Jojo Moyes,

Opinião Contemporânea: " Viver Sem Ti" de Jojo Moyes

maio 25, 2018 Inês Santos 0 Comments


Para quem leu a minha opinião do primeiro livro sabe que não fiquei assim tão fã pela história, mas gostei na mesma. Ora, este segundo para mim acabou por ser algo confuso em termos da minha opinião pessoal, já que quando o terminei era mais o sentimento de não ter gostado do que o de ter gostado, mas acabei por dar uma classificação até boa não só porque a escrita e as personagens de Jojo Moyes são sempre incompreensíveis e compensam tudo o que eu não gostei tanto neste segundo volume.

O que não gostei começa por a Lou estar completamente diferente. Não me lembro dela ter esta personalidade, personalidade esta que só ganha mais para o final.

Não gostei do "fantasma" permanente de Will. Ok, tem que haver um luto, mas a autora acabou por misturar muita quantidade do Passado num Presente que tinha tudo para correr melhor. Tendo surgido uma personagem importante que tomou conta muitas vezes do papel da protagonista (e que eu não gostando assim tanto) acabou por apagar um pouco o interesse e por isso o meu ritmo de leitura, o que me fez demorar imenso a ler este livro já que parecia que a história estava numa espécie de loop, sempre em volta do emprego de Lou e da vida desta personagem. As outras personagens que são transportadas do primeiro livro para este também acabaram por servir de "enchimento" a meu ver. Eu não me consegui entusiasmar com esta parte (enorme) da família que tanto me encantou no primeiro.
Aquele trabalho de Lou e aquele chefe, enfim. Nem sei que diga. Já para não falar da participação de Nathan, que apesar de ser secundário no primeiro livro, aqui nem sei bem para que foi referido. Penso que bastava só a sua referência/participação apenas no final que daria no mesmo. 

Gostei do grupo de apoio e dos seus constituintes, apesar de depois ter começado a ficar algo repetitivo, já que eles acabam por dizer quase a mesma coisa. Também era dispensável aquela última festa que só serviu para discursos melosos e para dar um final a este livro.

Gostei de Sam. Foi sem dúvida o melhor personagem nisto tudo, mas que infelizmente aparece muito pouco para o meu gosto. Adorei a última cena da ambulância (esforço máximo para não fazer spoiler) que talvez tenha sido a melhor cena de todas. Também gostei da cena do acidente que acabou por dar logo ali uma emoção inicial. Tenho pena é de só considerar estas duas cenas as mais entusiasmantes.

Acho também que o facto de já ter visto o primeiro filme, me faz imaginar as personagens iguais aos actores escolhidos, o que muitas vezes não correspondeu bem às primeiras, principalmente a Lou e principalmente com aquela roupa de trabalho.

Sinceramente não estava muito entusiasmada com este e ainda estou menos com o próximo, por isso, se o ler, será só daqui a muito tempo quando me esquecer deste. Por enquanto vou continuar a ler as outras obras da autora.
Como seguir em frente depois de se perder a pessoa amada?
Como construir uma vida que valha a pena ser vivida?
Louisa Clark já não é uma jovem banal a viver uma vida banal. O tempo que passou com Will Traynor transformou-a, sendo agora uma pessoa diferente que tem de enfrentar a vida sem ele. Quando um insólito acidente obriga Lou a regressar a casa dos pais, é impossível não sentir que está de volta ao ponto de partida.
Lou sabe que precisa de um empurrão que a traga de novo à vida. E é assim que acaba por ir parar ao grupo de apoio Seguir em Frente, cujos membros partilham sentimentos, alegrias, frustrações e bolos intragáveis. Serão também eles que a levarão até Sam Fielding – um paramédico que trabalha entre a vida e a morte, e o único homem que talvez seja capaz de a compreender.
Mas eis que uma personagem do passado de Will surge de repente e lhe altera todos os planos, lançando-a num futuro muito diferente…. Para Lou Clark, a vida depois de Will Traynor significa reaprender a apaixonar-se, com todos os riscos que isso implica.

0 comentários:

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!