Opinião da Mafi,

Opinião Young-Adult: "Fangirl" de Rainbow Rowell

novembro 14, 2015 Mafi 2 Comments




Quando em Janeiro li "Eleanor & Park" o livro rapidamente tornou-se um dos meus livros favoritos de 2015 e a expectativa para ler mais algo de Rainbow Rowell não era grande, era enorme.

Fiquei surpreendida mas feliz com o lançamento de mais um livro de Rowell em Portugal no espaço tão curto de tempo e fico ainda mais contente que em Maio de 2016 tenhamos novo livro da autora por cá. 

Fangirl traz-nos duas gémeas diferentes em personalidades. Com a entrada na faculdade, com novas amizades e novos caminhos por traçar, Wren acaba por distanciar-se da sua irmã Cath que ainda traz bastante bagagem das suas vivências nos últimos anos e que lhe é difícil desligar assim tão facilmente. Vivências estas que nos últimos anos giraram em volta do mundo fictício da série Simon Snow. Aliás toda a vida de Cath se resume a esta série, seja a lê-la ou escrevê-la. 
Cath não consegue simplesmente deixar de ser quem é e mesmo com algumas insistências da irmã e do pai e da pressão que sente (sabe-se lá por quem) para mudar ela simplesmente não consegue. 
Isto aqui tocou-me logo no meu nervo mais sensível. Eu não percebo porque é que durante grande parte do livro é passada a mensagem que a Cather devia mudar, sair mais, conviver mais só porque entrou na faculdade e a irmã está a seguir esses passos. Se a rapariga quer continuar a ser assim tal como ela é, ou seja mais recatada e insegura que seja! -.- 

Não gostei de como a autora introduziu este tema nem como desenvolveu as consequências da separação das irmãs. Como é que duas gémeas que foram unidas até a esta fase da sua vida deixam-se de falar durante 3 meses?! Sem nenhuma mudança drástica ou algo acontecimento ter acontecido para criar esse efeito, duvido que duas pessoas com laços familiares e de sangue tão fortes deixassem-se de falar assim. Odeio quando os autores fazem os leitores de burros... e gosto pouco quando criam problemas nos seus livros mas depois deixam pontas soltas ou resolvem-os como uma facilidade que nem valia a pena ter introduzido tal coisa! Por exemplo chega a uma parte em que é mencionado que a Cath há uns meses se alimenta apenas de barritas alimentares. Ora para mim isso é um indício de um distúrbio alimentar mas a autora nem o aprofunda e resolve-o rapidamente portanto mais valia nem ter escrito essa parte visto que não adiantou nada. *facepalm*

As partes do Simon e do Baz ainda comecei a ler, depois passei a ler na diagonal até saltá-las completamente. Nem sei se leia o Carry On, apesar do hype que andam a fazer o livro. 

O romance aqui é fofinho mas estava à espera de uma coisa tipo Eleanor & Park e não foi isso que encontrei. Gostei mas sinceramente achei que faltou mais química entre a Cath e o Levi. 
Gostei do amor da Cath expresso pelos livros e por histórias de outros mundos e como isso a deixa feliz porque é isso exactamente que sinto cada vez que inicio uma nova leitura. Acho que Rowell soube representar a comunidade de leitores e o paralelismo entre Simon e Baz e Harry Potter foi muito bem feito. 

Confesso que esperava mais e o livro acabou por desiludir-me um pouco mas pretendo ler mais obras da autora e espero que o meu próximo encontro com Rainbow Rowell seja mais feliz. 

Cath ama os seus livros e a sua família. Haverá espaço para mais alguém?
Todo o mundo é fã dos livros de Simon Snow. Mas Cath vai mais longe: ser fã desses livros tornou-se a sua vida. Ela e a sua irmã gémea, Wren, refugiaram-se na obra de Simon Snow quando eram miúdas, e na verdade foi isso que as salvou da ruína emocional que foi a perda da mãe.
Ler. Reler. Interagir em fóruns, escrever ficção baseada na obra de Simon Snow, vestir-se como as personagens dos livros. Mas essas fantasias deixam de fazer sentido quando se cresce, e enquanto Wren facilmente abandona esse refúgio, Cath não consegue fazê-lo. Na verdade, nem quer.
Agora que vão para a universidade, Wren não quer ficar no mesmo quarto de Cath. E esta fica sozinha e fora da sua zona de conforto. Partilha o quarto com uma miúda arrogante; tem um professor que despreza os seus gostos; um colega atraente mas que apenas fala sobre a beleza das palavras... e, ainda por cima, Cath não consegue parar de se preocupar com o seu pai, tão querido, frágil e solitário.
A pergunta paira no ar: será que ela consegue triunfar sem que Wren lhe dê a mão? Estará preparada para viver a vida em seu nome? Escrever as suas próprias histórias? E se isso significar deixar Simon Snow para trás?
Fangirl leva 3 estrelinhas de algodão doce:

2 comentários:

  1. Eu adorei este livro mas "li-o" em audiobook. Se algum dia quiseres revisitar a história recomendo vivamente o audiolivro.
    binhos
    Sandra do Vidas Desfolhadas

    ResponderEliminar
  2. tenho medo de comprar este livro :X

    ResponderEliminar

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!