30 de setembro de 2013

Primeiras Impressões:"Divergente" e "Insurgente" de Veronica Roth



Os meus dois meninos finalmente chegaram cá a casa, com algumas horas de diferença.
Não são tão lindos.
Já sei que o interior do primeiro é ma-ra-vi-lho-so (com um homem como o Quatro... só podia). Agora só espero que o segundo seja tão bom ou melhor que o primeiro!

Quem já leu?

Ponto de Situação: Irresistível

A Mafi lê...

Página em que vou: 120

Até agora não estou a achar nada de especial. Ainda pouco aconteceu, a não ser a introdução das personagens. E já me disseram que não há mistério nenhum...ok. É mesmo só romance.

A tradução tem frases estranhas. Tipo expressões que até existem em português mas não fazem sentido naquele contexto. Vê-se que o tradutor traduziu à letra e não soube dar a volta à frase e dá-la um novo entendimento. Normalmente a QE não é das piores quanto à tradução (a não ser quando começa a traduzir Cowboy para Caubói) mas estou a achar esta tradução mesmo estranha.
Vamos a ver se me prende mais...

Não se esqueçam que quem quiser ganhar um exemplar deste livrinho (e de outro) é só participar no passatempo! 

Origens: "Uma vida ao teu lado" de Nicholas Sparks


Mais uma origem descoberta...em certa parte. Faltou descobrir a imagem original do cavalo...!

Uma Vida ao Teu Lado

Posts relacionados.

Agridoce: Setembro


Setembro terminou e amanhã já começa Outubro.
Ok, frase muito óbvia, mas é sempre bom relembrar, tal como é bom vocês ficarem a conhecer as nossas leituras mais adocicadas e as mais arrepiantes.
Continuamos à espera dos vossos doces e amargos. Não se esqueçam!
 

Mafi - O mês teve os seus altos e baixos mas o mais doce foi o novo livro do Nicholas Sparks - Uma vida ao teu lado - que foi uma novidade de Setembro.

Ne - Setembro é sempre um mês estranho para mim, mas o livrinho Mais Doce foi este fininho que desde o início, desde que me falaram nele, que me trouxe só boas expectativas e surpresas. Fininho mas com tudo concentradinho - o que prova que às vezes o tamanho não corresponde à quantidade da qualidade.


Mafi - Curiosamente o mais amargo também foi uma novidade de Setembro, o novo livro da Bella Andre, O olhar do Amor. 

Ne - O Pedra Pagã foi o oposto do Mais Doce. Tornou-se o Mais Amargo já ainda quando eu comecei a ler a trilogia. A Nora Roberts e a Saída de Emergência que me perdoem, mas este terceiro volume soube-me tão bem como uma rodela de limão - as caretas foram as mesmas.

Na Fila...para Outubro

E pronto! 
Acabou-se o verão, a praia, o calor e as picadas de mosquitos!
Só não acabaram as pilhas de livros para ler, estas ainda cá estão e continuam a meter medo a qualquer biblioteca nacional!

Digam olá ao Outono, a Outubro e aos novos livrinhos que iremos ler este mês!
Vamos lá ver o que nos irá acompanhar nas tardes chuvosas do mês que se avizinha.

Mafi:
Menina Rica, Menina PobreSozinhos na Ilha

Ne:

28 de setembro de 2013

Origem: "Traída pelo Destino" de Emma Wildes


A Emma Wildes continua aqui na nossa rubrica. Hoje é o dia da Traída pelo Destino.


Posts relacionados:

Compilações: Crónicas Lunares



Ainda não me tinha estreado nesta rubrica mas cá estou para vos falar de uma das melhores distopias que andam por aí: Crónicas Lunares da autora Marissa Meyer, que conta já com dois livros publicados: Cinder e Scarlet

Num ambiente distópico onde as máquinas ocupam o lugar de ossos e órgãos vitais do corpo humano, Cinder é nada mais nada menos que a Cinderela mecânica deste ambiente futurista.

Seguindo a estrutura do clássico que inspirou este livro, Cinder apresenta-se como uma cyborg e tal qual gata borralheira da Disney, sem qualquer liberdade, ou seja é propriedade da sua tutora, a madrasta maquiavélica, Adri. Continuando no paralelismo com a Cinderela, tem também duas irmãs mas ao contrário do imaginário infantil. enquanto a irmã mais velha segue os passos da mãe, a mais nova, Peony é uma ternura de pessoa. Para completar esta família disfuncional temos ainda Iko, a companheira de Cinder e sua fiel amiga que possui uma inocência bastante...electrónica.

Mas não foi só neste clássico da princesas que encontrei ligações. Fã assumida das Navegantes da Lua, "Cinder" apresenta uma paralelismo bastante evidente com outro dos meus vícios de quando era criança.

Cinder entra para o meu top pessoal de protagonistas preferidas, esqueçam a gata borralheira que era escrava da madrasta má e das irmãs diabólicas, aqui a cyborg também o é mas responde torto e bem feio! Adorei este twist que a autora deu a personagem principal, confesso que a Cinderela não é dos meus filmes preferidos, queixava-se muito e não se sabia impor, aqui Cinder impõe-se apesar de não poder alterar a sua posição na sociedade, mas mesmo assim não deixa que façam "gato-sapato" dela. 

Embora tenha sido uma leitura viciante e bastante positiva tenho de apontar os três aspectos que me fizeram baixar o livro de cinco estrelas para quatro estrelas e meia. Primeiro, o fraco romance entre Cinder e Kai e pior que tudo a reacção deste no fim, quando a verdade é revelada seguida de uma batalha com fraca descrição e muito difícil de visualizar entre a rainha Lunar e Cinder. Por fim a enorme ponta solta com que a autora termina este livro e que irá dar continuidade do segundo livro: Scarlet que traz-nos um novo retelling, novas personagens, novo romance mas o ritmo e o nível de qualidade continua o mesmo do volume anterior.
Trazendo-nos desta vez a história da Capuchinho Vermelho, Marissa Meyer continua a surpreender tudo e todos com a sua imaginação e o seu talento como contadora de histórias. Histórias que nos apaixonam e fazem-nos vibrar e têm todos os ingredientes certos para uma leitura prazerosa.

Adorei o modo como a autora cruzou as duas narrativas. Confesso que estava com bastante receio que a autora fizesse tudo errado mas agora posso dizer que confio completamente nas capacidades de Meyer como escritora. A Scarlet não se revelou uma protagonista tão boa como a Cinder mas gostei muito da determinação dela e da lealdade com a cyborg mesmo não a conhecendo de lado nenhum.
Se já tinha achado o romance entre a Cinder e o Kai fraco, a relação entre Scarlet e o Wolf foi igualmente fraquinho, não senti assim grande química entre os dois (infelizmente) mas também o romance não é o mais importante nesta história, por isso dou o desconto. Também o facto de termos a introdução de novos pontos de vista e a continuação de outra história fez com que não gostasse tanto deste livro. Acho que preferia quatros livros com princípio e fim e que as personagens aparecessem brevemente nos livros seguintes mas sem nunca terem a sua história continuada. Brevemente chega o livro da Rapunzel, pelo qual estou super entusiasmada porque não só adoro o Entrelaçados como desta vez não há nenhuma torre mas sim um satélite que prende Cress numa órbita entre a Lua e a Terra.

Mesmo assim vamos lá ver como a autora dá continuidade à Cinder, agora que se sabe de toda a verdade e está disposta a enfrentar a rainha maquiavélica.

Podia continuar mas acho que já deu para perceber toda a originalidade destas duas obras. Vou continuar a acompanhar as aventuras destas personagens, infelizmente em português só lá para 2015 (se este blog ainda existir, esperemos que sim) falarei dos dois livros seguintes!


Cinder (Lunar Chronicles, #1)Sinopse Cinder:
Com dezasseis anos, Cinder é considerada pela sociedade como um erro tecnológico. Para a madrasta, é um fardo. No entanto, ser cyborg também tem algumas vantagens: as suas ligações cerebrais conferem-lhe uma prodigiosa capacidade para reparar aparelhos (autómatos, planadores, as suas partes defeituosas) e fazem dela a melhor especialista em mecânica de Nova Pequim. É esta reputação que leva o príncipe Kai a abordá-la na oficina onde trabalha, para que lhe repare um andróide antes do baile anual. 

Em tom de gracejo, o príncipe diz tratar-se de «um caso de segurança nacional», mas Cinder desconfia que o assunto é mais sério do que dá a entender.

Ansiosa por impressionar o príncipe, as intenções de Cinder são transtornadas quando a irmã mais nova, e sua única amiga humana, é contagiada pela peste fatal que há uma década devasta a Terra. A madrasta de Cinder atribui-lhe a culpa da doença da filha e oferece o corpo da enteada como cobaia para as investigações clínicas relacionadas com a praga, uma «honra» à qual ninguém até então sobreviveu. Mas os cientistas não tardam a descobrir que a nova cobaia apresenta características que a tornam única. Uma particularidade pela qual há quem esteja disposto a matar.


Sinopse Scarlet:
Scarlet (Crónicas Lunares, #2)
Cinder elabora um plano para fugir da prisão e, se for bem-sucedida, irá tornar-se a fugitiva mais procurada da Comunidade. Do outro lado do mundo, a avó de Scarlet Benoit desapareceu. Scarlet entra em pânico e, na sua busca, acaba por descobrir que existem muitas coisas sobre a avó que desconhece, assim como ignorava o grave perigo que correu toda a vida. Quando Scarlet encontra Wolf, um lutador de rua que poderá ter informações sobre o paradeiro da avó, sente-se relutante em confiar nele, mas ao mesmo tempo sente-se inexplicavelmente atraída. Scarlet e Wolf tentam desvendar o mistério do desaparecimento da avó, mas deparam-se com outro quando encontram Cinder. Além de todos os problemas em que estão mergulhados, ainda terão de antecipar os passos da maléfica rainha Levana, que fará qualquer coisa para que o belo príncipe Kai se torne seu marido, seu rei, seu prisioneiro.





Opinião Contemporânea: "Silver Bay - A Baía do Desejo" de Jojo Moyes


Confesso que o início não puxa muito por uma pessoa. Mesmo gostando de baleias, a temática nunca leva a um desenvolvimento muito cativante e eu posso afirmar isto porque já não é o primeiro livro que leio assim e mesmo o outro acabou por perder um pouco do interesse por isso.
Mas dizer que a escrita de Jojo Moyes não nos cativa é quase uma ofensa, por isso, apesar do que disse acima, nós vamos lendo e formando laços com as personagens.
Temos Liza que não nos diz, nem a nós nem a ninguém, o que lhe vai no pensamento ou mesmo algo sobre o seu Passado. O que vamos sabendo é arrancado a ferros da interpretação dos seus actos e de alguns comentários feitos pela sua tia Kate, ou então, só quase no final, quando ela desabafa e Hannah o completa.
Kathleen, por sua vez, é uma tia-avó muito jovem, com a sua respectiva história de amor que eu achei muito querida. O seu Passado e o de Nino é algo dramática, mas é o Presente, é vê-los a juntarem-se outra vez que nos vai fazer as delícias. Kate, no início, mostra assim algumas coisas em comum com a tua sobrinha, mas sabemos que a força e a maneira como ela lida com as crises é muito mais forte.
Em relação a Mike, achei-o um pouco falso e sem convicção em nada a não ser em relação ao dinheiro. Por isso está claro que não gostei nada de saber com quem é que ele ia ficar. Porque é que não podia ser o Greg? Gostei tão mais dele! Mas pronto. A Jojo Moyes é que manda!
De qualquer forma, há medida que a obra avança alguns personagens vão sendo apagados e outros adicionados. Achei o contributo de Vanessa muito fraco. O seu papel podia ter sido feito perfeitamente pelo pai, até mesmo quando ela reentra na história e faz papel de parva!
A melhor parte foi sem dúvida quando finalmente sabemos o Passado de Liza e o que aconteceu com a sua filha mais nova. Sei que aquelas situações são complicadas, mas continuo a achar que o sentimento de culpa e as razões para ela ser presa são um pouco exageradas quando há testemunhas de que a culpa não foi nada dela, muito pelo contrário.
Adorei os segredos de Kat e de Greg, separadamente claro. Achei que além de terem levantado um pouco o véu dos mistérios mais misteriosos da obra, deram um toque de "sacanice" a tudo. Eheh. Go Kat! Go Greg! Eles provaram, portante, que quem salvou Silver Bay não foi Mike nem Hannah (apesar do contributo desta também ter sido muito engraçado), mas sim estas duas personagens, cada uma à sua maneira.
O encontro final foi de facto muito emotivo, mas que livro de Jojo Moyes não tem uma dose de emoção e de algumas lágrimas?!
No final, o balanço acabou por ser positivo, mas não ao ponto de me deixar deslumbrada como os outros livros desta escritora.

Sinopse em Doce do Momento

2895896Título Original - Silver Bay

Edição - Março 2009

ISBN - 9789720041944




Outras obras da autora:
 
 
 

A Sair do Forno: "Os Adivinhos" de Libba Bray

Os Adivinhos

Evie O'Neill foi exilada da sua monótona e pacata cidade natal e enviada para as agitadas ruas de Nova Iorque - e fica radiante! Nova Iorque é a cidade dos bares clandestinos, das compras e dos cinemas! Pouco depois, Evie começa a andar com as glamorosas «Ziegfield Girls» e com atraentes carteiristas. O único problema é que Evie tem de viver com o seu tio Will, curador do Museu Americano de Folclore, Superstição e Ocultismo - também conhecido como «O Museu dos Arrepios», homem com uma pouso saudável obsessão pelo oculto.

Evie receia que ele descubra o seu segredo mais sombrio: um poder sobrenatural que até ao momento só lhe causou problemas. Porém, quando a polícia encontra uma rapariga morta que tem um estranho símbolo gravado na testa e Will é chamado ao local, Evie percebe que o seu dom pode ajudar a apanhar o assassino em série.

Quando Evie mergulha de cabeça numa dança com um assassino, outras histórias se desenrolam na cidade que nunca dorme. Um jovem chamado Memphis é apanhado entre dois mundos. Uma corista chamada Theta anda a fugir do seu passado. Um estudante chamado Jericho esconde um segredo chocante. E sem que ninguém saiba, algo sombrio e maligno despertou.

Para adivinhar em Novembro

27 de setembro de 2013

1000!

1 0  0  0


Hoje o dia foi (e continua a ser) uma dia excelente! E porquê? Porque aqui o Algodão Doce para o Cérebro atingiu as mil visitas num só dia!

 Ah e tal grande coisa!

Para uns até pode ser o número diário de visitas mas para nós, mais do que um número é o reconhecimento de trabalho de 9 meses e atingir esta marca quando ainda nem temos um ano na blogsfera é mais que um motivo de orgulho!

Ah e tal só acredito com alguma prova!

Não seja por isso...tomem lá:



Ah e tal mas é só por causa do passate...
    
Shut up! :P 

Obrigada a todos os que contribuíram para atingirmos este número fabulástico :D 

Esperemos que se repita muitas vezes! 

Mais uma vez...

Opinião Contemporânea: "Pura Malícia" de Jill Mansell


Segundo livro desta autora e a opinião continua na mesma. Penso que Jill Mansell não tem pontos fortes, mas apenas pontos um pouco melhores. O que se destaca mais talvez seja o humor que aparece de surpresa em situações bastante inesperadas!
Neste caso o humor surgia através dos filhos de Guy, principalmente da menina. Adorei quando ela "coleccionou" as palavras proibidas e logo que pode as aplicou numa unica frase. Só mesmo lendo para perceberem, mas foi a cena que mais me ficou.
De resto, o romance está muito patente com vários casais e troca destes, e que se encontram lições de moral e de vida em cada um deles, mas sendo a principal que não se pode confiar nos homens... e muito menos nas mulheres!
Janey, a personagem principal, apesar de tudo acaba por ser um pouco apagada pela personagem da irmã Maxine, que tem muito mais carisma, é muito mais engraçada e tem uma vida muito mais animada, começando logo com a sua fuga em vestido de noiva. Janey é portanto a personagem tímida, com baixa auto-estima, cujo marido desapareceu e que se apaixona de uma forma muito lenta e pouco entusiasmante pelo viúvo e pai de dois filhos, famoso e bonito.
Com muito glamour e simplicidade esta obra é uma mistura contraditória de características, mas todas muito suaves. É um livro que se vai lendo, vai se gostando, mas chegamos ao final e exclamamos: "Só isto?".
Não é que Janey não tenha ficado feliz por ver a irmã, mas ser acordada às sete da manhã por Maxine, trajada de noiva e com escolta policial, não foi bem a maneira como planeara começar o seu domingo.
Contudo, a vida nunca é entediante quando Maxine está por perto e Janey, a reconstruir a vida após o desaparecimento do marido, fica encantada com o regresso da irmã.
As coisas só começam a aquecer quando Maxine põe a vista em Guy Cassidy, um fotógrafo de moda tão competente quanto deslumbrante - é que Janey sabe que não há limites para as tropelias que a irmã vai fazer para destruir a concorrência.
O que elas não sonham é que a concorrência está mais perto de casa do que imaginam…

42003
Título Original - Sheer Mischief 

Edição - Outubro 2011

ISBN - 9789897100185





Outras obras da autora:

A Sair do Forno: "Escravos do Desejo" de Kate Pearce


Um fim de semana proibido anos atrás, Helene Delornay viu-se presa a um desconhecido. Ousado, viril e exímio nas artes eróticas, Philip Ross abriu os olhos de Helene para um mundo de prazer sexual que ela nunca julgou existir. Agora, proprietária da casa de prazer mais exclusiva de Londres, Helene não esqueceu a felicidade carnal que dividiu com Philip — e nunca encontrou um outro homem que pudesse satisfazer os desejos insaciáveis que ele despertou nela... Quando Philip volta a entrar de repente na vida de Helene, a atração física que partilham é demasiado forte para que qualquer um deles a possa negar. Agora, enquanto exploram as suas fantasias e as levam para além do limite, Helene descobre que os seus sentimentos por Philip são muito mais intensos do que julgara...

Para escravizar em Outubro...

Outros livros da série:
Escravos do Amor (Casa do Prazer, #1)Escravos da Paixão  (Casa do Prazer #2)

[Selo] Alfabeto Literário


Esta TAG foi-nos oferecida pela Cata, do blog Páginas Encadernadas. Vem um pouco atrasada, mas aqui está ela. 

O objectivo é muito simples:
Encontrar na estante cinco livros que comecem pelas 5 letras escolhidas pela pessoa que te indicou. (Os artigos não contam; por exemplo, Os Jogos da Fome contam como J.)

As 5 letras que a Cata nos indicou foram: 



A, D, P, C, F
(Já viram que por pouco não era a sigla do blog - ADPOC) :P

Letra A
Mafi:

Letra D
Ne:
Opinião em breve18133723 
Letra P
Mafi:



Letra C
Ne:
Opinião em breve18305233 
Letra F
Mafi:


Como a maioria dos blogs já aderiu à iniciativa, quem quiser fazer a TAG esteja à vontade :D