19 de outubro de 2015

Opinião Histórica: "Romance com o Duque" de Tessa Dare



Como disse, mal chegou a casa tive que lhe pegar. Com esta capa, folhas grossas e letras grandes prometia ser uma leitura rápida e docinha.
Confesso que o entusiasmo foi muito ao início, mas pelo fim já tinha desaparecido quase metade. A história não era nada do que estava à espera, ideia sugestionada com a sinopse, tornando-se algo um pouco infantil e salva apenas pelo final.
Gostei das vertentes da pobreza e da cegueira, mas a parte dos contos não me entusiasmou particularmente, dando-me mesmo a ideia que era tudo um pouco, e perdoem-me a expressão, uma "fantochada". Talvez não me tenha rendido ao mundo morangliano como muitos fizeram e outros demoraram a fazer, mas não me entusiasmou nada. Apenas o romance entre o duque e a sua nova inquilina e a luta desta para o cativar salvaram a história de Tessa Dare.
Em relação às personagens secundárias gostei de Abigail e de Duncan, talvez mais do segundo, visto que a primeira me parece meia cabeça no ar. De qualquer forma a sua contribuição foi positivíssima, apesar de achar estranho nenhum deles ter reparado ou até deparado com os encontros furtivos e quase sexuais do casal protagonista. O castelo era assim tão grande? E mesmo que fosse normalmente nestas coisas há sempre uma certa pontaria... do destino.
Os cenários, apesar de poucos, visto que a maior parte da acção se passa no castelo foram muito criativos. Foi fácil imaginar os vários quartos que Tessa Dare nos descreveu.
O fim, como foi algo memorável, com a rendição do duque a muitos aspectos, mesmos aos mais fantasiosos, acabou por preencher as minhas medidas no mínimo e por isso dei a classificação que dei.
A frase de Julia Quinn na capa contribuiu bastante para adquirir este livro mas posso desde já dizer o seguinte: não se enganem! Tessa Dare está muito longe de criar algo tão bom como Julia Quinn. Nada em comum!
Apesar de tudo, não desisti da autora e já vou a meio do segundo livro, que mais uma vez não correspondeu às minhas expectativas nem à ideia com que fiquei a partir da sinopse.

Uma donzela perdida, um castelo misterioso, um duque com um temperamento e um passado um pouco… complicados. O cenário perfeito para um amor improvável. Como filha de um afamado escritor, Isolde Ophelia Goodnight, também conhecida por Izzy, cresceu em redor de românticos contos de cavaleiros corajosos e belas donzelas. As histórias daqueles livros prometiam inúmeras possibilidades. E por isso mesmo nunca duvidou de que o romance teria lugar também na sua vida. À  medida que foi crescendo, porém, foi riscando essas possibilidades da lista. Uma a uma: O patinho feio que se tornou cisne. Ser raptada por um atraente salteador de estrada. Ser salva da miséria por um príncipe encantado. Alto lá… Agora que os seus desejos de amor romântico se haviam gorado, Izzy já estava resignada a uma vida de mera subsistência. Mas havia um conto de fadas predestinado a esta mulher de vinte e seis anos, não tão atraente quanto isso, pobre e que nunca fora beijada. Esse conto de fadas era...Este.

1 comentário:

  1. Tirando a Cata acho que é a única review que vejo que não é tão positiva. A conclusão que tiro é que nem vale a pena ler a sinopse xD

    ResponderEliminar

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!