24 de setembro de 2014

Compilações: Edilean #1, #2 e #3 de Jude Deveraux


Segundo o Goodreads, a ordem da saga Edilean começa no Jardim (de Alfazema) num Dia(s) de Ouro e cheio de Perfume (de Paixão).
Posso já dizer que não devem ler nessa ordem. Poderão começar com o Dias de Ouro ou deixá-lo para o fim, o que interessa é que leiam o Jardim de Alfazema e o Perfume de Paixão por esta ordem. Segundo a Titinha ainda há mais um, mas esse ainda não o li por isso não o vou incluir aqui nesta compilação. Sinceramente, nem sei se o vou ler num futuro próximo, visto que, como vão poder ler, esta saga não me cativou minimamente.

O meu preferido foi o Jardim de Alfazema.
Adorei conhecer a história de como Luke conquistou Joce. Achei-os um casal muito querido, cheio de pequenas cenas engraçadas e românticas, que foram pontilhando o romance com estes docinhos.
A relação de Joce com as irmãs foi talvez o ponto mais negativo. Na minha opinião acrestou demasiado drama à história e algumas das vezes centrou-se mais nas irmãs que nela. O facto de até haver referência à história da Disney da Cinderela não melhorou em nada, visto ser tão óbvio.
Óbvia também foi a inclinação de Rams para a Tess, mas mesmo assim foi divertido ver os dois homens a "lutar" por Joce de uma maneira tão familiar e tão inocente, sem qualquer maldade, mesmo quando Luke despejou aquilo em cima de rapariga.
Gostei também dos pequenos momentos com Tess e Sara, mas confesso que não foram marcantes, visto que depois de ler o segundo livro e no terceiro voltar a esta Edilean mais recente me tinha esquecido completamente de Sara.
Ainda não sei bem o que penso de tod a história da personagem de Edilean. Adorei a sua história, mas tenho pena que Jude Deveraux só a tenha inserido tão tarde e que não tenha tido direito a mais capítulos. De qualquer forma foi adorável assistir a toda a animação na casa de Joce e a confiança e intimidade que ela e Luke iam tendo.
Todo o ambiente de Edilean contemporânea faz-nos desejar estar lá mesmo com toda a situação dos segredos, os que se contam e os que se escondem. De qualquer forma todos eles são muito bons!

No Dias de Ouro, os momentos mais divertidos são com os Fantastic Four, como eu os batizei. Grupo este constituido pelo Angus, o nosso herói, Mac, o escocês que precisa de legenda, Naps e TC, o biólogo. Estes dois últimos esntão são um par de gargalhadas ambulhante, se me perdoam o trocadilho e a piada seca.
Penso que não gostei muito deste livro proncipalmente por dois motivos:
1- não estava à espera de um romance de época;
2- pela personagem principal ser exactamente o que representa - uma miúda rica, fútil, mimada, etc. Só adjectivos negativos. E que pouco faz para conquistar o nosso herói.
Os vilões acabaram por ser bastante óbvios tal como as prisioneiras do barco.
A partir do momento em que o casal se separa, os capítulo acabam por ser muito distanciados, ou seja, a autora, a meu ver, deveria ter intercada capítulo sim capítulo não os POV's de Angus e de Edilean para acompanharmos melhor as versões de cada um, a nível espacial e temporal.
Foi, portanto, um segundo volume satisfatório, em que a melhor parte foi o fim!

Perfume de Paixão por sua vez, e a mim, retorna aos dias de hoje. Desta vez conhecemos o irmão de Tess, Mike, que me pareceu um dos personagens mais perfeitos das últimas leituras. De qualquer forma lá lhe encontrei alguns defeitos - demasiado musculado para mim, mas aqui a culpa foi mais da minha imaginação que das descrições da autora; e talvez um pouco convencido?
De qualquer forma fiquei bastante contente com a prestação de Sara, que no primeiro volume e inicio deste me pareceu tão sem sal, apesar de todo o sexo a que protagonizou, e que finalmente se revelou uma mulher capaz de lutar pelo que é seu e pelo seu homem.
Aqui, tal como com Joce e Luke, o amor saboreou-se ao longo do livro e deu para perceber o quanto ele evoluiu. A química é sempre dificil de transmitir, principalmente quando temos um protagonista masculino tão... heróico, acho eu.
Gostei da soma das novas personagens e do desenvolvimento da vida de Joce e Tess, apesar de achar que o facto de Tess ter sido afastada foi prejudicial para a história. Por falar nesta, ao contrário dos outros dois casais, não consigo identificar a química entre Tess e Rams. Ela parece-me demasiado autoritária e não o trata como se tivesse apaixonada por ele, mas como fosse sua patroa... o que para mim não é a mesma coisa.
Gostei de toda a acção final, mas mesmo assim não bateu os flashbacks da avó de Joce.

1 comentário:

  1. Fico com pena que não tenhas gostado tanto desta série, mas enfim, cada um tem os seus gostos e vê as histórias à sua maneira. É essa a beleza dos livros :)
    Beijinho

    ResponderEliminar

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!