olá!

    Que pena que não gostaste! É sempre uma desilusão quando lemos um livro e não é nada de especial. Principalmente se acabamos de ler um bom livro.
    O próximo será melhor!

    Beijinhos e boas leituras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O outro que comecei a ler deste também não foi muito bom não xD acabei por desistir...vamos a ver se agora a minha leitura actual é boa :)

      beijinhoo

      Eliminar
  2. Max qual editora? Um vanity publisher não é uma editora. É alguém que pega num Word e cobra ao autor para por em livro. Não faz mais nada, nem rever nem tentar vender no mercado. Por isso é que faz parcerias com todos os Blogs para despachar os livros que imprime e ninguém vai comprar. E claro que o que publica são os livros rejeitados pelas outras editoras. A única surpresa aqui é ainda opinares como se fosse um livro a sério.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá António, obrigada pelo comentário.

      Sim eu sei disso tudo e acho muito mau como ainda operam no mercado e conseguem 'editar' tantos livros por ano.
      Quanto ao opinar como se fosse um livro a sério...bem eu própria digo que mais parece um rascunho do que um livro finalizado, e um rascunho não é um livro...mas ele foi impresso em formato livro, portanto opinei assim, se é a sério ou a brincar, isso já não sei. Para a autora de certo será. Para mim...em fevereiro já nem me devo lembrar de nada deste livro ;)

      Eliminar
    2. Epá o que é isso "livro" a sério? *questão filosófica*

      Eliminar

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!