26 de maio de 2016

Opinião Policial: "Os Aromas do Amor" de Dorothy Koomson


   

Dorothy Koomson é uma das minhas autoras de eleição mas num mundo em que estão sempre a sair novos livros, por vezes é difícil é ler tudo o que queremos e alguns autores vão ficando na estante. Com a saída do novo livro da Dorothy, apercebi-me que ficaria com 3 da autora por ler e portanto decidi pegar nos 2 que estavam na estante e lê-los até à feira. Hoje venho falar-vos da primeira leitura.


Começo por dizer que a sinopse promete uma coisa mas depois acaba por não acontece exactamente aquilo que eu previa. A Drorothy sempre teve muito jeito para os romances contemporâneos mas nos últimos anos tem enveredado pelo caminho dos mistérios e apesar de achar que não o faz mal, acho que esta vertente não tem nada a ver com ela e muito menos foi aquilo que a deu a conhecer ao grande público. Isto tudo para dizer que este livro não me empolgou tanto como queria. Até estava a gostar da parte da filha dela e de Saffron tentar descobrir quem era o assassino do marido mas depois começou a tonar-se demasiado evidente que a autora estava a pôr a personagem principal em perigo só porque sim e porque tinha um mistério para resolver e precisava de alguma artimanha para que este fosse resolvido. Achei realmente toda aquela parte das mensagens muito forçada e a parti daí o meu interesse pelo livro diminui, até porque ficou muito previsível o que ia acontecer...

Acho que o ponto forte da autora são mesmo as estórias mais simples e principalmente as personagens e já vai ao tempo em que nenhuma das personagens da Dorothy me fica na cabeça. Aqui, talvez irei lembrar-me da tia Betty e da Phoebe, que foram personagens que se destacaram. Do restante núcleo de personagens, embora todas tenham a sua importância no livro, não houve nenhuma que me tenha chamado a atenção, tirando o Joe que acaba por ser uma personagem importante.


Embora não tenha achado grande piada à parte mais de mistério, houve coisas que gostei no livro como por exemplo a cena do ferro de engomar, muito bom! Detestei a tentativa de triângulo amoroso, ugh.

Não foi um livro mau mas acho mesmo que a Dorothy devia voltar aos romances do antigamente e que a fizeram dela uma das autoras mais populares em Portugal. Eu estou com saudades desse tipo de livros e vocês? 

Em Junho lerei "Os muitos nomes do Amor" e talvez o novo dela. Espero gostar mais desses.  

Procuro a combinação perfeita de aromas; o sabor que eras tu. Se o encontrar, sei que voltarás para mim. Há 18 meses atrás, Joel, o marido de Saffron, foi assassinado, e o culpado nunca foi descoberto. Agora, fazendo os possíveis para lidar com a perda, Saffron decide terminar Os aromas do amor, o livro de receitas que Joel tinha começado a escrever antes da sua trágica morte.
Quando, finalmente, tudo parece ter voltado à normalidade, a filha de 14 anos de Saffron faz uma revelação chocante que abala a relação entre ambas. E, ao mesmo tempo, o assassino de Joel começa a enviar cartas afirmando a sua inocência.
Será um grande amor capaz de sobreviver à maior das perdas?

2 comentários:

  1. Achei o Os Muitos Nomes do Amor um romance típico de Dorothy. Foi um pouco como voltar à base. Já leste o A Praia das Pétalas de Rosa? Sem dúvida que aconselho, fiquei muito viciada nesse livro.
    Estou ansiosa pela feira do livro para a conhecer! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim já li esse. Ai espero que seja melhor que este.

      Vais adorá-la, ela é muito simpática e acessível!

      Eliminar

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!