Compilações,

Compilações: "Mundos opostos" e "Véus Rasgados" de Nora Roberts

fevereiro 08, 2014 Mafi 0 Comments



Mais dois livros lidos, que ajudaram no desafio Harlequin como também foram importantes na maratona, pois são livros muito fáceis e rápidos de se ler, o que é perfeito para quem anda a devorar livros como nós :D

"Mundos opostos" foi uma boa surpresa! Confesso que a capa pouco original e a sinopse envolvendo o mundo do ténis, desporto pelo qual não tenho o mínimo interesse (Badminton! \o/) deixaram-me de pé atrás mas adorei todo o ambiente desportivo e tenista! 

Mundos Opostos (Language of Love #9 - China Aster)A Asher e o Ty foram um casal um pouco ambíguo. Adorei-os de certo mas aqueles motivos da separação deles não me convenceram de todo e achei-os muito infantis e do século passado. Mas pronto os adultos às vezes têm atitudes estranhas e com algum esforço, engoli e a história. E aquela cena da irmã...bem nem comento, achei mesmo muito forçado, podia haver outro motivo qualquer mas não gostei desta culpa em cima da irmã, por mais inocente tenha sido a sua intenção, que só queria ver o irmão feliz. 

O romance de reconciliação foi muito giro mas o que acabei de gostar mais foi a competição do mundo do tenis. Aqueles torneios à volta do mundo, encolhidos em 288 páginas, foram deliciosos de se verem e as descrições...bem Nora Roberts aqui expõe todo o seu potencial como escritora, eu própria senti que estava a ver os jogos! Achei todas as cenas muito visuais, como sempre, por parte desta autora. 

Infelizmente aqui senti que a história estava cortada, ou então foi impressão minha, mas havia partes que pareciam que não encaixavam e não fluíram tão bem. Mesmo assim recomendo, como livro avulso foi um dos melhores que li da Nora. 


Véus Rasgados"Véus Rasgados" já foi mais fraquinho mas mesmo assim gostei. Ainda mais pequeno que o outro livro da autora, a estória de Luke e Gwen não se mostrou tão apelativa como o outro romance mas conseguiu manter-se num nível mediano e satisfatório para o tipo de livro que é, um livro de banca. Sendo um livro antigo da autora, dos anos 80 não esperava mais do que acabou por ser. À semelhança de Ash e Ty, Luke e Gwen foram um casal também ambíguo: gostei deles, como personagens individuais (mais do Luke) mas como casal senti que faltava ali algo, e depois aquele pensamento da Gwen, que fazia com que se sentisse culpada pelo amor por Luke foi um pouco parvo, porque tirou conclusões precipitadas e podia muito bem ter resolvido logo os problemas, ao perguntar à mãe as suas dúvidas. Não percebi bem a insistência na diferença de idades, se o Luke andasse com a mãe dela...doze anos não é muito e nem deveria ser posto em causa, mas pronto não esquecer que é passado nos anos 80...

Mais uma vez senti que faltavam partes no livro mas pronto não posso fazer nada...uma boa leitura.

Conclusão: porquê estes títulos? não percebi nem para um livro nem para o outro.


0 comentários:

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!