28 de maio de 2013

Opinião Contemporânea: "Um desastre maravilhoso" de Jamie McGuire



Com inúmeras opiniões positivas e para grande agrado meu, “Um desastre maravilhoso” recentemente editado pela Planeta Manuscrito, vem consolidar um novo género literário que ainda agora começa-se a descobrir: o New Adult. Não é o primeiro livro que leio nesta vertente mais universitária: Losing it e My favorite Mistake foram as minhas primeiras apostas neste campo e boas descobertas. Com altas expectativas quanto ao muito elogiado romance da autora (outrora independente) Jamie McGuire, foi com elevadas (já nem digo grandes) expectativas que iniciei esta leitura.

Antes de opinar sobre o livro, gostava de ressaltar algumas informações erróneas que contam na sinopse 
Abby Abernathy não bebe, não pragueja e trabalha muito. Abby acredita que está enterrada no nefasto passado, mas, quando entra no colégio, os seus sonhos de ter um novo começo sofrem um desafio numa noite. Primeiro, a Abby bebe sim, até há uma passagem no livro onde ela ingere 15 doses de Tequila, não bebe frequentemente ao longo do livro, mas também não é a santinha que a sinopse quer mostrar. E qual é o problema em dizer Universidade? É onde eles andam, numa Universidade e não num colégio! A sério porque é que estão a induzir o leitor em erro?!

Passando à opinião propriamente dita, “Um desastre maravilhoso” é um romance dos mais clichés que pode haver. Temos a típica rapariga boazinha que não se mete em problemas e foge de um passado vergonhoso para começar um nova vida no mundo universitário. Do outro lado temos Travis, o bad-boy coberto de tatuagens que ganha a vida em lutas ilegais.

A narrativa do livro é altamente viciante, disso não posso discordar. O livro começa com um ritmo lento mas vai ganhando gás e fulgor até entrarmos numa espiral de acontecimentos em catadupa que prendem o leitor até à última página. Eu não gostei do livro mas não posso dizer que ele não me tenha prendido, pois seria uma mentira descarada.

O meu problema com o livro relaciona-se não com o enredo em si, apesar de ter achado o passado da Abby uma fraude (a sério que o tal problema era apenas aquilo?!),  mas com as atitudes das personagens, especialmente as de Travis. Eu afirmo que se eu tivesse um namorado como o Travis, por muito que gostasse dele, este já estaria a andar em três tempos…ou eu já teria cortado os pulsos com uma colher de chá. 

Travis tem atitudes violentas e obsessivas que acabam por não resolver nada, apenas complicam ainda mais o seu relacionamento com a Abby. Odiei a violência gratuita que esta personagem trouxe para o enredo, as cenas de pancada e destruição perturbaram-me e não gostei que ao início a Abby se mantivesse tão passiva sobre estes acontecimentos. Na minha opinião, o amor não justifica todos os erros que o parceiro comete! Achei que a Abby não se soube impor perante a obsessão de Travis por ela, acabando por voltar sempre para ele. Contudo não posso deixar de afirmar, que a relação dos dois tem as suas cenas bonitas e a paixão que sentem um pelo outro é palpável. Apesar dos momentos românticos entre os dois, não consegui esquecer o lado negativo da relação que claramente influenciou os meus sentimentos pelo livro, que não são muito positivos.

Quanto ao núcleo de personagens secundárias, posso dizer que adorei o casal Shepley&America, achei-os muito fofos e verdadeiros amigos do Travis e da Abby, sempre dando conselhos úteis mas sem interferir directamente na relação. Gostei bastante do papel que tiveram em toda a trama e do destaque que foram tendo ao longo do livro. Sem esquecer o Finch, simpatizo imenso com personagens gays. ^-^

Face às expectativas que tinha sobre o livro, acabei por ficar bastante desiludida com o produto final. O livro tem continuação "Walking Disaster" que não irei ler, pois conta a mesma história só que do ponto de vista do Travis. Não percebo porque é que a autora decidiu reescrever o primeiro livro sobre outro ponto de vista...não teria sido mais fácil continuar a história? 

Não queria nada dizer isto mas a verdade é que quem gostou de As Cinquenta Sombras de Grey e Rendida certamente irá cair de amores por este amor passional e obsessivo de Abby e Travis, mas vale sempre a pena lermos para termos as nossas próprias conclusões. Dou 3 estrelinhas pelo casal secundário e por alguns momentos mais românticos do livro mas para já, Jamie McGuire fica arrumada a um canto. 

BOA RAPARIGA
Abby Abernathy não bebe, não pragueja e trabalha muito. Abby acredita que está enterrada no nefasto passado, mas, quando entra no colégio, os seus sonhos de ter um novo começo sofrem um desafio numa noite.

MAU RAPAZ
Travis Maddox, sensual, bem-constituído e coberto de tatuagens é exactamente o que Abby precisa - e quer - evitar. Ele passa as noites a ganhar dinheiro num clube de combate e os dias no conhecido colégio Lothario.

DESASTRE IMINENTE?
Intrigado pela resistência de Abby ao seu charme, Travis entra na sua vida por uma aposta. Se perder, deverá viver em celibato durante um mês. Se Abby perder, terá de viver no apartamento de Travis por um período semelhante.

OU O PRINCÍPIO DE ALGO MARAVILHOSO?
De qualquer maneira Travis não faz a mínima ideia de que encontrou uma parceira de jogo à altura. Ou será o princípio de uma relação obsessiva e intensa que irá conduzi-los a um território inimaginável…

                                   
Beautiful Disaster (Beautiful, #1)Título Original: Beautiful Disaster
Edição:
Maio 2013
ISBN: 9789896573751







8 comentários:

  1. Essa do colégio é boa, é... será uma tradução literal de "college"? Porque um tradutor profissional tem a obrigação de saber que se traduz por universidade. :S

    Bem, a tua opinião, já te tinha dito, só me deu razão em nunca me ter aproximado deste livro... depois do 50 sombras fiquei vacinada contra relações amorosas disfuncionais. xD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. OMG P7 eu nem tinha pensado nisso mas acho que tens razão :O eu não acredito!! -.-

      Não vale mesmo a pena, e a visão que dão daquele mundo universitário..quer dizer não digo que até não seja verdade, mas não é o que acontece na maioria das faculdades..

      Eliminar
  2. Basicamente acho o mesmo. Foi uma desilusão igualmente para mim e um dos pontos que defendi ao 'discutir' com pessoas que gostaram do livro foi exactamente esse da violência gratuita. Perdoem-me os possíveis spoilers mas aquela cena em que o Travis está a bater naquele gajo que andava a 'stalkar' a Abbie a dar-lhe com a cabeça nos faróis... e tanta violência sem consequência alguma? Isso é não realistic fiction, como se diz no género. Este livro é só loucura atrás de loucura e tenho pena que seja o tipo de imagem que se vá passar para possíveis jovens que irão ler este livro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu bem me avisaste mas a sério eu pensava que ia adorar o livro, porque os outros dois livros que li dentro do género são um máximo! Mas este nem por isso. Não tenho é mesmo paciência para ler o 2º..ainda por cima é igual ao 1º. -.-

      Eliminar
  3. Concordo com tudo!

    Mas estive a pesquisar e descobri que "Walking Disaster" é sim do ponto de vista do moço, mas não conta a mesma história.
    A história continua do ponto em que parou.

    bjs :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário ;)

      Mas olha que eu estive a ver o ebook do walking disaster e olha que é mesmo a mesma história, eles conhecem-se outra vez e tal.. e as falas são quase iguais..

      Eliminar
    2. É como dizem, wikipédia e internet em geral pode ser muito aldrabona! ahaha

      xD

      Agora sei que também não vou gastar o meu precioso dinheiro para lê-lo!

      bjs e obrigada por me elucidares! :)

      Eliminar

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!