28 de fevereiro de 2015

Opinião Contemporânea: "Um mais um" de Jojo Moyes



Apesar de ser uma autora com já alguma fama, foi há dois ou três anos que JoJo Moyes tornou-se numa das autoras favoritas de muita gente depois de ter lançado o livro "Viver depois de ti" que irá para os cinemas ainda este ano. Após esse lançamento já publicou mais livros, todos eles com muito boas opiniões. 

A autora realmente cresceu como escritora e como alguém que leu as suas obras antes e depois do "Viver depois de ti" percebe essa evolução ao longo destes anos. 
Com o lançamento do seu novo livro, a expectativa era não era grande, era enorme. A sinopse parecia ser fantástica e o resultado final não desiludiu em nada.

Um mais um"Um mais um" ainda sem publicação em Portugal (espero que não demorem muito) fala de uma família caótica, inadequada em todos os aspectos. Jess é uma mãe solteira, que tenta dar aos seus filhos a estabilidade que precisam nas suas vidas. É uma mulher optimista e determinada, nada lhe parece afectar, e se realmente a afectar, faz tudo com um sorriso no rosto e segue em frente.

Ed Nicholls é um génio informático que sem qualquer intenção maldosa acaba por ver-se numa grande polémica que lhe poderá custar a sua profissão e uns bons anos de vida. Os dois acabam juntos numa viagem até a uma olimpíada de matemática em outro país. A juntar à equação (sem trocadilhos) temos Tanzie (ou Constanza) uma menina que gosta mais de matemática do que bonecas e Nicky, um rapaz meio gótico e que todos pensam que é problemático, mas que no fundo apenas ainda não encontrou ninguém com quem se identificar. Ah e não nos esqueçamos de Norman, o cão da família descrito 'tão grande como uma vaca".

Todas as personagens são honestas e reais e é logo o primeiro impacto que temos ao ler o livro. Que esta é uma história que podia perfeitamente ser real. O livro é contado dos quatro pontos de vista (Jess, Nicky, Ed e Tanzie) e Moyes fez um trabalho notável com a caracterização de cada um. Em nenhum momento as vozes das personagens se confundem. Apesar dos capítulos estarem identificados por quem está a narrar, mesmo que não tivessem seria bastante fácil perceber a voz da personagem. Com os diferentes pontos de vista, a autora consegue mostrar uma das muitas qualidades como escritora, não é fácil escrever um livro com tantos POVS sem que se torne confuso, mas Moyes fá-lo de forma exemplar. 

Ainda em relação às personagens, há que analisar a atitude de cada uma e toda a mensagem que o livro transmite. Esta família é desajustada e como tantas outras famílias deste tipo, a maior parte das vezes, parece que nada de bom acontece. Jess mostra que é sempre bom fazer o certo e que tudo o que fazemos de bem temos em retorno, embora em muitas vezes isto não aconteça e ela própria admita que de vez em quando a vida prega-nos uma partida. Mas é importante realçar que a atitude de "nunca desistir" está presente em todo o livro. 

Outro ponto bastante positivo é o facto de mais de metade do livro passar-se em viagem. Adoro livros de viagens e viagens com estranhos ainda melhor. Foi giro ir lendo todas as peripécias que lhes iam acontecendo e ficar de coração apertadinho quando nada corria bem. 

"Um mais um" é de facto um livro fantástico, não há nada de negativo que lhe possa apontar. Tem drama, romance, comédia. A escrita da autora está cada vez melhor e as personagens fazem o livro. Não digo apenas só a Jess ou o Ed, mas todos. É um livro aconchegante que nos mostra uma pequena família com problemas e um amor que se desfez mais rápido do que começou. Que nos mostra que a vida tem uma série de obstáculos mas que a maioria deles podem ser contornados e é possível seguir em frente. Para mim é melhor que "Viver depois de ti" e é até agora, o livro favorito de 2015!
Há dez anos, Jess Thomas ficou grávida e largou a escola para se casar com Marty. Dois anos atrás, Marty saiu de casa e nunca mais voltou.
Fazendo faxinas de manhã e trabalhando como garçonete em um pub à noite, Jess mal ganha o suficiente para sustentar a filha Tanzie e o enteado Nicky, que ela cria há oito anos. Jess está muito preocupada com o sensível Nicky, um adolescente gótico e mal-humorado que vive apanhando dos colegas. Já Tanzie, o pequeno gênio da matemática, tem outro problema: ela acabou de receber uma generosa bolsa de estudos em uma escola particular, mas Jess não tem condições de pagar a diferença. Sua única esperança é que a menina vença uma Olimpíada de Matemática que será disputada na Escócia. Mas como eles farão para chegar lá?
Enquanto isso, um dos clientes de faxina de Jess, o gênio da computação Ed Nicholls, decide se refugiar em sua casa de praia por causa de uma denúncia de práticas ilegais envolvendo sua empresa. Entre ele e Jess ocorre o que pode ser chamado de ódio à primeira vista. Mas quando Ed fica bêbado no pub em que Jess trabalha, ela faz questão de deixá-lo em casa, em segurança. Em parte agradecido, mas principalmente para escapar da pressão dos advogados, da ex-mulher e da irmã — que insiste em que ele vá visitar o pai doente —, Ed oferece uma carona a Jess, os filhos e o enorme cão da família até a cidade onde acontecerá o torneio.
Começa então uma viagem repleta de enjoos, comida ruim e engarrafamentos. A situação perfeita para o início de uma história de amor entre uma mãe solteira falida e um geek milionário.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!