Lori Nelson Spielman,

Opinião Contemporânea: "Um ano para ser feliz" de Lori Nelson Spielman

julho 17, 2016 Mafi 0 Comments





Nos últimos dias de Junho devorei um livro da autora Lori Nelson Spileman e podem ver a minha opinião aqui. De seguida fiz algo que raramente faço, a não ser com livros de séries, peguei  logo no outro livro da autora e com alguma pena minha não consegui gostar de "Um ano para ser feliz" como gostei do "Sweet Forgiveness"

A sinopse é bem explicativa e resume bem a premissa do livro. Basicamente temos Brett Bohlinger que parece ter uma vida de sonho com um emprego estável, um namorado que a ama e uma casa moderna até ao dia em que a mãe morre e a sua vida muda completamente. Iludida ao pensar que vai receber não só a direção da empresa da sua família como a sua parte da herança, Brett descobre que a mãe tinha outros planos para ela e que para receber a sua parte de qual é herdeira tem de completar uma lista de sonhos que fez quando...era adolescente. Ao princípio Brett não entende o objectivo da mãe mas a pouco e pouco vai perceber que os desejos ingênuos de há anos atrás são pequenos sonhos que ela própria sempre quis realizar.

Talvez a decisão de ter lido este livro logo após a te acabado o outro da autora, não tenha sido a mais acertada. E porquê? Porque achei os livros muito semelhantes. Apesar deste ser o primeiro livro que a autora escreveu, o que senti durante a leitura foi um deja-vu, pois achei tudo muito semelhante. Ou seja, mesma fórmula só mudava a situação da protagonista e os nome das personagens. As semelhanças até são óbvias logo na sinopse. Nos dois livros temos duas protagonistas que estão bem com a vida, têm empregos de sonho e relações estáveis mas que afinal não estão bem assim. Achei que o tema da list de desejos já um pouco batido. Depois a autora também foi matreira, meteu lá o advogado pelo meio e uma pessoa a pensar que entre ele e a Brett ia haver qualquer coisa e depois...bem não conto porque é spoiler.
Toda a jornada de realizar os desejos foi engraçada mas lá está, ao mesmo tempo é parvo uma pessoa ter de fazer algo de uma lista que escreveu quando era adolescente só para receber algo que é dela por direito...porque é que os irmãos da Brett não tiveram de fazer o mesmo? Achei a base do livro um bocado parva sinceramente. Por exemplo no outro livro da autora, é a própria protagonista que vai à procura da sua felicidade, aqui é imposta à Brett. Claro que no final já sabemos que a Brett vai ter uma vida muito mais feliz do que tinha no início do livro. 

Foi uma leitura agradável e talvez para quem leia primeiro este livro e depois o outro, ache que o "Sweet Forgiveness" é que é semelhante a este e não o contrário (e na verdade é, porque este foi lançado primeiro) mas acho o segundo trabalho mais superior a este. Pelo que pesquisei este livro já teve os direitos vendidos para o cinema, vamos lá a ver se chega aos nossos ecrãs. 

O que faria se tivesse um ano para mudar a sua vida?
A vida de Brett parece um sonho: tem um namorado irresistivelmente bonito, um loft espaçoso, um trabalho muito bem pago, e um grupo de amigas divertidas. Até que a sua mãe morre e deixa no testamento uma condição: para receber a sua parte da herança, Brett deve completar, em apenas um ano, uma lista de desejos e tarefas que escrevera quando era uma ingénua menina de catorze anos.• Ter um filho, talvez dois
• Arranjar um cão
• Ir a Paris
• Ser amiga da Carrie para sempre!
• Ajudar os pobres
• Comprar um cavalo
• Apaixonar-me
• Atuar ao vivo num palco supergrande
• Ter uma boa relação com o meu pai
• Ser uma grande professora!...
Brett, contudo, já tem 34 anos. Com relutância, ela embarca numa jornada emocionante para cumprir os seus sonhos de menina, acabando por repensar a sua vida e descobrir a felicidade.
Um romance de estreia que nos mostra que, às vezes, as melhores dádivas da vida surgem nas alturas mais inesperadas. 



0 comentários:

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!