20 de julho de 2017

A Sair do Forno: "Gregor - A Última Profecia" de Suzanne Collins



Todos têm tentado impedir que Gregor veja A Profecia do Tempo. É que esta profecia - a última - vaticina a morte do guerreiro. E o guerreiro é Gregor, claro. Com o exército dos ratos a aproximar-se rapidamente de Regalia, e o tempo a esgotar-se, Gregor tem de reunir toda a sua coragem para defender a cidade e levar a família, em segurança, de regresso a casa. Pela frente, há alguns obstáculos, como um complexo código que tem de ser decifrado e uma guerra para acabar com todas as guerras. Os destinos da Subterra e do bravo guerreiro desenrolam-se magistralmente neste fantástico e emocionante episódio final da série Gregor, de Suzanne Collins.
Último livro a 2 de Agosto!



 

A Sair do Forno: "O efeito Rosie" de Graeme Simsion



Dez meses e dez dias após o seu casamento, encontramo-nos de novo com Don e Rosie, agora a viverem felizes em Nova Iorque. Mas Rosie está grávida e Don tem de se preparar para ser pai - o maior desafio da sua vida, anteriormente tão organizada. Para Don, cujo equilíbrio mental se baseia na planificação, a chegada de um filho é assustadora. Por outro lado, na sua atividade profissional, as surpresas multiplicam-se... Será Don, com o seu espírito científico, capaz de preservar a felicidade? Ou regressará ao seu anterior estilo de vida, arriscando-se a perder Rosie para sempre?


Sai dia 2! 

19 de julho de 2017

Opinião Young-Adult: "Se Eu Ficar" de Gayle Forman



Ao contrário da última opinião, este é um livro que me desiludiu a 100%.
Estava há algum tempo para conhecer Gayle Forman e, portanto, quando saiu o filme decidi ir em frente e tratar de arranjar o livre para depois poder ver a adaptação. Ora o livro não me agradou muito por isso lá terei que desistir da ideia original.
O que não gostei: o facto de toda a história ter mais a ver com a família, e é tudo muito feliz pelos vistos, do que propriamente com o acidente. Depois a meio começa a ser apenas sobre o romance, mas este descrito de forma mais para a música e para as diferenças deles do que o romance em si.
O livro é curto e por isso não acho que tenha havido grande desenvolvimento da história (qual história?), apenas saltos na vida da protagonista baseado em memórias. Os poucos momentos do Presente ainda são os que mais gostei, tal como do fim.
Alguém me disse que o segundo é melhor porque é sobre o romance de Mia, mas sinceramente a vontade de continuar é nula. Talvez quando já não tiver tão presente na memória pegue no próximo.
Também gostei do conteúdo hospitalar, onde tive alguma empatia e reconhecimento, mas fora isso nada me entusiasmou grandemente. A temática do rock e da música clássica foi demasiado esmiuçada e como não fazem parte da minha lista de músicas não tive grande ligação.
A parte inicial da tragédia, e até quando nos vão revelando as consequências desta, ainda foi o que puxou um pouco ao coração, tal como o discurso Adam, ou até do avô de Mia.
Mais uma vez a capa com a cara dos actores, ou apenas se tivesse visto o trailer, pode contribuir sempre para a história não ser lida tão bem, já que a nossa imaginação não "voa" tão bem e estamos restringidos à memória visual dos personagens já escolhidos por alguém.

Naquela manhã de Fevereiro, quando Mia, uma adolescente de dezassete anos, acorda, as suas preocupações giram à volta de decisões normais para uma rapariga da sua idade. É então que ela e a família resolvem ir dar um passeio de carro depois do pequeno-almoço e, numa questão de segundos, um grave acidente rouba-lhe todas as escolhas. Nas vinte e quatro horas que se seguem, Mia, em estado de coma, relembra a sua vida, pesa o que é verdadeiramente importante e, confrontada com o que faz com que valha mesmo a pena viver, tem de tomar a decisão mais difícil de todas.

16 de julho de 2017

Primeiras Impressões: "A contadora de histórias" de Jodi Picoult



Em Junho, o Continente fez uma feira do livro melhor que a Feira do Livro de Lisboa. Apesar de já ter este livro em ebook, não resisti em trazer um exemplar físico para casa. 

Ando com vontade de voltar a ler Jodi mas ao mesmo tempo não me apetece. Enfim, dizem que este é um dos melhores dela portanto espero gostar, visto que o último que li dela - Entre as linha - desiludiu-me bastante.

Gosto imenso da capa portuguesa, embora destoe na estante das edições da Civilização e da Editorial Presença mas pronto agora temos duas editoras a publicar esta autora e é sempre melhor que não ter nenhuma.

Pausa para Chocolate: "O Ano Em Que Nos Amámos Perigosamente" de Julia London







Por razões de força maior, tive que pousar o anterior e pegar neste. Tenho boas referências, o que é bom.

Inglaterra, 1808. Quando Declan O'Conner, conde de Donnelly, chega a Hadley Green para conhecer a nova condessa de Ashwood, basta-lhe apenas um olhar para perceber que a bela nobre que o recebe não é quem deveria ser. Para tentar fugir a um casamento indesejável, Keira Hannigan assumiu a identidade da verdadeira condessa, sua prima, em viagem pelo estrangeiro. Intrigado com o segredo que rodeia a mentirosa sedutora, Declan decide não a desmascarar e até concorda em ajudá-la a lançar luz sobre o mistério que envolve as preciosas joias desaparecidas de Ashwood. A situação, no entanto, precipita-se rapidamente quando um chantagista obscuro ameaça revelar o escândalo e o conde percebe que deve proteger Keira a todo custo.

15 de julho de 2017

Encontra as Diferenças: "Outlander" e "Zew górzystej krainy"



Sozinha ou acompanhada?

Imagem relacionada

Opinião Contemporânea: "Antes de ires" de Clare Swatman




A Planeta tem vindo a surpreender com alguns lançamentos interessantes. Uns não me despertam de todo a minha atenção mas outros, nomeadamente os romances contemporâneos e de autoras novas, têm suscitado o meu interesse e depois da boa surpresa que foi "Sinto a tua falta" resolvi também dar uma hipótese a este lançamento fresquinho de Julho.

Antes de dar a minha opinião queria só mencionar que este livro tem duas sinopses e sinceramente nenhuma delas mostra o que realmente o livro trata, vejamos:

Esta história começa com um fim. Mas este fim é apenas o princípio.
Um romance para todos aqueles que acreditam no poder do amor, e que acreditam que nunca é tarde de mais para mudar as coisas.
Um romance muito emocional, envolvente e profundo para todos os públicos.
Um livro que explora os sentimentos, os sentimentos de culpa e os remorsos.
Uma abordagem diferente sobre o luto e o amor.
Nesta primeira sinopse temos um conjunto de frases feitas que não dizem nada sobre o livro. 

ENCONTRA A SUA ALMA GÉMEA...
Há pessoas que passam anos a ver o amor à sua frente antes de o descobrirem. Zoe e Ed fizeram, com mais ou menos tropeções, o seu caminho até à idade adulta, cada qual pelo seu trilho... mas sempre na mesma direção. Anos mais tarde, depois de terem navegado por empregos que não levavam a parte nenhuma e caóticas partilhas de apartamentos, o amor floresce finalmente. O futuro juntos parece ponto assente...
ENTÃO ACONTECE O IMPENSÁVEL.
Uma manhã, a caminho do trabalho, Ed é derrubado da sua bicicleta e morre. E Zoe tem de arranjar maneira de sobreviver. Mas não está preparada para abrir mão das suas recordações. Como pode esquecer os tempos felizes, o primeiro beijo, tudo o que construíram juntos? Zoe decide que tem de dizer a Ed todas as coisas que nunca disse.
SÓ QUE AGORA É DEMASIADO TARDE. OU NÃO SERÁ?
Esta sinopse já é um pouco melhor mas não revela o twist da estória que vou mencionar na minha opinião, embora não considere um spoiler pois é uma parte da premissa do livro e não um acontecimento no desenvolvimento do mesmo.
35597417 
O livro conta a história de um casal, Zoe e Ed que são casados há vários anos mas que nos últimos tempos têm vindo a afastar-se, com o casamento a passar uma fase de crise e à beira da separação. 

O livro começa com mais uma das recorrentes discussões do casal. Na despedida de Ed para o trabalho, Zoe, irritada e zangada pelos acontecimentos dessa manhã, acaba por nem se despedir do marido. Horas depois é avisada no trabalho que Ed foi atropelado e morreu.

Remoendo as últimas palavras que disse ao marido e tudo aquilo que ficou por dizer, Zo não consegue conformar-se com o que aconteceu e um dia decide tratar do jardim da casa que tanto Ed gostava. Ao escorregar e bater com a cabeça, Zoe acorda no dia seguinte em 1993, vinte anos antes do presente e no dia em que conheceu Ed pela primeira vez. É nesta viagem ao passado que Zoe terá a oportunidade de mudar o futuro e impedir Ed de morrer.

O livro começa pelo fim e o próprio título já revela mais ou menos como acaba e apesar disto tudo, gostei imenso de ler esta obra da estreante Clare Swatman. 
Gostei do voltar atrás no tempo e mostrar toda a relação da Zoe e do Ed e como eles chegaram ali, de como se conheceram nos tempos de faculdade, as viagens que fizeram e os problemas matrimoniais. Ao longo de todos estes acontecimentos, Zoe tenta perceber o que tem de fazer para mudar o futuro e o mais interessante no livro é isso, ir vendo as datas passarem até chegar ao dia em que Ed morre e como tudo vai acabar. Será que podemos mesmo mudar o destino? 

É um livro romântico, talvez um bocadinho cliché mas que passa várias mensagens sobre relacionamentos, amor e até mesmo sobre a vida. Gostei da escrita da autora, muito contemporânea e fácil de ler, tanto que devorei este livro em 3 dias. 

Gostei imenso da Zoe e do Ed, em momento algum me irritaram e gostei como as personagens eram realistas. Por exemplo Zoe quer apostar na carreira e não tem vontade de constituir família tão cedo, ao contrário de Ed que anseia por ter um filho. Este tipo de problemas são comuns em muitos casais, quando os desejos individuais interferem no relacionamento de ambos e gostei muito dessa parte e de como eles tentam resolver os seus problemas. 

Uma boa estreia desta autora e uma boa aposta da Planeta, um livro perfeito para quem gosta por exemplo de Jojo Moyes. Recomendo.


Primeiras Impressões: "More happy than not" de Adam Silvera



Ando para mostrar esta aquisição há mais de um mês, que vergonha. Foi dos primeiros livros que comprei em Junho e até chegou rápido mas tirei foto a depois esqueci-me (na verdade fiquei com preguiça) de pôr aqui.

Tenho ouvido falar deste livro há um ano, sempre com opiniões muito positivas. É mais um livro lgbt, pelo que sei sobre um rapaz que pensava que era heterosexual, até começar a ter sentimentos pelo seu melhor amigo. Como achei interessante e o autor é gay, vamos lá ver como isto corre. Dizem que é um livro depressivo, espero que não me ponha triste.

Facto curioso e estupidez da minha parte, só há pouco tempo é que percebi que a capa era metade de um smile, e foi porque vi num vídeo alguém a dizer isso. Sabem o que é que eu pensava que era? Um ponto e vírgula. Ahaha,a sério sou mesmo tonta às vezes. xD 

14 de julho de 2017

Opinião New Adult: "Isto Acaba Aqui" de Colleen Hoover



Não, ainda não foi desta que dei cinco estrelas a um romance de Colleen Hoover. Não percebo se é pelas expectativas serem tão grandes, mas de facto este não foi o tal. Continuo, porém, super fã desta escritora. Ela de facto tem um dom para a empatia e até para a atracção entre personagens, sabendo muito bem como o transmitir, tanto nas descrições como nos diálogos.
Também neste livro podemos encontrar muitos exemplos de humor e cenas caricatas, mesmo sendo um romance com tão grande peso emocional. Tanto estamos com vontade de rir (e rimos mesmo) como estamos com vontade de chorar (e às vezes também acontece).
O facto de não ter adorado tanto como a maioria dos leitores foi talvez culpa da previsibilidade da história, pois o romance com Ryle foi sempre tão perfeito, mas ao mesmo tempo cheio de mistério.
Gostei da maneira de pensar de Ryle e percebe-se a afinidade entre eles, mas o avanço quase romântico dele (ou sexual) pelo menos foi um tanto exagerado. E quando finalmente o conhecemos melhor então aí é que acabou a piada toda. A arrogância dele não é um ponto a favor, mas torna-o mais real.
Agora o que mais gostei neste livro e que foi, para mim, o ponto principal e que vai fazer com que nunca mais me esqueça desta obra, foi a maneira como a autora conseguiu transmitir o que se passa na cabeça destas mulheres. Que passam por isto. E que continuam. Eu confesso ser uma dessas pessoas que julgava estas mulheres, mas depois desta leitura posso dizer que mudei e que compreendo muito mais. Claro que o facto de compreender não me faz aceitar facilmente porque continuo a ter a minha opinião forte em relação a este ponto. Mas pelo menos, quando alguém me contar uma história destas, os meus pensamentos já não vão ser tão críticos, nem as minhas acções tão precipitas. Um ponto muito positivo para Colleen Hoover!
E por isto tudo Lily foi umas das minhas personagens femininas preferidas. Foi difícil entendermo-nos, mas no final creio que ao fechar o livro me senti ligada a ela. Aquele final foi perfeito para este livro quase perfeito.
Para além do romance super excitante inicial, para além da temática central, adorei a geometria de toda a história. Aqueles cenários que se iniciam logo no primeiro capítulo, em cima daquela alpendre no telhado, são tão bons que nos apetece ir lá, porque talvez consigamos sentir estes sentimentos que estas páginas nos fazem sentir de forma ainda mais intensa!
No final de tudo terminei apaixonada pela personagem Atlas. Eles sempre são muito bons (boas pessoas, claro), mas Atlas fica-nos no coração sem dúvida. Este apesar de pouco protagonismo ao longo do livro, acaba também por sofrer do mesmo de Ryle: previsibilidade. De qualquer forma, compensa nas suas atitudes e conquista-nos do inicio. Só gostava que Colleen lhe tivesse colado um defeito! Mas não... Nada... Niente...
Sendo assim, fico contente por ter demorado tanto a escrever esta opinião. Isto Acaba Aqui não é um livro fácil de digerir e por isso as palavras não iriam surgir e nem iria conseguir escrever metade do que coloquei aqui. É necessária muita meditação e pensar bem no que lemos. Assim, tanto tempo depois os batimentos cardíacos já diminuíram e podemos escrever algo sem a garganta apertada.

Sugestão: Leiam o extra da autora. A sua explicação vai ainda fazer mais diferença em toda a leitura, mas cuidado porque vão admirá-la muito mais e ela vai subir na tabela para bem próximo do topo.
"E não se trata de um ressonar ligeiro, como quem se deixou dormitar. É um ressonar de quem está bem a meio da fase REM do sono."
pág. 69 linha 17
P.S. - Na sinopse diz que tem 25 anos, no primeiro capítulo diz que tem 23. Não sei se foi lapso ou se percebi mal.
O que te resta quando o homem dos teus sonhos te magoa? Lily tem 25 anos. Acaba de se mudar para Boston, pronta para começar um nova vida e encontrar finalmente a felicidade. No terraço de um edifício, onde se refugia para pensar, conhece o homem dos seus sonhos: Ryle. Um neurocirurgião. Bonito. Inteligente. Perfeito. Todas as peças começam a encaixar-se.
Mas Ryle tem um segredo. Um passado que não conta a ninguém, nem mesmo a Lily. Existe dentro dele um turbilhão que faz Lily recordar-se do seu pai e das coisas que este fazia à sua mãe, mascaradas de amor, e sucedidas por pedidos de desculpa.
Será Lily capaz de perceber os sinais antes que seja demasiado tarde? Terá força para interromper o ciclo?

Primeiras Impressões: "Angélica e Lorenzo" de Lettie S.J.



Apesar de já ter visto esta capa a circular por aqui, esta e o título nunca me puxaram curiosidade para ler sequer a sinopse.
Chegando cá a casa decidi ler tal como o texto da contracapa. Infelizmente não ando muito inclinada para os eróticos. Ando mesmo a precisar de romances com mais alguma coisa!
Outro aspecto que não gostei foi o título, ou o tipo de letra usado.
Um amor escrito nas estrelas e o encontro de dois amantes num fulgor magnético que nada nem ninguém poderão separar. Um romance sensual, erótico, com protagonistas jovens (17 e 19 anos), que aborda problemas muito actuais, como o bullying e a violência no namoro, mas numa história irresistível, verosímil e de leitura imparável. A acção passa-se perto do Porto - na cidade da Póvoa de Varzim (onde a autora mora) e tem a originalidade e a força de ter como protagonista um par romântico muito jovem e de nacionalidades diferentes:- uma brasileira com um português-italiano.

Origem: "Angélica & Lorenzo" de Lettie S.J.


Gostam ao natural ou com mais zoom??


Resultado de imagem

13 de julho de 2017

Encontra as Diferenças: "Taken" e "Taunt"



Esta é daquelas que só se altera o filtro da imagem e se acrescenta/tira um pouco de cabelo.


Opinião Young-Adult: "Always and forever, Lara Jean" de Jenny Han


Normalmente não gosto muito quando os autores esticam a corda às suas estórias. Este é o 3º livro de uma trilogia que sempre foi dada como apenas uma duologia, mas como gostei tanto dos anteriores e eu adoro esta protagonista, lá decidi ler este lançamento de Maio (lá fora, por cá vai demorar um pouco a chegar)

Que bem que fiz em pegar neste livro pois adorei completamente! 

É difícil falar dele sem dar spoilers, porque senão, não tinha nada para dizer portanto se não leram ainda os livros anteriores, leiam e depois venham ler aqui a minha opinião.

30312860Neste terceiro livro temos a nossa Lara Jean num estado muito diferente dos anteriores. Encontra-se no último ano do liceu e com um pé a entrar na faculdade. Se vocês sabem como é o processo de entrada nas faculdades americanas, então sabem que é muito diferente do sistema universitário português. Lá não há média para entrar no curso que queremos e na faculdade que desejamos mas sim outros requisitos são pedidos como por exemplo cartas de recomendação de professores e um texto de motivação sobre um determinado tema. A admissão ou não também é diferente, enquanto que aqui sai apenas o resultado da faculdade a que entrou, nos USA podem ser admitidos em várias e depois escolher em qual frequentar. 

Normalmente esta época costuma ser de grandes nervos, ansiedade e escolhas difíceis e é assim que iremos encontrar a nossa protagonista: em muitos dilemas.Principalmente quando não é aceite na faculdade dos seus sonhos. É a partir daqui que todos os planos que tinha traçado com Peter, acabaram por alterar-se.

Como disse, adorei este livro. Não sei porquê mas senti-me muito conectada com todas as personagens, especialmente com a protagonista. Acho que foi um livro que passou do YA para um nível mais adulto e isso vê-se na maturidade que a Lara vai ganhando ao longo do livro, especialmente nas decisões que toma.
Gostei também das outras pequenas histórias paralelas como o casamento do pai, a visita da Margot e a sua reação à nova madrasta. A Kitty continua um máximo e o melhor de tudo é que o nosso casal favorito - Lara e Peter - continuam juntos. Posso confessar que o Peter é mesmo aquela personagem masculina que só deve existir nos livros, pois ele é perfeito. A maneira como ele trata a Lara é tão fofa e romântica! São mesmo um casal que adoro.

Um livro que ao princípio achava dispensável, visto como acabou o segundo, tornou-se um favorito. Se gostam da série, não percam a leitura deste, embora seja mais centrado em decisões da protagonista e não tenha um enredo principal, aconselho bastante, especialmente se tiverem a passar pelo mesmo.


Lara Jean’s letter-writing days aren’t over in this surprise follow-up to the New York Times bestselling To All the Boys I’ve Loved Before and P.S. I Still Love You.
Lara Jean is having the best senior year a girl could ever hope for. She is head over heels in love with her boyfriend, Peter; her dad’s finally getting remarried to their next door neighbor, Ms. Rothschild; and Margot’s coming home for the summer just in time for the wedding.
But change is looming on the horizon. And while Lara Jean is having fun and keeping busy helping plan her father’s wedding, she can’t ignore the big life decisions she has to make. Most pressingly, where she wants to go to college and what that means for her relationship with Peter. She watched her sister Margot go through these growing pains. Now Lara Jean’s the one who’ll be graduating high school and leaving for college and leaving her family—and possibly the boy she loves—behind.
When your heart and your head are saying two different things, which one should you listen to?

 

12 de julho de 2017

Primeiras Impressões: "A Ilha das Quatro Estações" de Marta Coelho



Com um bilhete muito querido e personalizado, este livro de autora nacional chegou cá a casa para ler e partilhar convosco.
Gosto do título e do tipo de letra, mas a montagem da capa não foi muito feliz.
O tamanho do livro é mais pequeno que o normal, mas compensa na grossura, apesar do tamanho das letras ser considerável. De qualquer forma começo a achar que este tamanho de livro é mais confortável em termos de leitura e até mais seguro de não se dobrarem os cantos da capa quando anda na mala.
Em relação à sinopse só tenho a apontar a escolha de nomes estrangeiros, mas como está meio meio, menos mal.
Curiosamente este livro saiu hoje para as bancas e quem abriu a sua ficha no Goodreads esqueceu-se da sinopse.
Onde todos os sonhos são possíveis.
Este é o livro com que todos os jovens se conseguem identificar, uma história atual e relevante sobre os receios, as paixões, as fragilidades e a força de quatro jovens à procura de um novo rumo.
Cat sentia-se sem rumo e não queria ver ninguém. Tiago só desejava poder voltar a viver como antes. Misha isolara-se do mundo à sua volta. Rute precisava de vencer uma batalha muito dolorosa.
Os seus caminhos cruzam-se na ilha e, juntos, preparam-se para enfrentar os seus demónios pessoais. Mas há quem tenha outros planos para eles…
Será que a tua vida pode mudar quando tudo parece correr mal?

A Sair do Forno: "Implacável" de Sherrilyn Kenyon



Sai a 14 deste mês.
Vive rapidamente, luta ferozmente e, se morreres, leva contigo o maior número de inimigos que conseguires É de acordo com este lema das Amazonas que Samia vive e pelo qual morreria. Na Nova Orleães contemporânea, a imortal Amazona está prestes a conhecer um mal pior do que tudo o que já encontrou e que está a chegar para massacrar a Humanidade. O transmorfo Dev Peltier guardou o Santuário durante praticamente duzentos anos e nesse período viu de tudo. Ou assim pensou. Agora, os seus inimigos descobriram uma nova fonte de poder - uma que torna tudo o que enfrentaram até agora uma brincadeira.
A guerra começa, e Dev e Sam estão no centro dos acontecimentos. Mas, para vencerem, eles terão de quebrar a mais importante de todas as regras e esperar que isso não destrua o universo como o conhecem. A série Predadores da Noite está de volta com uma heroína disposta a lutar sem misericórdia para salvar o seu mundo

Doce do Momento: "O Milésimo Andar" de Katharine McGee



Vamos dar uma oportunidade a este.
Uma torre de mil andares. A visão brilhante de um futuro onde tudo é possível se assim o desejarmos. Nova Iorque, cidade de sonhos e inovação daqui a cem anos. Todos querem qualquer coisa… e todos têm algo a perder. O exterior impecável de Leda Cole esconde um vício secreto por uma droga que nunca devia ter experimentado e por um rapaz em quem nunca devia ter tocado. A vida bela e descuidada de Eris Dodd-Radson desmorona-se quando uma traição lhe destrói a família. O trabalho de Rylin Myers num dos andares mais altos mergulha-a num mundo e num romance inimaginável… mas essa vida nova custar-lhe-á a que tinha antes? E a viver acima de todos, no milésimo andar, está Avery Fuller, uma rapariga que parece ter tudo, mas que vive atormentada pela única coisa que nunca poderá ter.

Primeiras Impressões: "A Amiga" de Dorothy Koomson



O ADPOC também teve direito ao miminho e por isso cá está ele na rubrica do costume.
É bastante grosso e a sinopse leva-nos para menos romance e mais suspense. Prefiro algo mais dramático, mas o último livro da autora que li foi mais familiar, acabando por não gostar tanto dele como costumo gostar da obras de Dorothy.
Quando o marido é promovido, Cece Solarin muda-se para Brighton com os três filhos, animada com a possibilidade de um recomeço. No entanto, o ambiente do bairro que a acolhe parece-lhe ansioso e os vizinhos sobressaltados.
Cece descobre que, três semanas antes, Yvonne, uma das mães mais populares da zona, foi deixada às portas da morte, no pátio da escola dos filhos - a mesma onde se vê obrigada a inscrever os seus.
No primeiro dia de aulas, Cece conhece três mães muito diferentes que parecem querer ajudá-la neste novo começo. Mas Maxie, Anaya e Hazel são também amigas de Yvonne, e a polícia desconfia que uma delas poderá estar envolvida no crime.
Preocupada com a segurança dos filhos, Cece está decidida a descobrir a verdade…