31 de janeiro de 2015

Opinião Histórica: "A Bela e o Vilão" de Julia Quinn


Mais uma vez, um obrigada à minha querida Cata que me disponibilizou estes maravilhosos livros em inglês que me satisfizeram da primeira à última página.
A Bela e o Vilão não ficou muito atrás dos cinco anteriores, como podem ver pela classificação em baixo. Mas ao contrário da história de Eloise que foi mais um 3,5 que um 4, este quase que chega ao 4,5, e porquê, perguntam vocês (ou não)? Porque eu tenho um fracão (fraquinho muito grande) por trios amorosos, principalmente se o terceiro elemento for um borracho-bff.
Pois é, Michael Stirling é um exemplo óptimo do meu personagem masculino num romance. Moreno, de olhos verdes/cinzentos (já não me lembro, mas não sou esquisita na cor), com um sentido de lealdade muito apurado e o típico bad boy que está mortinho (sonha com isso e tudo) que a mulher do melhor amigo olhe para ele com outros olhos sem ser de amiga. Ele aqui sofre imenso e ainda por cima a nossa Francesca gosta mesmo do marido e nem quando ele vai para os santinhos ela coloca os óculos e repara que o homem lindo e maravilhoso que a acompanha no luto está caidinho por ela. Enfim, o meu drama preferido *.*
Gostei também desta obra ser um antes e um depois. Quer dizer, já sabíamos que Francesca estava viúva, mas eu sempre me perguntei porque é que Julia Quinn não desenvolvia esta parte nos volumes anteriores. Sinceramente, esperava que o romance pré-morte fosse o assunto desta obra, afinal foi só 30%, mais ou menos, o que acaba até por torna-la muito mais sólida e com muito mais história. Aqui temos antes, inicio, meio e fim do romance entre Michael e Francesca.
Coisas menos positivas, foi talvez a incerteza de Francesca e a lealdade para com o falecido, tanto da parte dela como de Michael. Ok, percebe-se e até se eles se atirassem logo um ao outro estragava as personalidades impecáveis deles, mas penso que a autora exagerou um pouco ali no meio, esticando demasiado a massa e secando um pouco a história. A sorte dela, e a nossa, é que quando finalmente tudo se começa a resolver nós esquecemos o tal impasse e lemos A Bela e o Vilão com super-cola 3 nos nossos dedos e olhos.
Como é óbvio, recomendo!
Sinopse:
Libertino. Devasso. Debochado. Três adjetivos que podiam descrever Michael Stirling na perfeição. Bem conhecido nas festas londrinas, quer desempenhasse o papel de sedutor ou o papel de seduzido, uma coisa era certa: nunca entregava o coração. Ele teria até acrescentado a palavra “pecador” ao seu cartão de visita se não achasse que isso mataria a pobre mãe.
Mas ninguém é imune ao amor. Quando a seta de cupido atinge Michael, dá início a uma longa e tortuosa paixão – pois o alvo dos seus afetos, Francesca Bridgerton, tem casamento marcado com o seu primo.
Mas isso foi antes. Agora, Francesca está novamente livre. Infelizmente, ela vê Michael apenas como um ombro amigo – até à fatídica noite em que lhe cai inocentemente nos braços, e a paixão se revela mais poderosa e intensa do que o mais perverso dos segredos…

2 comentários:

  1. Ai, que inveja, só de pensar que já são dois livros que ainda não li desta série! Se tivesse de escolher aquela série que nos últimos dois anos não quis largar, seria mesmo esta :)
    Beijinho

    ResponderEliminar
  2. Ups não tinha visto este post ainda :D Já entrou para a wishlist, como não gostei tanto da história da Eloise, como das outras tinha um bocado de medo que a série estivesse a perder qualidade. Mas assim sendo tenho mesmo que ler.

    ResponderEliminar

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!