26 de fevereiro de 2016

Opinião Young-Adult: "Mais um dia" de David Levithan




Apesar de nunca ter feito opinião de "Every Day/A Cada Dia" o primeiro livro da série, na altura em que o li (2013), foi uma leitura completamente compulsiva que adorei. Na altura já se falava de um segundo livro, que mais tarde viria a saber-se que não seria bem uma continuação mas mais um livro com outro ponto de vista. Confesso que fiquei um pouco desiludida porque o final do primeiro livro é para morrer e não queria ler o mesmo livro com outro POV mas sim uma continuação! Não gosto muito desta moda de vários livros com diferentes perspectivas porque acho que é algo para render o peixe, mas até tive a felicidade de me oferecerem o segundo livro no original e dado que a Topseller lançaria a tradução em português, decidi ler então este "Another Day/Mais um dia"

O segundo livro é muito semelhante ao primeiro, só que claro contado do ponto de vista da Rhiannon, personagem que tinha gostado muito no primeiro livro. Foi bom ver o lado da protagonista feminina embora sinceramente não acho que tenha acrescentado muito à série em si, visto que A é a grande figura principal da trilogia e uma personagem com muito mais camadas por explorar e por descobrir. Contudo, foi interessante de conhecer um pouco mais da Rhiannon especialmente da sua relação com o Justin. Eu já sabia que o Justin não era flor que cheirasse mas agora tive a certeza, não gostei nem um pouco dele.
Voltando à Rhiannon a minha única queixa com ela foi ter aceitado tão facilmente A, gostava que tivesse sido um pouco mais céptica, com mais dúvidas em relação a A, ao que ele/ela era, não sei mas achei tudo muito facilmente aceite. Outra coisa que fui reparando enquanto lia, é o quão conveniente era A acordar num corpo de alguém que morava tão perto da Rhiannon. Visto que no 1º livro é nos explicado que A pode acordar em qualquer corpo de qualquer adolescente no mundo inteiro, curiosamente metade dos corpos que habitava eram de pessoas que vivem na zona da Rhiannon.

Embora não seja uma obra tão apelativa como o primeiro livro, não foi um livro que desgostei apenas fiquei frustrada por estar 2 anos à espera de uma continuação que tarda em chegar (prevê-se que o 3º livro saia no final deste ano). Adoro este casal e adoro o autor, portanto dou um desconto.

Depois do aclamado romance A Cada Dia, bestseller do New York Times, David Levithan conta a história da Rhiannon, e da sua busca desesperada pelo amor verdadeiro.
Todos os dias da Rhiannon são iguais. Ela resignou-se com a vida, convenceu-se de que não merece mais do que um namorado frio e distante, o Justin, e até delimitou regras para a sua vida: não ser demasiado carente, evitar aborrecê-lo, nunca esperar demasiado.
Até que uma manhã muda tudo. De repente, e pela primeira vez, o Justin parece olhar para ela, querer estar com ela, e juntos vivem um dia perfeito… Um dia perfeito de que o Justin não se recorda na manhã seguinte. Confusa, deprimida e angustiada por mais um dia inesquecível como aquele, Rhiannon começa a questionar tudo. Então, certo dia, um estranho diz-lhe que o Justin com quem ela passou esse dia, e que a fez sentir-se uma pessoa real… não era o Justin.
Um livro que toca profundamente a imperfeição humana, os maus relacionamentos, a excessiva importância da aparência, a sexualidade ou a insignificância dos géneros.

 Continuação de: 
24682771

Sem comentários:

Enviar um comentário

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!