31 de outubro de 2013

Opinião Erótica: "Frutos Proibidos" de Sylvia Day


Sylvia Day depois de se ter estreado em terras lusas com a sua série mais famosa, apresenta-se agora numa editora diferente e num estilo divergente da sua linha erótica. Já li os três volumes que compõem a série Crossfire e digo já que não leio mais nenhum, a autora perdeu-se completamente com a série. Mas, embora não queira ler mais nada de uma trilogia não implica que não leia mais nada da autora e foi com agrado que comecei esta leitura. O livro no seu original já foi publicado há uns anos, até porque ao contrário do que muitos pensam, Sylvia Day já tem uma carreira de anos com um sucesso razoável tendo apenas, só agora, conquistado um patamar mais elevado e uma enorme legião de fãs.

"Frutos Proibidos" apresenta-nos um novo mundo. Fugimos da era contemporânea e entramos no mundo sobrenatural dos Sonhadores e Guardiãos. A premissa do livro até é bastante interessante e o conceito de toda a estória interessou-me desde logo. Já há algum tempo que não lia nada nesta vertente de romance sobrenatural adulto e estava à espera de ficar deslumbrada com este cunho de Day.

Frutos Proibidos (Dream Guardians, #1)Não fiquei. Infelizmente o livro não foi aquilo que eu esperava. Não quer dizer que é um livro mau porque não é. Toda a base do livro, de haver dois mundos paralelos, em que os guardiãos (imortais) protegem os sonhadores (humanos) de terem pesadelos. Lysa é uma dessas mulheres, que desde jovem que tem dificuldades em dormir e por isso a sua saúde não é das melhores. Aiden é encarregado de entrar nos seus sonhos e trazer-lhes alguma paz. Estes não se apoderam dos sonhos quando já estamos em um sono profundo mas quando estamos entre o limiar do acordar e adormecer. É desta forma que começa o romance de Aiden e Lysa, repleto de sexo e muita paixão, isto tudo nos sonhso de Lysa, até esta acordar e lembrar-se muito vagamente do que aconteceu, assim como todos nos lembramos, apenas às vezes, dos nossos sonhos.

Claro que o romance teria de ser posto em perigo por alguma razão e aqui o mal luta contra o bem na procura de uma Chave, o elemento que irá acabar com a guerra travada pelos Nightmares e pelos Dreamers. A Chave é nada mais nada menos que uma pessoa (e com isto já devem ter percebido quem é) que tem um poder, que só é revelado a poucas páginas do fim

Apesar da originalidade da história, acho que a autora perdeu o rumo da estória e tudo começou a parecer sem nexo. O world-building precisava de ser muito mais desenvolvido antes de apresentar a personagem principal a Lysa. Sabemos que há um uma guerra por trás da busca pela Chave, em que uns consideram que é um mito, algo que não existe mas não sabemos as origens dessa Chave, o propósito que ela tem, aliás só o ficamos a saber no fim e para mim não foi a melhor opção no enredo. Ainda relacionado com o mistério da Chave, foi tudo muito previsível descobrir a indentidade de quem a possui e a partir daí todo este contexto é posto em segundo plano pelo romance entre os dois protagonistas. Também é notório a pouca explicação de como se faz a passagem de um mundo para o outro, fiquei muito confusa de como o Aiden movia-se entre um e outro e houve várias vezes que esta passagem não foi clara.

Fiquei bastante surpreendida pela falta de química entre o casal. Normalmente e pelos 3 livros que já li da autora, ela sabe (e bem!) descrever uma relação e todos os sentimentos inerentes mas achei o Aiden e Lysa muito sem sal! Toda a paixão que a autora falava não conseguiu captar o meu interesse pelos dois. Como personagens singulares, gostei bastante de ambos. Sinceramente fiquei feliz porque tenho aqui a prova como a autora consegue criar personagens adultas sem parecerem típicos adolescentes com as hormonas aos saltos, como é o caso do Gideon e da Eva (série Crossfire). Achei-os muito maturos e gostei bastante de a autora ter inserido o tema de as dificuldades em dormir, algo que sofri há uns tempos atrás e sinceramente é algo que não desejo a ninguém. Quando ao Aiden, é um pouco como todos os protagonistas masculinos de romance sobrenatural, luta pelo bem e ama a sua amada. O que mais poderíamos pedir?!

Quanto às cenas de sexo, Day é mestre neste tipo de cenas e não me choquei em nada, apenas achei que eram um bocado longas e constantes, por mim seriam em menor número, deixando espaço para outro tipo de temas, que como referi acima, pecaram por não terem sido explorados.

O que me leva a ficar bastante indecisa quanto a esta leitura é que, apesar de ter os seus pontos fracos, é o início de uma série e como tal tem bastante margem para crescer e responder às lacunas que apontei. Não sei se irei continuar a acompanhar a série, ou pelo menos na edição portuguesa, desculpem-me mas 18€ por este livro é um roubo! Não foi um livro que me encantasse mas tenho esperança que a autora tome um rumo mais virado para a acção e deixe o romance um pouco de lado.

Quanto à tradução, enfim a SDE já nos habituou ao pior portanto esta até escapa mas algumas palavras não foram correctamente utilizadas, ainda pode melhorar.


Pleasures of the Night (Dream Guardians, #1)Título Original: Pleasures of the Night
Edição: Novembro 2013
ISBN: 9789897100758

Outros livros da autora:
Rendida (Crossfire, #1)Refletida
                                               Opinião                   Opinião                 Opinião

1 comentário:

  1. o pessoal aqui no Br surtou por causa desse livro, mas ai viram q o lançamento não era aqui

    pena que o livro não era o q vc esperava, mas pelo menos não é ruim

    bjo

    Pah - Lendo e Escrevendo

    ResponderEliminar

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!