24 de fevereiro de 2016

Opinião Histórica: "O Último dos Canalhas" de Loretta Chase



O Último dos Canalhas no Goodreads é considerado o 4º volume, mas por quem traduz é considerado o 2º. Eu como ainda só li dois vou esperar para ler os outros e ver quem tem razão. Até lá vamos confiar no Goodreads, como sempre.
Loretta Lynda Chekani, Chase é do marido, tem subido na minha consideração cada vez mais, já que este livrinho não ficou nada atrás do anterior, pelo contrário, pois ri-me ainda mais neste. Romances históricos com personagens femininas tão fortes e inteligentes e tão cheios de sentido de humor estão no topo das minhas leituras preferidas e por isso este está lá no topo.
Aqui temos Vere, que não tem nada haver com o modelo desta capa (ver em baixo), um canalha já nosso conhecido e que apesar de ter sido humilhado por Dain, vai ser humilhado neste livro também. O homem apesar de grande em todas as direcções recebe pancada por tudo e por nada, mas aqui ele acha-lhe piada e está tão concentrado e ocupado em admirar Lydia Grenville que mal as sente. O que me confunde aqui é que Sua Graça além de ser agredido é gozado pelos pares, o que não coincide com a ideia que vamos ter dele posteriormente. Depois de ele ter ofendido Jess, já esposa de Dain naquele capítulo, e de este último lhe ter dado uma sova valente, nós ficamos com uma imagem dele como alguém bêbado e com pouco intelecto. Ora quem diria que ele iria ser o próximo canalha desta saga e que afinal não era nada do que pensávamos?
À medida que vamos conhecendo o seu Passado, a sua personalidade e com isso o seu coração, Vere vai-nos conquistando aos poucos e muito rapidamente Lydia e até Susan (o mastim da nossa heroína). Falando em cadelas, não gostei dos "Au" do cães. A escritora deve ter achado piada a conversas entre cães e humanos e entre cães e cães. Pessoalmente não achei piada nenhuma.
Afinal este homem grande e forte tem um coração mole e é tão herói quando a sua amada consegue ser. Sim, porque esta personagem feminina é uma espécie de versão Clark Kent, mas humana, com mais vestimentas e com talento para a actuação. É uma mulher cheia de qualidades, com imensas facetas, mas a minha preferida foi a Lydia-resgatadora-das-mais-fracas que adoptou/contratou meninas como Tamsin, o que acaba por desencadear outros acontecimentos.
Achei que o casamento de Bertie Trent e da sua amada foi demasiado repentino, principalmente com a aparição do pai dela. Mas o próprio romance deles também foi um pouco vago, por isso acabou por não destoar muito.
Coralie, a vilã desta história, assemelhou-se a uma das vilãs do filme Stardust, já que apesar da sua maldade é burra que nem um cepo. Ainda estou pasmada como é que a autora conseguiu-me convencer de que esta mulher, se é que se pode chamar isso, conseguiu passar impune tanto tempo. Acabei por não conseguir imaginá-la bem por falta de descrições. É nova ou velha?
Elizabeth e Emily por sua vez foram uma adição tão querida como Dominik no outro livro. Adicionaram ainda mais acção e suspense e ajudaram a mostrar ainda mais o tamanho do coração do nosso protagonista.
Terminando, aqui temos uma obra cheia dos melhores ingredientes: acção, suspense, paixão, humor e muito amor. Temos família de ambas as partes, tempos amigos de ambas as partes e temos uma vilã que também atinge os dois lados. Temos corridas de coches, temos teatro, temos roubos, temos raptos, temos lutas e ajustes de contas, temos cenas de amor e cenas de amizade. Como vêem, este pequeno livro tem um pouco de tudo para todos os gostos e tudo em quantidades q.b. para não amargar ou adoçar demais.

O devasso Vere Mallory, duque de Ainswood, está pronto para sua próxima conquista e já escolheu o alvo: a jornalista Lydia Grenville. Só que desta vez, além de seduzir uma bela mulher, ele deseja também se vingar dela.Ao se envolver numa discussão numa taverna, Vere foi nocauteado por Lydia e se tornou alvo de chacota de toda a sociedade. Agora ele quer dar o troco manchando a reputação da moça. 
Mas Lydia não está interessada em romance, principalmente com um homem pervertido feito Mallory. Em seus artigos, ela ataca nobres insensatos como ele, a quem considera a principal causa dos problemas sociais. 
Nesse duelo de vontades, Vere e Lydia se esforçam para provocar a derrota mais humilhante ao mesmo tempo que lutam contra a atracção que o adversário lhe desperta. E, nessa divertida batalha de sedução e malícia, resta saber quem será o primeiro a ceder à tentação.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!