25 de fevereiro de 2016

Opinião New Adult: "Mais uma Chance" de Abbi Glines



Aqui fica mais um acontecimento meio estranho: não sei como, em vez de começar a ler o A Primeira Chance, o Kobo (ou o meu dedo no Kobo) seleccionou este livro e pronto lá comecei a ler despreocupadamente. Entretanto, logo na primeira página onde começa a história achei estranho, e a achar estranho continuei até ao fim onde toda a estranheza foi resolvida, pois aí estava um excerto do próximo livro You Were Mine. Fartei-me de duvidar da minha memória porque muita coisa sobre a relação destes dois me estava a escapar. Afinal estava a ler o livro errado e li-o até ao fim!
De qualquer forma o livro foi devorado e saboreado da mesma maneira que os outros, mas a classificação foi um pouco prejudicada por isso.
Foi o volume da saga mais amoroso até agora e Grant provou ser um poeta no que toca a dizer coisas bonitas nada enjoativas à sua mais-que-tudo. Namorados e maridos: metam aqui os olhos e tirem apontamentos!
Sobre as cartas distribuídas ao longo da história, falando agora de palavras bonitas pelo lado feminino, ainda estou a decidir se gostei delas ou não. O ponteiro inclina-se para o não, porque tanto as lidas como as não lidas me pareceram muito pessimistas da parte de Harlow, que é sempre descrita por Grant ou Kiro como sendo uma pessoa lutadora e/ou corajosa. Sinceramente, este tipo de atitude, entre outras que foram acontecendo, mostraram-me uma personagem muito derrotista, o que não coincide com os adjectivos descritos. Ao menos devia ter mais fé  e esperança no futuro com Grant e o bebé.
E o nome da criança?! Que raio de nome é Lila Kate? Ainda se tivesse algum significado ou razão como a Renesmee, mas nem isso.
Em relação a Nan, eu bem sabia que ela no fundo não era só maldade. Estou mesmo ansiosa por conhecer o homem que a vai mudar e conquistar, mas talvez só o saberei no 13º volume, o último da saga escrito até agora.
Depois de ler o fim de Simples Perfeição, a cena antes do hospital foi um pouco ingrata. Com tanto drama e tristeza, Abbi Glines ainda adiciona estes momentos ainda piores. Não chegam as dúvidas habituais de uma relação como esta?
Várias das cenas que gostei mais de ler foram as de pura amizade. Blair tem sido exemplar a este e a outros níveis, e cada vez mais tenho vontade de reler os três primeiros livros da saga, porque eles continuam a ser um casal tão cativante. E Nate? Uma doçura! Os três constituem uma família tão querida e perfeitinha.
Kiro, por sua vez, desiludiu-me um bocado. Este foi uma personagem que não surpreendeu minimamente. Continua feio, porco e mau (na minha imaginação) e nem com a sua atitude super-protectora conseguiu atenuar 1% da minha opinião.
Gostei de conhecer Mase (não me lembro se ele já tinha aparecido anteriormente) e sua Mãe. Já sei que o primeiro também vai ter direito a dois volumes nesta saga e pareceu-me que ele tem todo o direito disso. Major foi uma daquelas personagens que não percebi qual o contributo para a história. Causar ciúmes a Grant?
Bethy é a sombra desta história mas espero que brevemente tudo melhore. Acredito que alguém vai tratar disso, porque de facto esta personagem não está a ser nada do que costuma ser, não sei se por culpa dela ou não. Neste momento estou do lado de Woods, que defende a primeira opção, mas muitas vezes as coisas não são o que parecem. O que interessa é que Jace não merecia o que lhe aconteceu, nem ele nem quem ficou para viver com as consequências e a sua ausência.
No final não gostei muito da inserção dos vários POV's. Pareceu-me um pouco forçado e informação que não adiantou muito para a minha curiosidade para os próximos livros. De qualquer forma, continuo a adorar estar entre todos estes personagens, poder passear em pensamento naquela praia ou naquele campo de golf. Adoro provar, na minha imaginação, a comida servida por Jimmy e saborear as conversas de meninas ao almoço.

Grant Carter encontrou na doce e linda Harlow algo que não esperava ter: uma mulher com quem desejasse passar toda a sua vida. Para ficar com ela, precisou provar que não era apenas um playboy sedutor.
Mas quando ela lhe contou um doloroso segredo, ele se deixou levar por seus medos mais profundos e pode ter destruído sua única chance de viver um amor verdadeiro.
Desesperado por ter perdido sua paixão, Grant busca seu paradeiro, sem saber que ela se prepara para arriscar a própria vida por um sonho. Agora ele terá que conquistar a confiança de Harlow e decidir o que é mais importante: a segurança ou os sonhos da mulher da sua vida.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!