19 de agosto de 2016

Opinião Contemporânea: "O Hotel das Recordações" de Nora Roberts




Quem nos acompanha desde o início do blog, lá no longínquo ano de 2012, sabe que tanto eu como a Ne somos/eramos grandes fãs da Nora Roberts. Pois, o tempo foi passando e o mesmo sentimento foi-se abatendo em ambas sempre que pegamos num novo livro dela: parece tudo igual ao que já lemos e é uma seca.

Mesmo assim, como tenho dezenas de livros da Nora onde está algum dinheiro investido, tenho vindo a ler aos poucos e poucos os que tenho aqui em casa e a mais recente novidade da Saída de Emergência não escapou, até porque já tinha bastante curiosidade neste série desde que foi lançada lá fora.

30813898A Nora tem para mim dois pontos fortes como escritora: sabe descrever bem e sabe construir boas personagens e tem uma coisa má, que é sempre a mesma fórmula, inovando pouco.

No 1º volume desta nova trilogia temos mais uma vez uma família de irmãos, os Montgomery, que irão ser os protagonistas desta e das próximas histórias. Já no passado a Nora deu provas em como sabe fazer personagens masculinas e portanto estava convencida que ia gostar do 1º irmão. O Beckett não se revelou uma personagem tão fácil de gostar como eu achava. Sinceramente até achei-o muito pãozinho sem sal, não senti aquela chama que senti com outras personagens da Nora, como por exemplo os irmãos Quinn! Acho que a autora também não desenvolveu muito esta personagem, foi sem dúvida uma das personagens mais fracas de toda a trama, Melhor fez com a Clare, a personagem feminina do livro. Temos muito mais conhecimento sobre o passado dela e de como ela é do que com o Beckett. Foi também  interessante de ver uma personagem que não era só viúva como mãe de três crianças O núcleo infantil foi uma óptima adição a todas as personagens secundárias e até gostei das cenas deles com o Beckett.
Em termos de romance o casal não me conquistou, não senti realmente que havia ali muita paixão entre eles. A parte do suspense foi então pior! Nem sei que raio estava a Nora a pensar, totalmente previsível e se era para meter medo, bem só me fez revirar os olhos com aquele vilão de meia tigela.
As partes das descrições do Hotel foram bonitas de se ler mas espero que não se repita a mesma coisa nos livros seguintes tal como aconteceu na série das Noivas em que repetiam os preparativos dos casamentos vezes sem fim. Por falar no Hotel não estava nada à espera daquele toque de sobrenatural, bem ao menos foi uma coisa diferente no meio de "mais do mesmo".

Nora Roberts tem aqui um bom livro e um bom inicio de trilogia mas ficou aquém das minhas expectativas, contudo tenciono ler os próximos livros.

O histórico hotel de Boonsboro já viveu tempos de guerra e paz e teve inúmeros donos ao longo do tempo. Agora prepara-se para ser reinaugurado pelos irmãos Montgomery. Beckett, o arquiteto da família, está determinado a finalizar as grandes obras, mas a sua vida atarefada não o desvia de um outro grande objetivo: atrair a atenção da mulher por quem está apaixonado desde a adolescência.
Depois de perder o marido e regressar à sua terra natal, Clare Brewster cedo se adapta à sua nova vida como mãe de três filhos e gerente da livraria da cidade. Com pouco tempo para uma vida romântica, Clare acaba por ser envolvida nos preparativos do novo hotel e deseja conhecer melhor o homem por trás dele.
Enquanto não chega o dia da inauguração, Beckett e Clare conhecem-se melhor e sentem a crescer entre eles o início de algo novo… Irá abrir-se nas suas vidas a janela para um futuro juntos?



1 comentário:

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!