30 de novembro de 2015

Na Fila: Dezembro



E chegámos ao último mês do ano...é tempo de terminar desafios e ler todos os livros parados antes de 2016!

Mafi:
Em novembro os meus planos saíram furados e tudo culpa da série da Ally Carter que não me deixou solução se não ler os 6 livros (quase) todos seguidos. Resultado, acumularam-se outras leituras!


Da esquerda para a direita: 1. É para uma leitura conjunta, só espero gostar deste livro; 2. Comprei este livro no ano passado para ler no Natal e estupidamente não o li, como são contos deve ler-se bem; 3. Queria tê-lo lido em Novembro mas não deu; 4. Gostei imenso desta novidade da Individual e quero ver o que sai daqui; 5. Mais o 1º livro de uma série que tenho curiosidade, se gostar vai ser lido tudo seguidinho! 

Ne:

A esperar que Dezembro corra tão bem como os dois meses anteriores.

Lista de desejos: Dezembro



Com o fim do ano já começam é a aparecer novidades para 2016 e aqui ficam aquelas que acrescentámos à nossa wishlist:

Mafi:

Começando de cima para baixo e da esquerda para a direita. 1. Não gostei da capa portuguesa mas desde que este este livro saiu em inglês (2012) que ando curiosa com ele. 2. Ainda não li o 1º mas adorei esta novidade da SDE para Janeiro de 2016, a capa está muito gira. 3. Já li a outra série da Paula Pimenta e portanto este é de leitura obrigatória. 4. A sinopse parece-me bem e fico contente que não tenham traduzido o título do italiano para português.

Ne:
 Lista de compras para Dezembro! Poucas mas boas... Se arranjar em ebook ainda melhor.

A Sair do forno: "Uma vida juntos" de Nora Roberts




Se tivesse de fazer uma escolha, preferia aceitar o amor.
Roman DeWinter nunca conhecera o calor de um lar... Até que encontrou o caminho para a pousada da encantadora Charity Ford. Mas ele estava ali incógnito, à procura de uma mente criminosa, e todas as provas apontavam para ela. Como poderia desemaranhar toda a trama de falsificação e contrabando e, ao mesmo tempo, eliminar Charity da lista de suspeitos?

Em Dezembro nos quiosques! 

28 de novembro de 2015

Doce do momento: "United we spy" de Ally Carter


13580951


Último livrooooo!!


Cammie Morgan has lost her father and her memory, but in the heart-pounding conclusion to the best-selling Gallagher Girls series, she finds her greatest mission yet. Cammie and her friends finally know why the terrorist organization called the Circle of Cavan has been hunting her. Now the spy girls and Zach must track down the Circle’s elite members to stop them before they implement a master plan that will change Cammie—and her country—forever. 

Origem: "Um beijo inesquecível" de Teresa Medeiros







Já há muito tempo que não tínhamos uma origem da QE aqui no blog...e este é um dos inúmeros livros que a Mafi tem para ler na estante!

26 de novembro de 2015

Primeiras Impressões: "The Disenchantments"de Nina LaCour



Chegou mais um livrinho cá a Lisboa e ele é tão lindooooooooo *.* 

Acho que é um dos hardcovers mais bonitos da minha estante e veio praticamente como novo embora seja usado!

Eu gosto tanto desta capa e a lombada também é chamativa. Finalmente tenho na estante um livro com uma lombada amarela.


Por dentro o livro não tem nada de especial, o hardcover em si é em azul. O livro por fora dá vontade de o ler apenas no verão mas parece-me que também será uma boa história para ler no Inverno!


O livro fala sobre uma road-trip entre amigos e muita música. Espero que seja um livro com referências a músicas actuais e que me proporcione bons momentos de leitura! 

A Sair do Forno: Fractured - Fraturada de Teri Terry



Num mundo cheio de perigos, em quem podes confiar?

Dois meses depois de ter sido Reiniciada, Kyla não devia ter recordações da sua vida anterior. Mas, e apesar de ser verdade que ela sempre foi diferente, um acontecimento traumático trouxe-lhe de volta algumas memórias. Agora, Kyla está dividida entre a pessoa que se lembra de ser e a que tem de ser. E se lembrar já é muito perigoso, as coisas complicam-se ao descobrir que há uma figura central do seu passado que entrou mais uma vez na sua vida. Dividida entre escolhas impossíveis, Kyla precisa de descobrir quem realmente é - não o que foi ou o que querem que seja, mas a sua verdadeira natureza. Mas o preço da descoberta pode ser demasiado alto.

A fracturar dia 27 de Novembro!

Continuação de:
 

24 de novembro de 2015

Opinião Young-Adult: "Cartas de amor aos mortos" de Ava Dellaira




Quando a Editorial Presença anunciou no seu twitter o lançamento de "Cartas de amor aos mortos" fiquei muito contente por este lançamento. Já há algum tempo que queria ler este livro e portanto o seu lançamento em Portugal significava uma leitura da minha parte.

27507491Já não me lembro do último livro epistolar que li mas admito que - como forma narrativa - as cartas não são o género que mais aprecio. Mas 'cartas de amor aos mortos' (sem trocadilho) torna-se quase impossível de resistir. Depois de pesquisar um pouco sobre algumas das personalidades que figuram neste livro, foi com algumas expectativas que iniciei a leitura. 

Posso já começar por dizer que achei interessante o conceito das cartas a personagens públicas e bem conhecidas do mundo do entretenimento mas acho que o livro não deveria ter sido todo contado nesta forma, ou seja deviam ter sido a excepção e não a regra. Chegou a uma parte que tornou-se repetitivo e monótono e simplesmente aborrecido de se ler.

Aqui temos Laurel, uma jovem adolescente traumatizada com a morte prematura da irmã mais velha e mais popular que ela. Nova na escola, a pressão para se integrar e socializar é bastante e Laurel acaba por fazer amizade com  pessoas tão semelhantes quanto ela, com pessoas de alguma forma também rejeitadas e com os seus problemas. Ao longo do livro para além dos problemas de Laurel também vamos conhecendo bem a Hannah e a Natalie e foi interessante a autora ter desenvolvido as personagens secundárias para lá de serem apenas amigas da Laurel.

Eu não senti grande empatia com o romance neste livro, não sei porquê mas não consegui gostar do Sky nem achei que ele gostasse verdadeiramente da Laurel.

O mais interessante do livro penso que seja o mistério da morte da May, algo que não nos é revelado ao início e que até vai atiçando a curiosidade do leitor para saber o porquê de tanta infelicidade por parte da Laurel. Em questão não está só a morte de um ente querido, mas a maneira como foi e o porquê de a Laurel se sentir culpada por este acontecimento.

Eu gostei do formato das cartas a pessoas mortas e das personalidades que integram este livro (especialmente Kurt Cobain e Amy Winehouse) só acho que este formato limitou um pouco a narrativa do mesmo. Por vezes parecia uma entrada de um diário de uma adolescente a contar como foi o seu dia, nem parecia em formato carta. E por isso repito, foi uma ideia interessante mas que não me convenceu totalmente.

A escrita da autora é bonita mas ainda assim achei que faltava profundidade e aquele toque especial para fazer do livro um must read da literatura young-adult. A mim encantou mas não me deslumbrou.

Após a trágica morte da irmã mais velha, Laurel sente o mundo ruir. Com a separação dos pais, tem de viver com a tia, uma católica fervorosa que lhe impõe rígidas normas de comportamento.
Numa aula de Inglês, a professora desafia os alunos a escreverem uma carta a alguém que já morreu. Laurel dirige a primeira carta a Kurt Cobain, porque a irmã adorava esse cantor. A partir daí, sucedem-se missivas endereçadas aos seus ídolos do cinema, da música e da literatura – todos mortos.
Nas cartas, Laurel aborda facetas cativantes dos seus ídolos e partilha momentos marcantes da própria vida, dos novos amigos ao primeiro amor.
Contudo, continua atormentada pelo passado, e apenas poderá libertar-se quando enfrentar o mistério que envolve a morte da irmã. 



23 de novembro de 2015

Doce do Momento: "Out of sight, out of time" de Ally Carter


10560331

Apesar de no 4º livro ter acontecido muitas coisas que deram uma volta à série, este não foi o meu favorito mas vamos a ver como corre a leitura do 5º volume!

The last thing Cammie Morgan remembers is leaving the Gallagher Academy to protect her friends and family from the Circle of Cavan-an ancient terrorist organization that has been hunting her for over a year. But when Cammie wakes up in an alpine convent and discovers that months have passed, she must face the fact that her memory is now a black hole. The only traces left of Cammie's summer vacation are the bruises on her body and the dirt under her nails, and all she wants is to go home.
Once she returns to school, however, Cammie realizes that even the Gallagher Academy now holds more questions than answers. Cammie, her friends, and mysterious spy-guy Zach must face their most difficult challenge yet as they travel to the other side of the world, hoping to piece together the clues that Cammie left behind. It's a race against time. The Circle is hot on their trail and willing stop at nothing to prevent Cammie from remembering what she did last summer. 

Opinião Young-Adult: "Morra Por Mim" de Amy Plum



- Contém Spoilers - 

No Ponto de Situação a obra já não prometia muito. Consegui passar dos primeiros capítulos, mas não melhorou, como podem confirmar pela pontuação total e final.
Quando li o título e gostei da capa imaginei uma obra diferente. Imaginei algo mais romântico e não tão heróico. Algo como um deles ter que morrer de forma especial para salvar a alma gémea, por exemplo.
Aqui eles são mortos-vivos, tipo vampiros, mas sem a parte do beber sangue, e ao mesmo tempo fantasmas - quando estão numa fase da sua morte eles flutuam e falam com os companheiros. Pareceu-me demasiado fanfic do Twilight com um toque maior de sobrenatural. A autora tentou ser original e até conseguiria se tivesse diminuído os "potenciais" dos jovens mortos. Gostei dos Passados de todos eles, gostei das suas mortes e gostei do altruísmo destas, mas não gostei da ideia dos heróis que se sacrificam uma e outra vez por pessoas que não conhecem sem terem o livre arbítrio. Este último ponto acabou por anular as boas acções, visto que eles se sacrificaram da primeira vez por vontade deles, mas das outras todas é por terem um impulso demasiado forte para  o contradizerem.
A obsessão que eles sentem pela pessoa que salvaram, no inicio pareceu-me algo rebuscado também, mas com o avançar da história e com o que acontece com um dos irmãos, acaba por lhe dar o motivo e portanto valer a pena.
No caso dos maus da fita, adorei o principal. Está bem descrito e toda a sua maldade transparece bem para fora da página/ecrã. Como tudo se iniciou não ficou bem esclarecido. A autora só descreve como se iniciou a guerra entre Vincent e o mau da fita, não como se iniciaram estas ressuscitações.
Além de cliché, como já comentei, esta história de rapazes e raparigas tão novos e com passados tão tristes, continua mesmo assim a ser muito jovem, com demasiada emoção, típico de adolescentes ou adultos pouco maduros.
O romance em si, como já disse no Ponto de Situação, é demasiado instantâneo, mesmo para um amor à primeira vista. Ela parece intercalar a tristeza pela morte dos pais e o sonho por um francês bonito demasiado rapidamente.
Continuo a imaginar a mesma história, mas com a irmã de Kate no lugar dela. Como seria? Menos lamechas de certeza.
Gostei das descrições de França, o que, agora que escrevo esta opinião (altura dos atentados em Paris), acaba por ter um significado ainda maior.

Quando os pais de Kate morrem em um trágico acidente de carro, ela deixa sua vida para trás e vai morar com os avós em Paris. Para ela, a única maneira de sobreviver à dor é se jogar nos livros e na arte parisiense - até conhecer Vincent. Misterioso, charmoso e muito bonito, Vincent ameaça derreter seu coração com apenas um sorriso. No entanto, Kate descobre que ele tem uma missão muito especial na Terra, e que está envolvido em uma guerra que vem sendo travada há séculos. Ela logo percebe que, se seguir seu coração, pode nunca mais viver a salvo novamente.

21 de novembro de 2015

Doce do Momento: "Only the good spy young" de Ally Carter



6950688

Começar a ler esta série foi das melhores decisões (como leitora) dos últimos tempos. Estou a adorar e o ambiente faz-me lembrar tanto os livros do Harry Potter! Tenho pena que não tenha traduzido mais nada em Portugal. :( 

When Cammie Morgan enrolled at the Gallagher Academy, she knew she was preparing for the dangerous life of a spy. What she didn’t know was that the serious, real-life danger would start during her junior year of high school. But that’s exactly what happened two months ago when Cammie faced off against an ancient terrorist organization dead set on kidnapping her.
Now the danger follows her everywhere, and even Cammie “The Chameleon” can’t hide. When a terrifying encounter in London reveals that one of her most-trusted allies is actually a rogue double-agent, Cammie no longer knows if she can trust her classmates, her teachers—or even her own heart.
In this fourth installment of the New York Times best-selling series, the Gallagher Girls must hack, spy, steal, and lie their way to the truth.as they go searching for answers, recognizing that the key to Cammie’s future may lie deep in the past. 


19 de novembro de 2015

Origem: "Um caso perdido" de Colleen Hoover





Já tinhamos as origens dos outros dois livros da autora, só faltava mesmo esta! Quem gosta de Coleen Hoover?


23005405Photography by Andrey Aleshin

Tag: Hábitos de Leitura





Um muito obrigada à Vera Neves do blog Sinfonia dos Livros e às meninas do Pepita Mágica por nos passarem esta TAG!

1. Tens um lugar específico na casa para ler?

Mafi - Sim, normalmente ou leio mais é na cama. Leria mais no puff se ele não tivesse sempre cheio de roupa. :P
Ne - Sofá, cama e wc, apesar de ter comprado uma cadeira para leitura. Só depende da altura do dia.

2. Marcador ou Pedaço de Papel?
Mafi - Marcador, agora ando a querer comprar uns magnéticos!
Ne - Marcador, mas agora com o Kobo já nem isso uso.

3. Consegues parar simplesmente de ler ou tem de ser sempre no final de um capítulo ou a um certo número de páginas?
Mafi - Se for livro em papel paro simplesmente se for ebook gosto de ler até a uma percentagem tipo de 10 em 10% se parar de ler e tiver - por exemplo - nos 17% leio mais um pouco até aos 20%. Não sei se me estão a perceber.
Ne - Depende da quantidade de sono que tenha. Ultimamente adormeço sem sequer fechar o livro.

4. Comes ou bebes enquanto lês?
Mafi - Sim mas só quando leio no ereader, livro em papel já não.
Ne - Raramente. Mas quando vou comer levo o Kobo e leio.

5. Música ou TV enquanto lês?
Mafi - Música sim, algumas vezes.
Ne -  Música sim. TV só olho se estiver ligada e alguma coisa me chamar a atenção.

6. Um livro de cada vez ou vários ao mesmo tempo?
Mafi - Vários ao mesmo tempo, eu nem sei a última vez em que tinha só um livro no currently reading no GR mas já deve fazer uns bons...anos.
Ne - Tanto faz. às vezes estou a ler um em cada língua.

7. Ler em casa ou em qualquer lugar?
Mafi - Qualquer lugar, até no trabalho quando não há nada para fazer!
Ne - Qualquer lugar.

8. Ler em voz alta ou silenciosamente?
Mafi - Em silêncio!
Ne - Silenciosamente. Aliás, quando leem em voz alta irrita-me profundamente.

9. Lês para a frente e/ou pulas páginas?
Mafi - Só se estiver mesmo muito empolgada e não aguentar esperar mas é raro :(
Ne - Antes espreitava o final, agora nem por isso.

10. Quebrar a lombada ou mantê-la como nova?
Mafi - Eu prefiro manter nova nem para que depois se quiser trocar ou vender o livro esteja em melhor estado.
Ne - Eu prefiro-a nova, mas em livros como os da Harlequin, os de bolso, eu costumava quebrar. Tenho um da Nora Roberts que li-o tantas vezes que a lombada está partida de 10 em 10 páginas, mais ou menos. Até fica engraçado, mas depois as folhas soltam-se.

11. Escreves ou fazes anotações nos livros?
Mafi - Às vezes para escrever as opiniões.
Ne - Antes sim, aliás reli um livro à pouco tempo que tinha apontamentos meus e de uma amiga. Agora já não faria isso mas não deixa de ser engraçado voltar a ler os meus pensamentos desses anos.

12. Quem tagueias?
Ahh esta é a parte que não sabemos quem já respondeu e portanto sintam-se à vontade para responderem se quiserem! 

18 de novembro de 2015

Compilação: "A Rainha" e "O Príncipe" de Kiera Cass



Estas foram histórias curtas (#0,4 e #0,5 da série) que me despertaram a curiosidade. Confesso que fiquei surpresa com a primeira e desiludida com a segunda.
A questão da doença da Rainha foi novidade, mas mesmo assim achei que a autora não descreveu muito bem a atracção que originou um amor tão sincero e duradouro entre estes dois personagens. Gostei de conhecer o que estava por detrás da personalidade do rei, apesar de achar que se ele não gostava da maneira como o pai e a mãe se comportavam então ele não devia ter reproduzido estes exemplos, nomeadamente no caso de como geriu a questão das castas.
Em relação à história do príncipe estava à espera de uma versão mais carinhosa, mas apenas foi uma outra versão do que já tínhamos lido nos livros "principais". Não acrescentou grande coisa.

Uma das personagens mais cativantes de A Seleção é a rainha Amberly, mãe do príncipe Maxon. Ao longo da série, descobrimos pouca coisa a seu respeito, e muitas dúvidas permanecem: como uma pessoa tão bondosa e gentil se apaixonou por um homem rígido e impiedoso? Por que Clarkson a escolheu, considerando que ela vinha de uma casta baixa e de uma província pobre? E qual era exatamente seu estado de saúde? Chegou a vez de Amberly contar sua própria história. Em A rainha, disponível em edição digital, acompanhamos a Seleção anterior à de America Singer, quando Amberly foi ao palácio com outras trinta e quatro garotas para disputar o coração do então príncipe Clarkson. O leitor enxergará uma nova faceta do rei através dos olhos apaixonados de Amberly, entenderá melhor o relacionamento dos dois e conhecerá um pouco mais do passado dessa personagem tão encantadora — uma garota simples que provou que uma rainha pode vir de qualquer casta.
Conto inédito e gratuito, "O Príncipe" não só proporciona um vislumbre dos pensamentos de Maxon nas semanas que antecedem a Seleção, como também revela mais um pouco sobre a família real e as dinâmicas internas do palácio. Você descobrirá como era a vida do príncipe antes da competição, suas expectativas e inseguranças, assim como suas primeiras impressões quando as trinta e cinco garotas chegam ao palácio.


Primeiras Impressões: "Fátima - A Filha de Maomé" de Marek Halter



Tal como à Mafi, a mim também me chegou um exemplar da Bizâncio para o nosso 3º Aniversário. A mim calhou-me o segundo volume. 
Gosto da capa, pois mostra uma mulher com algum carisma e poder, tal como a sinopse. 
A temática preocupa-me um pouco, mas tal como na Fórmula de Deus de José Rodrigues dos Santos sei que vou aprender bastante. Será uma leitura demorada, mas penso que há livros que necessitam de tempo para serem interiorizados.
A vida em Meca torna-se demasiado perigosa para o Mensageiro de Allah. Muhammad decide partir e Fatima acompanha-o na sua longa viagem para Yatrib, futura Medina. Onde são acolhidos pela comunidade judaica, que reconhece nos ensinamentos de Muhammad a herança de Abraão e de Moisés. No entanto, essa é uma época de mágoa para Fatima. O pai desposa Aïcha, a filha muito jovem de Abu Bakr. Fatima sente-se traída. Casada com Ali sente-se constrangida num papel que não se lhe adequa. Longe das ideias feitas, o romance de uma mulher rebelde no momento em que o nascimento do Islão altera o equilíbrio entre judeus, cristãos e politeístas na Península Arábica. Uma grande epopeia romanesca.

Primeiras Impressões: "Forbidden" de Tabitha Suzuma




O "Forbidden" é o primeiro de 8 livros que estou à espera que cheguem a casa. Sim deu a louca em mim este mês...mas eu prometo que vou ler isto tudo em 2016! 

(e a culpa é da Amazon...!) 


Já queria ler este livro há imenso tempo e nunca o consegui apanhar no Awesomebooks mas na Amazon ele não me escapou e veio em óptimo estado. 

Para quem não sabe "Forbidden" fala sobre um amor entre uma rapariga e um rapaz que....são irmãos! Eu nunca li (e se li não me lembro) de algum livro que falasse de incesto e portanto estou muito curiosa para ver o que sai daqui. Dizem que é de partir o coração e chorar litros, vamos a ver se também me comove tanto. 

Nas Prateleiras: "One with you" de Sylvia Day


17876897

Já há capa! Já há sinopse! Já há data! 

Foi divulgado muito recentemente a capa do último livro da trilogia virada série de 5 livros da autora Sylvia Day! 

O livro está previsto para 5 de Abril de 2016 e encerra a série "Crossfire" que já tem 4 livros publicados e supostamente uma futura adaptação para televisão. 

Gideon Cross. Apaixonar-me por ele foi a coisa mais fácil que eu fiz. Aconteceu instantaneamente. Completamente. Irrevogavelmente.
Me casar-me com ele foi um sonho tornado realidade. Continuar casada com ele é a luta da minha vida. O amor transforma. O nosso, é tanto um refúgio contra a tempestade mais violenta de todas as tempestades. Duas almas danificadas entrelaçadas em uma só.
Temos descoberto os segredos mais  profundos um do outro. E Gideon é o espelho que reflete todos os meus defeitos e… toda a beleza que eu não podia ver. Ele deu-me tudo. Agora, é a minha vez de provar que eu posso ser a sua segurança, o seu porto de abrigo que ele  também é para mim.
Dolorosamente e sedutoramente pungente, "One with you" é o eletrizante e aguardado final da Série Crossfire, uma história de amor ardente, que cativou milhões de leitores em todo o mundo.

Sai dia 5 de Abril de 2016! 

Continuação de:
Rendida (Crossfire, #1)RefletidaEntwined with You - Portugal