7 de outubro de 2016

Opinião Histórica: "A melodia do amor" de Lesley Pearse





Já não lia nada de Lesley Pearse há uns bons anos e portanto com a notícia de mais um livro a sair cá em Portugal, decidi pegar num dos mais antigos que tenho para ler.

A escolha recaiu sobre "A Melodia do Amor" por ser mesmo o mais antigo da autora a habitar na estante e embora com um tamanho de 500 páginas, foi lido em 4 dias, sempre com o mesmo entusiasmo.

Temos mais uma vez uma protagonista feminina, a Beth, que é muito parecida às outras protagonistas de outros livros da Lesley. Gostei muito da Beth, porque é fácil gostarmos dela e d sua força de vontade em ter uma vida melhor mas sinceramente este é o papel de todas as protagonistas dos livros da Pearse, a autora neste sentido só escreve esta personagem-tipo, podia mudar um pouco.

12824082Tal como também outros livros da autora que já li, é um livro que nos mostra muitos lugares diferentes, desde as cidades que estavam a emergir, aos bairros mais pacatos da América, e é sempre engraçado ir acompanhando a jornada da protagonista durante tantos locais diferentes, sempre companhada do seu violino.

E impossível resumir a estória e o melhor dos livros da Lesley é apenas saber o básico. Aconselharam-me a não ler a sinopse e ainda bem que o fiz porque tem um spoiler grande que é na verdade o ponto de partida da viagem de Beth até à América.

Gostei  muito da estória da irmã e gostei ainda mais da relação da Beth com o irmão.
Em relação ao romance, custou mas ela lá ficou com quem eu queria. Também gostei muito da componente musical que o livro tem, eu não sei tocar nenhum instrumento mas gosto quando há sempre assuntos de música em livros.

Uma nota que não gostei foi a tradução do título do livro que dá a entender que é um romance lamechas. Aliás acho que o Nicholas Sparks tem um livro com um título muito parecido (aquele que tem o filme com a Miley Cyrus). Já não é incomum a ASA traduzir os títulos da Lesley para coisas que não têm nada a ver e pode ajudar a vender para quem procura um romance mas também pode perder vendas porque as pessoas pensam que é um romance tipo Nora Roberts e afinal não é. 
Portanto tendo em conta que o título original do livro é "Gipsy" ou seja Cigana em português, dado que a Beth é nómada e não pára muito tempo em cada sítio, e mesmo sendo uma palavra que normalmente tem uma conotação negativa acho que tinha ficado bem um título parecido ao espirito da Beth e do livro, sei lá algo como "Alma Cigana" por exemplo. 


É um livro bem dramático como a autora já nos habituou e às vezes pode cansar um pouco o leitor, mas a autora também é inteligente em colocar momentos muito bons entre as tragédias. Só é pena é que às vezes já se torna muito previsível quando está tudo a correr muito bem e ainda faltam 100 páginas para o fim, já sabemos que alguma coisa de mal vai acontecer.

Sendo uma autora já com muitos fãs e eu sendo uma delas, não podia deixar de aconselha este livro, contudo apesar de ser bom, acho que não é dos melhores da autora.  


Liverpool, 1893. Os sonhos de Beth são desfeitos quando ela, o irmão Sam e a irmã mais nova, Molly, ficam órfãos. As suas vidas, até então tranquilas e seguras, sofrem uma dramática reviravolta. Para escapar a um futuro de miséria e servidão, Sam e Beth decidem arriscar tudo, atravessar o Atlântico e partir à conquista do sonho americano. Mas Molly é demasiado pequena para os acompanhar e os irmãos vêem-se obrigados a tomar uma decisão que os marcará para sempre: deixá-la em Inglaterra, a cargo de uma família adoptiva.
A bordo do navio para Nova Iorque não faltam vigaristas e trapaceiros, mas o talento de Beth com o violino conquista-lhe a alcunha de Cigana, a amizade de Theo, um carismático jogador de cartas, e do perspicaz Jack. Juntos, os jovens vão começar de novo num país onde todos os sonhos são possíveis.
Para a romântica Beth, esta será a maior aventura da sua vida. Conseguirá a Cigana voltar a encontrar um verdadeiro lar?


 

4 comentários:

  1. Acreditas que nunca li nada dela? até tenho uns cá em casa, mas acabo sempre por outros à frente dos livros dela...

    ResponderEliminar
  2. Acho que tenho algures um livro desta autora para ler.
    Facto é que ainda não li nada dela.
    ;)

    ResponderEliminar
  3. Tenho de ler este livro! Já li alguns dela e adorei todos eles!

    ResponderEliminar
  4. Adorei este livro, como muitos outros dela. Mas também concordo não acho que este seja o melhor.
    Gostei imenso da opinião e até achei giro a ideia que deste de o titulo do livro ser "Alma Cigana" acho que tinha mais a ver com a historia :D

    ResponderEliminar

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!