25 de dezembro de 2014

Opinião Contemporânea: "Minta que me ama" de Maria Duffy



Não podia deixar de ler uma leitura natalícia para assinalar esta data do ano. Optei por um livro que não conhecia até há umas semanas atrás mas que me pareceu fofo e adequado para ler no Natal e a sinopse até me intrigava bastante.

Minta Que Me AmaJenny é viciada no Twitter, fala com três amigas diariamente e num acto de embriaguez convida as duas três melhores amigas online a passarem uns dias em sua casa. As três aceitam, felicíssimas por se conhecerem na vida real.

Minta que me ama revelou-se um livro cheio de realidades camuflado de comédia, ou seja trata de assuntos sérios a brincar. Estamos numa era em que as redes sociais são bastante populares e todos nós - através de alguma rede - podemos ter a maior vida de sempre. A exposição que temos na internet é dada por nós e por aquilo que queremos mostrar. Se postarmos só coisas positivas e aquilo que nos acontece de bom, todos vão pensar como somos sortudas por termos uma vida magnífica, porque é só isso que mostramos aos nossos seguidores e amigos online.

Jenny tinha uma vida aborrecida, um emprego fixo mas monótono e uma vida amorosa desastrosa mas no Twitter ilude - inocentemente ou não - aqueles que lhe seguem, com uma vida bem sucedida. Ela pensava que era a única a omitir os verdadeiros factos da sua vida, mas quando as três amigas chegam a sua casa para passar uns dias, Jenny descobre que afinal nem tudo o que parece é, e que a vida que o trio leva não é muito diferente da sua. 

É após a chegada das amigas a casa de Jenny que os segredos começam a revelar-se e as ilusões do Twitter se desvanecem. Duffy fez um trabalho bastante competente em mostrar a importância que hoje se dá às redes sociais e aquilo que aparentamos ser na internet. Pequenas mentiras ingénuas tornam-se num vício que que não acaba e transformamos a nossa vida num rol de cenários imaginários. Depois chega uma altura em que nos deparamos com a vida real e em que temos de aceitar as consequências da nossa própria ilusão. 

Gostei imenso de como a autora lidou com as quatro amigas, apesar de ser dado um maior foco à Jenny. Ainda houve alguns altos e baixos, em relação a esta personagem, em especial na sua relação familiar com a mãe e com o seu próprio corpo. São temas abordados ao de leve e a autora podia ter explorado um pouco mais. Também achei que faltava mais conteúdo na componente romântica. A autora anda ali à volta, com vários pretendentes mas não há um ponto alto e fiquei um pouco desiludida. 

No fundo "Minta que me ama" ajuda a questionar se as pessoas são aquilo que demonstram ser e gostei do contraponto entre a vida real e a vida online. É um chick-lit que nos arranca gargalhadas mas que até nos mete a pensar sobre assuntos importantes. Fiquei apenas desiludida por não ter mais descrições natalícias e por a capa enganar um pouco o leitor, mas no fim, esta estreia está mais que aprovada!

Sinopse
O inverno é a estação mais aconchegante do ano, mas Jenny Breslin não se sente nada confortável. Tudo na sua vida a total ausência de romance, o emprego chatíssimo no banco foi tocado pela mágica das festas de fim de ano. A simples ideia de passar por mais um Natal com a sua mãe extravagante e Harry, o novo namorado dela, a enche de pavor. Mas isso é na vida real...

No Twitter, as coisas não poderiam estar mais interessantes. Nele, Jenny tem uma carreira em ascensão, uma vida amorosa sensacional e uma agenda superconcorrida. Então, em uma noite de bebedeira, Jenny está tuitando com suas amigas Zahra, Fiona e Kerry. E de repente ela as convida para passar alguns dias em sua casa em Dublin. À medida que a sua vida virtual entra em rota de colisão com a sua verdadeira rotina, Jenny não sabe para onde correr. Tudo parece contribuir para mostrar que a existência das suas companheiras de Twitter é um milhão de vezes mais interessante do que a sua. O fim de semana chega, e segredos são compartilhados. Jenny começa a perceber que, enquanto ela sonhava, as coisas acontecem bem depressa.
Será que é muito tarde para que ela volte a assumir o controle da sua própria e verdadeira vida?

Any Dream Will Do. Maria DuffyTítulo Original: Any dream will do
Edição: Dezembro 2014













1 comentário:

  1. Olá!

    A capa é um verdadeiro amor. Não conhecia o livro nem a autora, mas parece ser um chick-lit muito legal só por falar do Twitter, que é uma rede social interativa e muito divertida. Enfim, gostei da sua opinião sobre o livro, da capa e do assunto. Quero ler um chick-lit para ver como é.

    Beijos,
    Luiz Henrique (Luke)
    instanteliteral.com

    ResponderEliminar

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!