15 de novembro de 2013

Opinião Histórica: "Na Noite" de Kathryn Smith



Podem ler a opinião da Ne aqui 

"Na Noite" de Kathryn Smith, é o quarto volume da série Ryland. Já tinha ouvido falar da autora mas conhecia apenas a série sobrenatural dela. Não percebo o porquê de terem começado a publicar esta série em português (se é que vão continuar a publicar) começando pelo 4º volume. Fenómeno inexplicável da editora Livros d'Hoje para juntar a um rol de tantos outros (como por exemplo a série salteada da Laura Lee Gurhke).

Este livro, apresenta-nos um dos membros da família Ryland, uma família conhecida por ser pouco aristocrata e pelos seus membros masculinos que têm uma única fraqueza: as mulheres.
Na Noite (Ryland Brother, #4)Wynthrope Ryland é um homem misterioso que esconde um grande segredo que está prestes a ser revelado. Moira Tryndale é uma jovem insegura, que sempre foi desprezada pela mãe por não se inserir nos padrões de beleza desta. Sendo assim, a sua infância foi bastante complicada, e a sua auto-estima é mais baixa que as temperaturas do Pólo Norte. E nada vem ajudar ao facto de se ter casado, quase por obrigação com o gentil Anthony, que só queria que Moira saísse da pressão que vivia. O que muitos não sabem é que Anthony é homossexual, e este casamento é perfeito para esconder o seu romance com Nathaniel. O casamento é dado mas não consumado e quando Anthony adoece e acaba por morrer, Moira vê-se viúva e virgem.

Moira é relutante, embora viúva e por isso merecedora de uma certa tolerância da sociedade em relação a seus casos amorosos, o segredo da sua virgindade é algo que a envergonha e a assusta, pois se for descoberto, ela é obrigada a viver com a mãe, uma pessoa detestável que nunca contribuiu para a felicidade da filha.

Wynthrope Ryland é um dos solteiros mais cobiçados da sociedade e desde o primeiro encontro entre os dois que Ryland deseja apenas um beijo mas consegui-lo irá ser bem mais difícil do que pensava. A juntar à audácia e à resistência de Moira, Wynthrope também esconde um segredo (muito misteriosas eram estas pessoas do século XIX!), um segredo que já esteve mais longe de ser revelado.
Chantageado por William Daniels, Ryland vê-se entre a espada e a parede. Trair a sua família ou perder o grande amor da sua vida? Esta decisão vai preencher toda a trama do livro, dando um toque de mistério ao enredo, o que foi uma boa aposta por parte da autora, trouxe mais emoção à leitura.

O plano de Ryland seria perfeito, aproximar-se de Moira, conseguir o que queria e livrar-se dela como fez com tantas outras. O único problema que encontrou foi a sensualidade e delicadeza desta que faz com que Wyn se apaixone perdidamente.

Como podem ver não há muito mais detalhes a revelar, receando contar toda a história. O romance é fofo, leve, daqueles que deixam as meninas a suspirar por mais, uma história típica de contos de fada. Desde que Ryland leva a cabo o seu plano de seduzir Moira, não faltam provocações e apostas, como a das partidas de xadrez, onde quem perde tem o direito de servir o opositor da forma que este desejar. Estão a ver no que vai dar não é?
Mas dando algum crédito ao livro, diria que o que mais gostei foi a relação entre a Moira e Nathaniel, o amante do seu falecido marido. Ora aqui está algo diferente que nunca tinha lido, foi muito engraçado ver a amizade entre a Lady Aubourn e o gay e fiquei com o coração apertadinho com o desejo que Moira tinha: ver o seu amigo feliz e de novo apaixonado, mesmo que não pudesse expressar o seu amor publicamente, como tinha feito com Anthony.

Contudo e dentro do género, “Na Noite” não será das leituras mais prazerosas, a escrita é fluída mas as personagens pecam por serem estereotipadas, primeiro Moira é tímida, roliça, virgem (!!!) oprimida pelos comentários da mãe e da sociedade, Ryland é o comum libertino, amante de muitas mulheres e heart breaker de tantas outras. Ou seja, não há nem uma característica que realce os protagonistas, o que é uma pena.

Outro momento que me irritou e que me chateia mesmo são as inseguranças, o “vai e não vai” entre as personagens. Aqui, o que aconteceu foi que Ryland foi atacado pelo síndrome do amor pela primeira vez e como qualquer engatatão fica na dúvida se ama Moira ou não. E o mesmo acontece com ela pois claro, convencida que nenhum homem lhe quer, Aubourn também se sente insegura em à relação aos sentimentos de Wynthrope. Estas indecisões fizeram-me revirar os olhos diversas vezes.

Concluindo, “Na Noite” é um livro que vale a pena mas que claramente não acrescenta nada de novo a este género, é um livro agradável com um romance cor-de-rosa, uma escrita fluída e fácil de ler. O livro foi lido com um sorriso nos lábios e com um nó na garganta face a algumas partes do livro. É realmente uma pena que não tenhamos oportunidade de conhecer os restantes membros da família, de modo a perceber melhor esta união e os segredos da família Ryland, mas aqui fica a minha recomendação.

Wynthrope Ryland é um experiente ladrão que usa o seu charme junto de mulheres bonitas e com posses para conseguir os seus bens valiosos. No entanto, essa vida de crime não é a que deseja para si e, quando jurou deixá-la, eis que tem de cometer um último crime para proteger a carreira e a família do seu irmão North. Moira Tyndale, uma imponente viscondessa, é o seu último alvo. Porém, quando o descobre já uma profunda ligação os une. Wyn percebe que não pode mais ignorar a sua paixão. Deve proteger os seus segredos e o seu passado, mas não pode protegê-la de si mesmo. Como pode ele escolher entre o desejo do seu coração e a segurança do seu irmão?






Título Original - In The Night
Edição - Setembro 2012
ISBN - 9789722049122


1 comentário:

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!