28 de fevereiro de 2017

Opinião Fantástica/Young Adult: "A Maldição do Vencedor" de Marie Rutkoski






Amado por muitos "A Maldição do vencedor" é um livro que vem sofrido de um hype contínuo desde que foi lançado lá fora, em 2014.

Não sabia quase nada deste livro, sabia que era um YA histórico e pouco mais. Aliás o próprio título engana...a maldição não era de todo o que eu esperava e por vencedor pensava que ia haver algum jogo ou torneio no livro mas nada disso, quer dizer até há um jogo, de poder e conquista, jogado por duas equipas e com dois líderes diferentes...mas iguais um ao outro.
30843039
Estas duas personagens principais são Kestrel, filha de um general de Valória, um povo que conquistou as terras e o povo Herrani. tornando-os seus escravos. E é aqui que iremos conhecer Arin, comprado por Kestrel, num leilão de escravos da cidade.
É raro eu ler fantasia, simplesmente porque gosto de ler mais livros contemporâneos, com locais que eu consiga me identificar (embora eu leia só livros passado no estrangeiro em países em que nunca fui), mas a mim como leitora, apela-me mais viajar para sítios que um dia talvez consiga conhecer, do que mundos épicos que são totalmente fictícios.

Já tinha lido muito boas opiniões sobre este livro e decidi arriscar e comprar a trilogia inteira e ainda bem que o fiz, pois gostei bastante desta obra de Marie Rutkoski! Confesso que das primeiras coisas que me surpreendeu foi o livro ler-se tão bem. Li-o em poucos dias e quando digo que lê-se bem é nem dar pelas páginas passar, e quando vemos já estamos a pouco do final. Já-me disseram que o segundo já não é assim, vamos ver.

Adorei os dois protagonistas e gostei imenso que não houvesse aquela romance ardente logo do início. Aliás de ardente...só se for na personalidade da Kestrel, porque o romance é bem light e é mais amizade ainda do que propriamente amor. O Arin não me deslumbrou, mas acho que ainda me vai surpreender. Gostei da Kestrel e dos estratagemas dela. Vê-se que é esperta, até quando as coisas não estão a seu favor. Gostei imenso da ligação da música à história e espero que seja um tema recorrente ao longo da trilogia. Acaba por aliviar a tensão das políticas no livro. 
Quero ler o segundo livro já em Março e depois talvez o terceiro em Abril, embora esse seja um volume grande. 

Se não costumam ler este género mas têm curiosidade, arrisquem que são capazes de gostar! 


Kestrel, jovem filha do poderoso general de Valoria, tem apenas duas opções: alistar-se no exército ou casar-se. Ela tem, no entanto, outras aspirações e procura libertar-se do seu destino, rebelando-se contra o pai.
Num passeio clandestino pela cidade, Kestrel vai parar a um leilão de escravos, onde se depara com um jovem, Arin, que parece querer desafiar o mundo inteiro sozinho. Num impulso, ela acaba por comprá-lo — por um preço tão alto, que a torna alvo de mexericos na sociedade.
Arin pertence ao povo de Herrani, conquistado dez anos antes pelos Valorianos. Além de ser um ferreiro exímio, revela-se também um cantor extraordinário, despertando a curiosidade de Kestrel. Arin, contudo, tem um segredo, e Kestrel não tardará a descobrir que o preço que pagou por ele poderá custar muito mais do que aquilo que alguma vez imaginara. 

 

1 comentário:

  1. Adoro a capa deste livro, a sinopse promete tanto e já ouvi opiniões tão positivas <3
    Tenho mesmo de ler :)

    ResponderEliminar

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!