18 de junho de 2014

Opinião Policial: "Os Aromas do Amor" de Dorothy Koomson


Para começar não sei como classificar os romances de Dorothy Koomson.
Estou indecisa entre Romance Contemporâneo e Suspense (ou neste caso policial). Acabei por me decidir pela última porque há tanto mistério nestas páginas e nestas famílias que estamos mais empolgados, ao ler o livro, em descobrir o pai de..., o assassino de..., etc. do que saber com quem é que alguém vai ficar, neste caso Saffron.
Mais uma vez o facto de ter começado o livro em inglês talvez tenha contribuído para a leitura mais lenta e por isso para uma primeira parte, ou primeiras 100 páginas, mais monótonas apesar das revelações. Não sou muito fã dos capítulos pequenos e senti a falta dos títulos em cada capítulo, tão próprios da autora.
A temática da culinária é de longe a minha preferida, mas quando quase ignoramos essas partes e nos focamos na vida de Saffron, a história começa a ganhar o seu quê de especial.
O vislumbre de trio amoroso que nos aparece, os pequenos segredos que vamos descobrindo das personagens, nomeadamente da própria Saffron, da tia Betty e de Fynn. O pouco jeito que tenho para ser detective e as migalhas de informação e suspeita que Dorothy Koomson vai-se "esquecendo" de propósito ao longa das páginas deste livro contribuíram para uma constante tensão e desconfiança em quase 80% das personagens. Até desconfiei da "mãe" de Joe vejam lá!
Penso que apesar de todas as obras de Dorothy Koomson serem cheias de dramas da vida real, esta é talvez a mais recheada. Se a autora exagerou no recheio? Ou no tempero? Ao inicio achava que sim, que eram demasiadas desgraças para a pobre Saffron, mas no final tudo acaba por estar relacionado. Coitada!
Vou então saltar até às últimas 100 páginas, já que foram as mais empolgantes (li tudo Dorothy!).
O desenlace para Phoebe foi uma boa escolha. Algo iria resolver a sua situação por ela e às vezes as coisas apesar de graves vêm por bem. O mesmo não concordo para Fynn. Sempre o preferi ao senhor professor, por isso quando Saffron decidiu... grrr.
Gostei também das pazes com os pais de Joe tal como adorei, aliás amei, a cena do ferro de engomar. Lindo! E gostei ainda mais quando no final a culpa dele era por outra coisa. Ahahah.
Os Aromas do Amor não ultrapassa os meus favoritos da autora, mas os seus ingredientes, uns docinhos que até enjoam (Imogen), outros amargos (Kevin), outros picantes (ai Fynn!), outros maduros (tia Betty) e outros meios crus (crianças), resultam num romance agridoce que depois de mastigado e engolido deixa um sabor doce e nostálgico.
Como sempre Dorothy não fecha as portas, ou seja não mete um ponto final, ou pelo menos não nos dá o final que queremos, mas deixa-nos satisfeitas com o destino de todas as personagens.
Posso repetir mais uma fatia?
Sinopse no Doce do Momento.

Título Original - The Flavours of Love
Edição - Maio 2014
ISBN - 9789720046185

https://www.goodreads.com/book/show/22079546-os-aromas-do-amor

Sem comentários:

Enviar um comentário

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!