30 de julho de 2013

Opinião Contemporânea: "Perto de ti" de Anita Notaro



Ora bem tive muitos problemas com este livro, vamos lá a ver se me consigo fazer entender, porque é que este livro não fez grande sentido para mim.

Quando no ano passado li o 1º livro desta autora, intitulado "Há sempre um amanhã" fui surpreendida por um enredo que embora forçado e com alguns aspectos que me desagradaram, no geral, agradou-me. Um ano depois volto a esta autora, não com expectativas altas mas curiosa por ler mais um dos seus trabalhos.

Perto de ti resume-se à mudança de vida de Lulu, a personagem principal. Farta de ouvir os problemas dos outros e cansada do comodismo que leva, decide mudar o seu maior problema: a sua vida. Com interesse pelos amigos de quatro patas, abre um consultório de psicologia canina. Esta transformação em "encantadora de cães" divertiu-me ao início, e confesso que  não pude deixar de soltar uma gargalhada porque adoro o programa da Sic Mulher, com um nome semelhante! Embora tenha mudado de vida, Lulu continua a ser procurada não só pelos problemas caninos dos seus clientes, como o dos próprios donos criando assim uma relação mais pessoal.

O enredo do livro embora não seja nada que à partida me apele muito, apenas li o livro porque tinha gostado do estilo contemporâneo e da escrita da autora, desde as primeiras páginas, quando Lulu decide mudar de vida e até ao fim, tirando uma parte mais emotiva, apresentou-se sempre bastante inferior a "Há um sempre amanhã" e um pouco maçudo. As razões para a leitura se ter apresentado um pouco arrastada tem a ver, como já referi com  minha pouca preferência e gosto pessoal quanto ao tema principal, apesar de gostar de cães, os problemas que se expuseram ao longo do livro só mostraram que muitas vezes os donos são os causadores dos distúrbios dos animais. E acho que é aqui que o livro começa a não fazer muito sentido. Lulu começa a envolver-se tão profundamente nas vidas dos seus pacientes que acaba por tornar-se novamente aquilo que tanto queria deixar de ser: psicóloga. Aliás ela passa a não ser apenas psicóloga como quase um membro da família! Lulu, que tanto se queixava dos problemas dos seus clientes, é a primeira a deixar tudo para ajudá-los a resolver os maiores problemas das suas vidas, como por exemplo o reencontro de familiares perdidos. Apesar do leque de personagens secundárias ser bastante diversificado, todas parecem existir para sobrevalorizar o papel de Lulu nas suas vidas. Para no fim ela não conseguir quase nenhum problema dos cães, este são deixados para segundo plano quando ao princípio pareciam ser o grande destaque do livro. A autora deixa várias pontas soltas que nem se dignou a resolver. Mais uma vez, tal como aconteceu em "Há sempre um amanhã" a história torna-se demasiado forçada,  em que tudo acontece à volta da protagonista que acaba por ser um salva-vidas de todos. 

As últimas cem páginas são carregadas de acontecimentos que na minha opinião foram completamente desnecessários, embora que ambos me tenham apanhado completamente de surpresa. Para que foi as duas mortes? Não tiveram nenhum cabimento e deixou-me ainda mais irritada com o livro. Apenas se o objectivo da autora era surpreender-me, conseguiu.

O romance que se desenrola também não é dos melhores, e apesar do final feliz que a autora dá, gostaria de ter lido mais sobre a relação dos dois, pois o que me pareceu foi uma grande amizade e não um amor verdadeiro.

Apesar de tudo, e embora tenuemente, a própria Lulu sofre um evolução que ainda que no livro, se apresente bastante drástica, eu não consegui sentir essa mudança de 180 graus. Para mim o ponto positivo do livro foi o trio de amigas, Lulu, Maddy e Clodagh. Foram uma lufada de ar fresco numa leitura morna e fiquei bastante triste com o desfecho que a autora deu a uma delas. 

"Perto de ti" perfaz uma leitura uma leitura que não me satisfez de todo e que mostrou as mesmas dificuldades que encontrei no livro anterior. Dificilmente pegarei em mais algum livro de Notaro. 



No Ordinary LoveTítulo Original - No Ordinary Love 
Edição - Abril 2012 
ISBN - 9789897260551

3 comentários:

  1. Boa noite!
    Não li ainda este livro, mas gostei de ler a sua crítica e agradeço toda a honestidade nela usada.
    Obrigada e mil beijocas

    ResponderEliminar
  2. Concordo contigo em tudo, a 100%.

    Ainda não escrevi a opinião, mas posso dizer que o Há Sempre um Amanhã foi 80 e este 8.
    Confesso que não me surpreendeu não gostar deste livro, visto que desde o início que nunca me conquistou. A escrita/tradução pareceu-me de alguém em inicio de carreira, a temática da psicologia de humanos para cães não me pareceu original... etc etc etc

    Enfim, não vou deixar de ler coisas de Anita Notaro, mas se no primeiro capitulo vir que aquilo não cheira bem, então não vou ter problema nenhum em larga-lo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O início até me conquistou depois é que não gostei pq voltou ao mesmo...

      Hmm eu acho que vou mesmo riscar esta autora da lista de autoras a ler *mafi risca*... é mediana/fraca, acho que há coisas melhores :P

      Eliminar

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!