Arqueiro,

Compilação: "Casa da Noite - Vol. 1 a 7" de P.C. Cast e Kristin Cast

dezembro 04, 2015 Inês Santos 2 Comments



- Contém Spoilers -

Casa da Noite

#1 Marcada
#2 Traída
#3 Escolhida
#4 Indomável
#5 Perseguida
#6 Seduzida
#7 Queimada
#8 Despertada
#9 Destinada
#10 Escondida
#11 Revelada
#12 Redimida

Começando por fora - as capas portuguesas - tenho pena que não tenham sido mais fieis às personagens. Existem edições de outros países em que as modelos das capas simbolizam, e muito bem, as personagens desta saga, incluindo sempre as tatuagens, que é o que desperta mais a nossa curiosidade.
Em relação à tradução, ou até à linguagem, está cheia de erros! Notei mais nos primeiros livros esta situação, e expressões como "por amor do saco de plástico" (expressão na versão brasileira) é engraçada a primeira vez, mas depois perde toda a piada. Este é só um exemplo do que estas obras mais têm de negativo. Expressões demasiado acriançadas e juvenis que demonstram o quanto as personagens são jovens e fúteis. Agora que peguei novamente na saga, talvez seja porque estou com mais 5 anos do que tinha da primeira vez, já não me identifico com os mais novos e sim com os mais velhos, o que acaba por mudar um pouco a forma de ver a história.
As cenas mais índias, que depois passaram a ser mais cristãs, chatearam-me de morte. Nada contra, mas achei-as tão aborrecidas, principalmente porque é uma chatice tentar ler o nome em índio que a avó de Zoey lhe chama, aquele muito comprido. Na primeira vez anda vá lá, mas depois... não funciona mesmo comigo e acaba por ser repetitivo.
No lado oposto está a personagem de Neferet! Óptima personagem maligna. Odiei-a de morte, mas no primeiro livro bem que me enganou. Sinceramente esperava que a má da fita fosse sendo trocada ao longo da série, o que acabou por não acontecer. Esta continuidade aborreceu-me porque acaba por não haver grande diversidade e novidade. Isto acontece naqueles romances de metro sempre com o mesmo casal protagonista... Não há surpresas, é sempre o mesmo. Não acontece com Zoey porque as autoras foram-lhe acumulando homens e rapazes, e mesmo não havendo mais que uma troca de beijos repenicados (nem mesmo a cena de sexo com o mais velho valeu a pena) a história sempre vai andando, e misturando estas dúvidas amorosas com as maleitas que a protagonista vai sofrendo - o drama sempre lá se mantém e o nosso interesse também.
Não vou fazer a separação entre os livros, principalmente nos primeiros, porque isto foi uma releitura e por isso pouca coisa me surpreendeu, excepto a partir da morte de Heath e da quase morte de Zoey. Ora até aqui a história é engraçada, cheia de romance e promiscuidade, mas a partir daqui, ou seja a partir do 7º volume a coisa perde o interesse visto que as autoras se focam demasiado em Stevie Rae e em Stark, tentando arranjar, principalmente a esta primeira, um romance ao género da Zoey cheio de amores cruzados e indecisos. Eu cá não me senti minimamente atraída nem pela descrição nem pela personalidade de Rephaim e mais indignada fiquei que mesmo depois de tudo o que ele fez, a Stevie Rae, a bondade em pessoa, ainda se foi apaixonar logo por ele! Não teve lógica e pareceu-me demasiado forçado. Um casal horrível, o oposto de Afrodite e o seu musculado e sexy/inteligente/humilde/corajoso guerreiro, que quase que me conquistou mais que o Stark.
Antes disso, a alteração ou revelação da personalidade de Eric acabou por ser uma desilusão. A ideia que dá é que as autoras tinham que eliminar um dos vértices do triângulo para Zoey não parecer tanto como uma prostituta e mais como uma Alta Sacerdotisa a quem é permitido ter dois amantes, um guerreiro - outra mudança algo forçada -, e um humano.
Esmiuçando esta situação, a.k.a. o novo trio amoroso de Zoey, vamos começar pelo fim, pela morte de Heath. Foi de facto uma surpresa! Das grandes! E originou uma ainda maior sem dúvida, e refiro-me não só ao desmembramento da alma de Zoey, mas também ao desaparecimento das suas tatuagens magníficas, que era o que eu mais gostava nela!
As cenas no Outromundo pareceram-me muito vagas, sem grandes elementos que nos fizessem querer ler mais sobre a "vida" deles por lá, e acho que foi por isto, por termos perdido a Zoey como principal personagem, que o interesse meio que se evaporou, ficando só o desejo de ver como a situação se iria resolver. Para mim mais nenhuma personagem serviu de protagonista e analisando bem, nem as autoras acharam isso, visto que a constante alteração de pontos de vistas, em excesso a meu ver mas compreensível pois os personagens estavam muito distantes um do outro, serviu para tapar essa lacuna. Resumindo, deixamos de nos identificar com a personagem e por isso com a história.
Em relação ao segundo ponto, Stark virar guerreiro, também não me convenceu propriamente. Primeiro porque não há aqui a certeza do que se passa entre ele e Zoey (onde anda a atracção e o amor? senti mais entre ela e Eric do que entre ela e o resto!), segundo porque também não há nada certo em relação ao que ele é agora que ele é um vampiro vermelho, terceiro porque logo à primeira prova ele falhou redondamente, e porquê?, porque estava amuado! Infantilidade no ponto mais alto nível aqui nesta saga.
De qualquer forma gostei do esforço de melhoramento do carácter e vidas sexuais da protagonista, fez parecer que fosse mais correcto ela ter tantos poderes, tantos seguidores e tantos amigos.
Continuo a gostar das saídas das gémeas, principalmente quando têm resposta de Afrodite! Acho também que o círculo devia ter mais presença, não nos círculos, mas na história. Os romances das gémeas não correram muito bem, e o de Damien correu bem demais. Parece que estas personagens transformaram-se de secundárias para figurantes. Claro que têm umas cenas, mas são raras.
Continuo também a achar uma história deste género com teor sexual ser escrito por mãe e filha.

Zoey Redbird tem 16 anos e vive num mundo igual ao nosso, com uma única excepção: os vampyros não só existem como são tolerados. Os humanos que os vampyros "marcam" como especiais entram na Casa da Noite, uma escola onde se vão transformar em vampyros ou, se o corpo o rejeitar, morrer. Para Zoey, apesar do medo inicial, ser marcada é uma verdadeira bênção. É que ela nunca encaixou no mundo normal e sempre sentiu que estava destinada a algo mais. Mas mesmo na nova escola a jovem sente-se diferente dos outros: é que a marca que a Deusa Nyx lhe fez é especial, mostrando que os seus poderes são muito fortes para alguém tão jovem. Na Casa da Noite, Zoey acaba por encontrar amizade e amor, mas também mentira e inveja. Afinal, nem tudo está bem no mundo dos vampyros e os problemas que pensava ter deixado para trás não se comparam aos desafios que tem pela frente. 
Zoey Redbird pertence à Casa da Noite e sabe que foi abençoada com vastos poderes pela deusa vampyra Nyx. Mas quando começa finalmente a sentir-se integrada entre os amigos e é escolhida para líder das Filhas das Trevas, o impensável acontece: a Casa da Noite é acusada das mortes misteriosas de alguns adolescentes humanos.Mais do que nunca o perigo ronda os amigos de Zoey - e ela sabe que os poderes que a tornam única também ameaçam aqueles que ama. Quando a tragédia chega à Casa da Noite, a jovem precisará de coragem para enfrentar a traição que ameaça o seu coração, a sua alma... e o próprio mundo que a acolheu. 
Forças tenebrosas dominam a Casa da Noite, onde as aventuras de Zoey Redbird tomam um caminho inesperado. Aqueles que aparentam ser amigos afinal revelam-se inimigos. E estranhamente, inimigos oferecem-lhe amizade. Assim inicia-se o terceiro volume desta série viciante onde a força de Zoey será testada como nunca antes. A sua melhor amiga, Stevie Ray, julgada morta, esforça-se por manter a sua humanidade. Zoey não sabe como ajudá-la, mas sabe que tudo o que fizer tem que ser mantido secreto na Casa da Noite.
Como se não bastasse, Zoey encontra-se na rara e difícil posição de ter três namorados. E quando julgava que a sua vida não podia ser mais caótica, vampyros são encontrados mortos. Realmente mortos. Aparentemente, o Povo da Fé cansou-se de viver lado a lado com vampyros. Mas, como Zoey e os seus amigos irão descobrir, as aparências raramente reflectem a verdade...


A vida é dura quando os amigos nos viram as costas. Que o diga Zoey Redbird que, em uma semana, passou de três namorados para nenhum, e perdeu a confiança do seu grupo íntimo de amigos. E o pior é que Zoey sabe que a culpa é sua. Marginalizada por todos, ela não resiste a criar amizade com o novo aluno da Casa da Noite, o arqueiro olímpico James Stark.Entretanto, Neferet declarou guerra aos humanos depois do assassinato de dois vampyros mortos pelo Povo da Fé. Mas ao contrário das promessas da Sumo-Sacerdotisa, as últimas visões de Afrodite mostram um mundo cheio de violência, ódio e trevas. Zoey sabe que é errado lutar contra os humanos, mas quem está disposto a dar-lhe ouvidos? As aventuras de Zoey na escola de vampyros tomam um caminho perigoso em que as lealdades são testadas, e um antigo mal é despertado…
As boas notícias: Zoey conquistou os seus amigos de volta e a nova Stevie Ray já não é apenas um segredo de Neferet. As más notícias: um mal antigo com rosto de anjo foi libertado, com outras criaturas não tão angélicas. A avó Redbird está em apuros. Heath está em apuros. A Casa da Noite está em apuros. Na verdade, o mundo inteiro de Zoey está a ruir! Mas quando os problemas são desencadeados por um ser que aparenta personificar a própria beleza, em quem irá o mundo acreditar? Especialmente quando uma adolescente vampyra à frente de um grupo de marginalizados é a única a compreender o perigo que ele representa. Terá Zoey a força e a sabedoria para revelar a verdade?

Num mundo igual ao nosso mas onde os vampyros não só existem como são tolerados, A Casa da Noite é uma escola de referência. Um local cheio de perigos e segredos onde os jovens marcados têm dois destinos: ou se transformam em vampyros ou morrem destroçados. Zoey Redbird é uma das melhores alunas e foi escolhida pela deusa Nyx para um grande destino. Mas como se não bastassem todas as invejas de que é alvo, agora enfrnta desafios cada vez mais difíceis: para além de ter de lidar com três rapazes que disputam os seus afectos, (sendo um deles um Guerreiro destinado a proteger Zoey e a sentir as suas emoções), também terá de enfrentar as forças negras que despertam nos túneis sob Tulsa. Estranhas visões avisam Zoey de que deverá resistir aos encantos de Kalona, e também mostram que apenas ela terá o poder de travar esse imortal maléfico. Cedo se torna claro que Zoey não tem escolha: se não se render a Kalona ele vingar-se-á sobre os seus amigos mais próximos e a família. Terá Zoey Redbird a coragem para arriscar perder a sua vida, o seu coração e a sua alma?
Zoey Redbird, vampyra destinada a ser Alta Sacerdotisa, perdeu o seu caminho. Os imensos poderes que detém foram insuficientes para salvar uma das pessoas mais próximas de si, despedaçando a sua alma e coração. Agora o seu grupo de amigos tem de lutar para que ela regresse e ponha um fim às trevas que se apoderam da Casa da Noite.Mas o mal tem os seus próprios planos e estes não esperam por Zoey. Os vampyros enfrentam a maior ameaça de sempre e precisam de toda a força da jovem para lidar com problemas muito para além de novas raças de vampyros, imortais caídos em desgraça ou namorados. A escuridão apodera-se do mundo e apenas Zoey poderá lutar por um caminho ao encontro da luz… Se não se queimar… 

2 comentários:

  1. Eu deixei de ler esta série há uns anos porque já me estava a aborrecer demais. Por todas e mais algumas razões (algumas bem mencionadas por ti), já me estava a fartar da história, pelo que decidi não continuar a lê-la e não me arrependo nada da decisão :)
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, eu estou com vontade de largar, mas depois penso no dinheiro que investi e pelo menos tenho que os ler uma vez. =S

      Beijinhos

      Eliminar

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!