Julie Johnson,

Opinião New-Adult: ''Numa ilha deserta'' de Julie Jonhson

agosto 11, 2018 Mafi 0 Comments





Como sabem li há uns meses ''Sozinhos na Ilha'' um livro que já foi lançado há uns anos mas só agora consegui pegar nele e a verdade é que percebi que adoro este tipo de histórias de sobrevivência, tanto em climas tropicais ou de neve como ''A montanha entre nós'' do Charles Martin.

40655450Por isso quando vi este lançamento da Quinta Essência (editora que hoje em dia raramente leio), decidi apostar nesta nova autora. 
Julie Johnson era uma autora desconhecida para mim mas posso dizer que este livro encheu-me as medidas, pois gostei dele.
Violet é uma rapariga de 17 anos, de uma pequena cidade e que está farta da sua vida normal. Antes de entrar na Universidade candidata-se como tutora de uma menina de 6 anos, filha de um casal muito rico que vai numa viagem até uma ilha deserta do Pacífico. Violet nem pensa duas vezes na possibilidade de viajar para um lugar tropical, totalmente de graça. A acompanhar o casal e a filha está também Beck, um fotógrafo profissional, rude e pouco simpático mas claro extremamente atraente. 
Os dois são apenas os únicos sobreviventes do acidente que se dá e terão de aprender a sobreviver aos perigos de uma ilha deserta mas também e um ao outro. 

Como o livro é contado apenas do ponto de vista da Violet, nós só temos a visão dela mas também percebemos que é uma personagem cheia de força, embora a sua tenra idade. A química dos dois protagonistas é evidente e tal como no livro ''Sozinhos na Ilha'' a questão da diferença de idade entre Violet e Beck é um um dos tópicos do livro embora a autora não aprofunde muito esta questão (na minha opinião até porque a diferença entre eles não é assim tão grande como no ''Sozinhos na Ilha'').

O que me desapontou um pouco no livro foram as demasiadas semelhanças com a obra da Tracey (também porque o li há pouco tempo) e o final. Foi tudo muito apressado e senti falta de um capítulo final ou de um epílogo. Segundo o Goodreads haverá um segundo livro e espero que tenhamos mais respostas às pontas soltas que ficaram no final deste primeiro livro. 

No geral eu gostei do livro e lê-se muito rápido mas acho que poderia ser melhor. Mesmo assim o livro tem o seu mérito e veremos se quando sair o segundo terei vontade de o ler. 

Assim que o vi, no terminal do aeroporto, soube que era um cretino. Percebi logo que são homens como ele que os pais temem. Arrogantes, maldispostos, mas… de cair para o lado!
Felizmente, não teria de o voltar a ver… ou, pelo menos, foi isso que pensei.
Não podia prever que o avião ia cair.
Não podia saber que seríamos os únicos sobreviventes.
Nunca me passou pela cabeça que, um dia, seria ele o meu porto de abrigo.
É que a vida na ilha é uma luta constante. Para sobreviver, mas também para não ceder à tentação. Sei que é errado desejá-lo, por todos os motivos e mais algum. Mas o tempo vai passando, e a carne é fraca…
Eu, a jovem e inexperiente Violet Anderson. e ele, o famoso fotógrafo Beck Underwood.
Se não aparecer alguém para nos salvar em breve, receio que irei mergulhar nele… e morrer afogada… 


0 comentários:

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!