8 de julho de 2016

Opinião Histórica: "Predestinado" de Philippa Gregory



Olá bom dia (hoje apetece-me começar assim),
venho apresentar-vos o que penso deste livro que nem é de bolso nem é de tamanho dito normal. Mas como dizem que no meio é que está a virtude temos que dizer que é algo positivo...
Quando olhei para a capa, li a sinopse e olhei para a classificação por tipos do Goodreads fiquei convencida que era algo mais para a fantasia. Acontece que não é. É um romance histórico do tempo em que a igreja mandava em tudo (ainda manda um pouco acho eu) e que tinha lugar a Inquisição. Deus está pouco presente aqui nestas páginas, mas está sim tudo o que o Homem tem de mau. Ok, não posso ser injusta, porque quatro do nosso grupo de cinco que protagoniza a história representam o lado bom humano.
A vertente cristã da história não me atrai minimamente e aqui foi um ponto negativo, mas tentei aceitar que este ingrediente tinha que fazer parte de tudo de forma obrigatória se não metade da história não tinha sentido.
A Mafi, em conversa, disse-me que este livro fazia parte de uma trilogia, o que eu posso já dizer que não vou ler. Li este e chegou-me. Aliás, os volumes seguintes foram publicados pela Topseller, que por sua vez não tem ebooks, o que faz com que eu tenha ainda menos vontade de gastar dinheiro para saber a continuação do livro em assunto.
Quando estava quase a terminar fui ler as sinopses dos próximos e surpresa a minha quando venho que nem no terceiro volume a "atracção" entre Luca e Isolde se resolve! Portanto, estes livros de romances não têm nada, pelo menos em questão a sentimentos como atracção ou amor. Estes livros apenas descrevem uma cruzada de um inquiridor e o seu séquito pelas várias aldeias em que provam que acontecimentos supostamente sobrenaturais são todos falsos e todos têm "mão humana". Confesso que se tivesse sabido que a história era esta nem sequer tinha começado a ler, mas a escrita de Philippa Gregory é muito boa e só isso me levou a ler até ao fim e a dar a classificação que dei. O facto do livro ser pequeno e ter poucas páginas também ajudou a uma leitura 

Estamos em 1453 e todos os sinais apontam para que o fim do mundo esteja iminente. Acusado de heresia e expulso do seu mosteiro, Luca Vero, um atraente jovem de 17 anos, é recrutado por um misterioso estranho para registar o fim dos tempos por toda a Europa.
Obedecendo a ordens seladas, Luca é enviado a cartografar os medos da Cristandade e a viajar até à fronteira do bem e do mal. Isolde, de 17 anos, abadessa, está presa num convento para impedir que reclame a sua enorme herança. Quando as freiras ao seu cuidado enlouquecem com estranhas visões, sonambulismo e exibindo estigmas, Luca é enviado para investigar e todas as provas incriminam Isolde.
No pátio do convento constrói-se uma pira para a queimar por bruxaria. Forçados a enfrentar os maiores medos do mundo medieval – magia negra, lobisomens, loucura – Luca e Isolde embarcam numa busca pela verdade, pelo seu próprio destino e até pelo amor, enquanto percorrem os caminhos desconhecidos até à personagem histórica real que defende as fronteiras da Cristandade e detém os segredos da Ordem das Trevas.

Seguintes:

2 comentários:

  1. Olha que eu até gostei da história... Fiquei fascinada com a moura e com aquela história do suposto lobo. Os protagonistas parecem algo insossos mas a história valeu pelo resto. Ainda não peguei nos livros seguintes, mas fiquei desiludida com essa falta de "resolução" entre os ditos! *suspiro*
    Vamos lá ver...
    Beijinho

    ResponderEliminar
  2. Estive a ver no Goodreads e pelos vistos, está previsto sair um quarto livro em 2017... Que é feito das tradicionais trilogias? -.-"

    ResponderEliminar

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!