17 de abril de 2014

Opinião Young-Adult: "Paixão sem Limites" de Abbi Glines



Cheio de Spoilers!

Eu nem sei por onde começar!

Sabem aqueles livros que são maus mas que de alguma forma nos prendem e viramos as páginas, devorando cada frase e cada palavra? "Paixão sem limites" de Abbi Glines é o perfeito exemplo de um livro que é mau mas que chega a ser bom só pelo gozo que nos dá em ler.

Resumo muito resumido do livro:

Pág. 9 - Blaire (protagonista) conhece Rush ( o outro protagonista masculino) e cria logo uma empatia com ele. Ela chega à Florida, munida de uma arma e uma bagagem emocional bastante pesada. Acaba de perder a mãe e vem à procura do pai que viajou com a mãe de Rush, e sim para quem ainda não adivinhou eles são meios-irmãos, nem que seja por afinidade. E sim eles vão-se apaixonar! Logo nas páginas seguintes (leia-se até à 15) Blaire decide que não gosta de aquele ambiente de meninos ricos e mimados, mas quando o Grant (o outro meio irmão de Rush) convida-a a ficar lá em casa, num quarto, ela nem hesita e aceita logo! Mas não era ela que preferia viver na carrinha do que se dar com aquelas pessoas? Adiante.

Dez páginas depois, que correspondem ao dia seguinte, Blaire vai a uma entrevista de emprego e adivinhem! Consegue o emprego! Fantástico, quem me dera que fosse sempre assim! Numa entrevista que se resume a uma pergunta ela é logo aceite. Porque realmente ela deve ter sido a única candidata a um emprego bom num clube de golfe onde se ganha bem, ninguém quer um emprego destes, ora essa!

Nem vos digo quando passadas vinte páginas, vê pela primeira vez o Rush nu ou semi-nu (whatever) e fica doidona! 

Nas trinta páginas seguintes, já praticamente a meio do livro, aparece uma tal de Nan que a odeia. E toda a gente sabe o porquê desse ódio, menos a pobre da Blaire, que não faz ideia porque é que invejada, visto que ela é uma rapariga simples, lutadora, que perdeu a mãe, blá, blá, blá.

A meio do livro, truca-truca com o Rush. Drama "à novela mexicana" com a Nan e o Rush. Algo que não se percebe o porquê da coisa, visto que a Nan é irmã do Rush (ou meia irmã, que aqui quase ninguém é sangue de ninguém!) e o leitor pensa que pronto isto é ciúmes das irmãs com as namoradas dos irmãos que só por acaso também fazem parte da família mas...

Kapum! 

Revela-se o segredo de todo o livro! E nem imaginam! Então não é que A Nan é irmã (não é meia, é mesmo irmã, têm o mesmo pai) da Blaire! É por isso que o Rush estava indeciso entre as duas...! Porque ele prometeu proteger a Nan para sempre! E afinal a mãe da Blaire é que era a outra!E por isso ele não pode andar com a Blaire... Se é que isto faz algum sentido?! 

Perguntem-me porque é que continuei a ler e não vos sei dizer. Muito menos porque comecei a ler o segundo livro, antes de me bater em mim própria e voltar à realidade.

"Paixão sem limites", carece de desenvolvimento, tanto a nível de enredo como de caracterização de personagens mas o pior é a falta de conteúdo ou de um tema sólido que sustente as personagens estereotipadas e as situações clichés que correm a um ritmo alucinante e não credibilizam nada. Esta história poderia ser real, pois podia mas apenas é uma pobre fantasia medíocre sem ponte que se pegue.

A Amazon trouxe coisas muito boas mas também trouxe o pior que existe na literatura, e este livro é um exemplo disso. Nem consigo acreditar que este manuscrito passou a livro com direitos editoriais. Nem consigo.


Blaire Wynn não teve uma adolescência normal. Ela passou os últimos três anos cuidando da mãe doente. Após a sua morte, Blaire foi obrigada a vender a casa da família no Alabama para arcar com as despesas médicas. Agora, aos 19 anos, está sozinha e sem lugar para ficar. Então não tem outra escolha senão pedir ajuda ao pai que as abandonara. Ao chegar a Rosemary, na Flórida, ela se depara com uma mansão à beira-mar e um mundo de luxo completamente diferente do seu. Para piorar, o pai viajou com a nova esposa para Paris, deixando Blaire ali sozinha com o filho dela, que não parece nada satisfeito com a chegada da irmã postiça. Rush Finlay é filho da madrasta de Blaire com um famoso astro do rock. Ele tem 24 anos, é lindo, rico, charmoso e parece ter o mundo inteiro a seus pés. Extremamente sexy, orgulha-se de levar várias garotas para a cama e dispensá-las no dia seguinte. Blaire sabe que deve ficar longe dele, mas não consegue evitar a atração que sente, ainda mais quando ele começa a dar sinais de que sente a mesma coisa. Convivendo sob o mesmo teto, eles acabam se entregando a uma paixão proibida, sobre a qual não têm nenhum controle. Mas Rush guarda um segredo que Blaire não deve descobrir e que pode mudar para sempre as suas vidas.

Fallen Too FarTítulo Original: Fallen too far
Edição: Maio 2014 








5 comentários:

  1. Adoro os livros da Abbi Glines, principalmente a colecção "Too Far", tenho-os assinados. Sabem se os livros dela vão ser editados em Portugal?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Vera. sim vao ser lançados pela Sde, quando não sei.

      Eliminar
  2. Finalmente! Tenho duas coisas a dizer, primeiro meus parabéns, entrei em vários blogs tentando descobrir o segredo pra ver se valia a pena me empolgar em ler, e o seu foi definitivamente o mais criativo e bem humorado no titulo: algodão doce para o cérebro; segundo parabéns por sua coragem, pois foi superdifícil de achar a resposta (segredo) como se fosse algo mirabolante.

    ResponderEliminar
  3. Até que estava interessada em ler, mas agora não. E só eu é que odiei a capa? A rapariga que ganhou o concurso não tem culpa nenhuma, mas ficou tudo uma pirosidade. Tanto rosa e fonhonho... Não entendi.
    www.fofocas-literarias.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  4. Também acho a capa um pouco pirosa e foleira. Para tanta coisa com a capa, de fazerem um concurso e tal, esperava um resultado diferente. :/

    Oh pode ser que gostes, eu achei mesmo fraquinho e muito novelesco... :(

    ResponderEliminar

Dar feedback a um post sabe melhor que morangos com natas e topping de chocolate!