Lorraine Heath,

Opinião Histórica: "As Lições do Amor" de Lorraine Heath

maio 16, 2016 Inês Santos 0 Comments



O último  livro que li foi o segundo da saga O Clube dos Canalhas, aqui em Portugal conhecido como Um Conde Apaixonante, da mesma editora que este, mas de diferente autora. Estou a referir esta leitura porque os pontos em comum entre estes dois livros são significativos: desde nomes de personagens até à história base, em que lady procura lord para lhe ensinar os truques do amor.
Só que aqui a personagem feminina já conhece o duque desde pequena e este sofreu uma perda muito grande, entregando-se então à libertinagem. Mas ambas as personagens femininas dos dois livros vão pela calada procurar os senhores para lhes fazerem propostas parecidas.
O romance de Lorraine Heath está dentro da linha dos de Sarah MacLean, parecendo até continuação destes. Existem algumas diferenças em termos de escrita, mas o base continua lá e é muito semelhante.
Os diálogos são bastantes, as descrições baseiam-se mais nas emoções dos personagens e menos nos cenários, quase antes do final existe aquele momento em que ele ou ela têm que provar o seu amor, etc.
N'As Lições do Amor cabe essa tarefa ao Duque de Lovingdon que supostamente deixou de amor desde que a sua família morreu. Aqui começam alguns pontos mais agridoces: a questão do duque ter deixado de amor é desde logo do início muito pouco convincente, principalmente quando começa a descrever os seus sentimentos para com a sua falecida esposa e como eles se relacionavam. Se aquilo é amor... principalmente sendo ele tão apaixonado em relação a Lady Grace.
Gostei principalmente das partes dos ciúmes, tanto da parte da nossa Lady como da parte do nosso duque. Sinceramente aquele fim surpreendeu-me bastante, pois apesar de haver sempre um vilão, este não chega àquele ponto.
É, portanto, um romance muito doce, cheio de sensualidade e cenas comprometedoras. Temos o ingrediente dos amor entre amigos que depois vira atracção. Temos beijos escondidos e de tirar o fôlego, mas também temos provas de amor. Temos outros elementos femininos, que espero que apareçam em volumes seguintes, e temos uma espécie de rascunho de lista de "como saber se o homem nos ama". Muito engraçada esta parte, principalmente quando as lady's se juntam para fazer coisas de homens e discutir estes mesmos tópicos.

Lady Grace Mabry tem tudo o que uma donzela debutante pode desejar: é bonita, inteligente, vem de boas famílias e possui um dote bastante valioso. No entanto, Grace desconfia dos inúmeros pretendentes que a cortejam, pois acredita que muitos estão apenas interessados na sua riqueza.
Para a ajudar a perceber se os interesses dos seus apaixonados são genuínos, Grace procura o seu amigo de infância, o Duque de Lovingdon. Sem qualquer fé no amor desde que perdeu a família, Lovingdon vive uma vida de libertinagem e prazer. Conhecedor dos jogos e estratagemas para conseguir a atenção de uma mulher, Lovingdon só tem de ensinar a inocente Grace a diferenciar as emoções falsas das verdadeiras.
Mas mal as lições começam, Lovingdon depara-se com um jogo demasiado perigoso, que parece não conseguir controlar…
Conseguirá o Duque abrir o seu coração inteiramente ou irá perder aquela que descobriu que ama?

0 comentários:

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!