12 de fevereiro de 2013

Opinião Contemporânea: "Jogos Secretos" de Jill Mansell


Em relação aos livros de Jill Mansell começo a ficar repetitiva, mas a base dos livros dela também é sempre a mesma. O que torna tudo diferente são mesmo as personagens e as suas peripécias amorosas, cada uma mais peculiar que a outra.
Jogos SecretosJaz, Suzy, Harry, Celeste, Maeve, Lucille, Leo, Dory, Gabrielle, Martin, Nancy, Fee e até Baxter vão fazer as delicias das fãs de Mansell e aqui vamos encontrar a maior mistura e confusão de todas.
Achei imensa graça ao inicio da obra, mas quando comecei a perceber que aquilo que li é exactamente o que está na sinopse e que não ia desenvolver mais que aquilo acabei por ficar um pouco desiludida. Este sentimento prolongou-se até mais ou menos metade do livro, quando tudo ainda estava confuso e as relações ainda não estavam definidas.
Leo conquistou-me logo, apesar de Jill Mansell ter sido subtil na sua primeira aparição. Ele, infelizmente não está muito presente e este é um dos pontos negativos desta obra.
De resto, posso dizer novamente que se vão rir - muito -  e vão tentar adivinhar quem fica com quem sem adivinhar.
Detestei, e aqui Jill cumpriu o seu objectivo, Harry. Não sei porquê mas logo desde o inicio ele não me convenceu. Confesso que o segundo encontro, no bar, ainda estava vai não vai, mas depois tudo descarrilou e Harry acabou por se juntar à minha lista negra de personagens irritantes e com mau carácter. Junto dele está também Celeste. Outra personagem odiosa.
Como podem ver, a autora é perita em arranjar amizades, amores e ódios. Que mais se pode querer num livro do que emoções à flor da pele e empatia com mil e uma personagens e situações?

Frase Preferida:
"O sono era como os transportes públicos, deduziu Suzy algumas horas depois. nunca aparecia quando mais se precisava dele." Página 275 

Suzy Curtis é a miúda que tem tudo: emprego de sonho, Rolls Royce vermelho e uma arrebatadora estrela de rock como ex-marido. Mas há dias em que nem ela devia sair da cama: ao tentar desesperadamente fugir a uma multa por excesso de velocidade, conhece Harry e vê-se numa alhada que envolve uma amostra de esperma, um polícia e um copo de batido do McDonald’s.
Harry não é propriamente um caso de amor à primeira vista, mas é um caso sério de atracção sexual. O que não vem nada a calhar pois a mãe de Suzy acaba de falecer deixando-a a braços com um segredo de família que promete mudar toda a sua vida…
Com Jill Mansell, o amor nunca é simples nem fácil. Mas é sempre divertido e inesquecível!


Good At Games 


Título Original - Good at Games
Edição - Maio 2012
ISBN - 9789897100352




Sem comentários:

Enviar um comentário

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!