30 de junho de 2013

Opinião Contemporânea: "O Maior amor do mundo" de Seré Prince Halverson



Qual será o maior amor? O de mãe biológica ou adoptiva?

É esta questão e tantas outras que Seré Prince Halverson aborda em "O maior amor do mundo" publicado pela Porto Editora em Abril. Reconheço que não tinha muitas expectativas quanto ao livro. Avisaram-me para não o ler se tivesse as hormonas aos saltos e que o livro é tocante e dá que pensar. Hmm acabo por concordar em certa parte. Talvez por não ser mãe este livro não me tenha tocado assim tanto e acho que a autora podia ter ido muito mais longe. 

O Maior Amor do MundoComeçando logo pela estrutura do livro. Se o livro é sobre o amor de duas mães, de qual dos dois prevalece na educação e criação de duas crianças, acho que no mínimo o livro devia ter os pontos de vista tanto da Ella como da Paige, a mãe biológica. O que senti durante o livro, é que o leitor tem a tendência de gostar mais da Ella e ficar do lado desta personagem, porque é ela que narra o livro todo. As razões do abandono das crianças por parte de Paige são-nos dadas através de cartas mas acabamos por nunca conhecer bem a personagem. Senti que faltou caracterização e desenvolvimento.

À medida que acção se vai desenrolando o tema central divide-se em várias ramagens como por exemplo o luto de Joe, a violência infantil e essencialmente a depressão pós-parto, que para mim foi um tema bastante bem retratado. Sendo que o livro situa-se em 1993 e nos anos anteriores, a autora soube mostrar bem como diversas patologias psicológicas podem destruir uma família e como, ainda hoje há tantos casos de medicina ainda por descobrir. 

Quanto às personagens secundárias, essencialmente os familiares de Joe e de Ella, não tenho quase nada a apontar. Estiveram nos momentos certos, a mostrar o seu apoio sem se intrometerem demasiado no caso judicial mas admito que a história da família de Joe não me convenceu de maneira nenhuma, e mais valia a autora nem ter introduzido. Teria gostado muito mais se advogada de Ella tivesse um papel mais interventivo, ou seja gostaria de ter lido o seu ponto de vista. Num caso tão sentimental como este, em que muitas vezes a lei é uma coisa, mas o senso comum é outra, seria interessante ter uma perspectiva judicial. Foi pena a autora não ter optado por diferentes pontos de vista.

Claramente adorei a pequena Annie e o Zach e gostei como a autora fê-los gostar das duas mães e de como eles sabiam o que se estava a passar. Penso que é importante não esconder às crianças do que se passa, normalmente quando elas são a causa principal. 

Em último, tenho de dizer que achei a escrita da autora um pouco difícil, carece de fluidez na narrativa. Quanto à tradução nada a apontar mas encontrei alguns erros de digitação que deveria ter sido corrigidos na revisão.

Resumindo, eu gostei do livro, realmente faz-nos pensar mas achei que a autora arriscou pouco. Por exemplo, se o livro tivesse sido escrito por exemplo pela Jodi Picoult, tenho quase a certeza que seria muito melhor, não só porque teria os tais pontos de vista que eram importantes aqui, como pela própria construção do enredo e das personagens. Mesmo assim é um livro que merece ser lido, principalmente por mães. 


                                      
The Underside of JoyTítulo Original: The Underside of joy
Edição: Abril 2013
ISBN: 978-972-0-04586-7

Opinião Histórica: "Os Pecados de Lord Easterbrook" de Madeline Hunter


Os Pecados de Lord Easterbrook é sem dúvida o livro mais exótico que já li de Madeline Hunter. Este prima principalmente pela diferença, apesar de ser a conclusão da "trilogia" Easterbrook.

A capa e a sinopse não me desiludiram nem um bocadinho.
Não sei se foi pela introdução da personagem Leona, estrangeira apesar das suas raízes, se foi pela personalidade estranha, que mais tarde se revela ser outra coisa, do excêntrico Lord, só sei que este livro nos faz sair um pouco do romance confortável do As Regras de Sedução e Jogos de Sedução.

Confesso, que nenhum superou estes últimos, mas Madeline Hunter tem uma maneira de nos encantar com todos aqueles pormenores ducais e reais, polvilhados de sedução e inocência, tal como de garra e subtileza feminina.
Mas Leona não me convenceu muito, nem Christian me conquistou. Apenas os jogos de sedução entre eles me mantiveram interessada, já para não falar das referencias aos casais anteriores. Gosto sempre quando podemos acompanhar, mesmo com pouco, o que aconteceu às nossas personagens mais queridas.
Continuo a aconselhar os livros da Madeline, principalmente para as românticas literárias.

Christian é excêntrico, enigmático, o mais famoso recluso da aristocracia inglesa. Vive isolado, não tem amigos e o seu coração nunca foi tomado por ninguém… com excepção de Leona, uma mulher determinada, exótica, belíssima. Mas isso aconteceu em Macau, naquela que parece ter sido uma outra vida. As notícias da chegada de Leona a Londres deixam-no aturdido. Christian decide então que nada o impedirá de finalmente a possuir. Não podia saber que entre as famílias de ambos pulsam segredos impossíveis de ignorar… e que o grande amor da sua vida acalenta um mortal desejo de vingança! Uma viagem no tempo até uma era marcada por escândalos, intriga e desejos secretos, no novo e sensual romance de Madeline Hunter: a história de um homem capaz de arriscar tudo pela mulher que ama - até a revelação do seu mais secreto pecado.

The Sins of Lord Easterbrook (Rothwell #4)


Título Original - The Sins of Lord Easterbrook
Edição - Outubro 2010
ISBN - 9789892310176

Na Fila... para Julho

O mês de Julho vai ser rico em romance histórico *.* com uma pitada de sobrenatural e outra de erótico da minha parte.
A Mafi está mais virada para os romances contemporâneos. Hum... só coisinhas boas.

Mafi:



Ne:


Agora tentem adivinhar qual destes é de mim para a Mafi e da Mafi para mim.

Queremos ver os vosso palpites!

Boas leituras para Julho =) 

29 de junho de 2013

A Sair do Forno: "Deslumbrante" de Madeline Hunter

Deslumbrante (As flores mais raras, #1)


Numa época em que a reputação de uma mulher é o seu bem mais precioso, Audrianna desafia todas as convenções. Ela é uma jovem determinada, independente... e disposta a tudo para aniquilar o seu adversário, o altivo Lord Sebastian Sommerhayes. A uni-los está um homem: o pai de Audrianna, que morreu envolto nas malhas de uma conspiração. Para Audrianna, essa tragédia significou o fim da sua inocência. Para Sebastian, que liderou a investigação, foi apenas uma morte merecida. Audrianna jurou limpar o nome do pai, mas nunca esperou sentir um desejo tão avassalador pelo homem que o arrasou. A busca pela verdade vai levá-la demasiado longe numa sociedade que é implacável perante a ousadia feminina. Ao ver-se mergulhada num escândalo que pode ser-lhe fatal, Audrianna tem apenas uma inconcebível opção... Deslumbrante é o primeiro volume da série As Flores Mais Raras. Mais uma apaixonante e sensual saga histórica pela mão da Rainha do Romance.


A deslumbrar dia 5 de Julho! 

Opinião Histórica: "Jogos de Sedução" de Madeline Hunter

Citando-me:
Rosalyn, que começa por ser leiloada no jantar do próprio namorado, introduz este livro desta forma humilhante, que fará com que qualquer leitor se identifique e simpatize com ela.
Salva por Kyle, uma personificação do príncipe encantado, Rose vai descobrindo a pouco e pouco o amor e o romance que já não acreditava existir num casamento por conveniência (material e não só).
É interessante a maneira como os segredos de ambos vão sendo descobertos. Mais surpreendente é como essas descobertas vão aproxima-los cada vez mais e contribuir para o aumento do conhecimento mutuo, tanto ao nível familiar e do passado, como emocional.
É um livro com bastantes cenas eróticas, mas sem se tornar pornográfico e sem perder o sentido romântico e a seriedade. Vejo estas partes como cenas em que Madeline Hunter nos mostra como a relação do par amoroso se desenvolve externa e intimamente.
Gostei bastante da capa, que apesar da sua simplicidade capta a nossa atenção e nos "seduz" para lermos o que esconde.
Sou sincera, quando li a sinopse imaginei uma história diferente, mais oca e juvenil... felizmente enganei-me. Esta é muito mais integra e adulta, que nos envolve e transporta para um século passado, com charretes e cavalheiros de fato completo, bailes formais e jantares ilustres - ao estilo de Jane Austen, mas sem a sua timidez. Concluindo, uma mistura de Nora Roberts com Jane Austen!
Vou seguir, sem dúvida, o trabalho desta escritora.
Graças à votação do Livro do Trimestre de Junho-Agosto, decidi retomar as minhas leituras de Madeline Hunter. Desta vez decidi começar pelo primeiro e continuar pela ordem que penso ser a correcta.
Relendo a minha primeira opinião fico feliz por dizer que não lhe mudo nem um ponto, e ainda mais por afirmar que esta segunda leitura soube-me muito melhor. Não só porque só me lembrava de alguns acontecimentos e assim por relembrar todos os outros, mas também porque muita informação me passou despercebida aquando a primeira passagem. Graças ao As Regras de Sedução pude perceber melhor as relações e o passado de Rosalyn, o que contribui numa leitura muito mais rica e saborosa!

Numa sala repleta de convivas, os seus olhares cruzam-se com uma intensidade invulgar… mas os seus mundos vão colidir violentamente. Ela é Roselyn Longworth e, antes de a noite terminar, vai ser leiloada. Ele é Kyle Bradwell, o homem que lhe dará a conhecer o Inferno.
Todavia, quando vence o leilão, Kyle trata Roselyn com uma delicadeza a que ela não está habituada desde que um escândalo familiar arruinou a sua reputação. E quando finalmente descobre o que o motivou a salvá-la do seu terrível passado, é já demasiado tarde: Roselyn está perdidamente apaixonada pelo homem que sabe os seus mais íntimos segredos. Agora, ele surpreende-a com um pedido de casamento – o primeiro passo num jogo de sedução que exigirá nada menos que a sua completa rendição…

Secrets of Surrender (Rothwell #3)

Título Original - Secrets of Surrender
Edição - Junho 2009
ISBN - 9789892304847

Agridoce de Junho

Junho já está quase a acabar e as melhores e piores leituras do mês já estão escolhidas!

Aqui vão os mais doces e os mais amargos do mês:



Mafi: Pela segunda vez, o MAIS DOCE é um livro da Lucinda Riley. O outro livro dela já tinha sido considerado a melhor leitura do mês no Agridoce de Junho e agora também o é. Adorei "Uma espia no meu passado". Opinião em breve!

Ne: O Outro Amor da Vida Dele foi sem dúvida alguma o MAIS DOCE do mês. Adorei adorei adorei *.* Mas outra coisa não se podia esperar de um livro de Dorothy Koomson.



Mafi: O MAIS AMARGO foi "O Maior amor do mundo". Não foi um livro que não gostasse mas achei que podia ser muito melhor. Opinião em breve. 

Ne: Não foi o mais amargo de todos os que li, mas das edições portuguesas acabou por ser o que menos gostei. Pecados Escondidos foi então o livro MAIS AMARGO do mês de Junho. Opinião em breve.

28 de junho de 2013

Opinião Histórica: "Lições de Desejo" de Madeline Hunter


Não resisto. Tenho que começar esta opinião com o meu desagrado com a ASA. Por que raio é que não publicaram pela ordem correcta? Não percebo e sinceramente não gostei, mas pode ser que tenha um lado bom: o facto de assim ter mais uma razão para reler tudo pela ordem e voltar a pegar na história de Hayden e Alexia!!
Em relação ao romance aqui em relevo devo dizer que a minha opinião se assemelha muito à que tenho do livro Os Pecados de Lord Easterbrook. Penso que é o facto das cenas saírem um pouco do habitual, isto é, os cenários serem externos aos dos dois primeiros volumes, que faz com que toda a história seja um pouco "estranha" e diferente destes. A própria história entre Elliot e Phaedra não conseguiu criar aquela química e ligação entre os dois personagens, nem sequer no fim. Fim este que me pareceu muito incompleto.
Este livro acabou apenas por saciar um pouco as saudades da escrita de Madeline Hunter e sublinhar a minha preferência pelo As Regras de Sedução e Jogos de Sedução, nenhum volume posterior a estes dois os conseguiu ultrapassar em termos de história, personagens, romance e sensualidade.
Como sempre, gosto bastante das referências e até aparições de personagens anteriores, nomeadamente os irmãos Easterbrook e Alexia.
Em relação às personagens, este volume alterou em muito a minha opinião de Phaedra Blair. Tinha a como uma senhora excêntrica apenas nos actos e vestuário e não nos pensamentos. Esperava outro tipo de histórica romântica e penso que alimentei demais esta ideia, visto que quando se percebeu que se iria passar tudo no estrangeiro e que Elliot se transformou naqueles machos arrogantes que tão pouco gosto, tudo se foi juntando e tornando nesta história que apesar de ter gostado está repleta de aspectos quase insignificativos mas que acabam por tornar a minha opinião um pouco menos positiva.
Concluindo e talvez fechando a bibliografia de Madeline, por enquanto, aqui fica a minha lista descendente: As Regras de Sedução, Jogos de Sedução, Casamento de Conveniência, O Protector, Os Pecados de Lord Easterbrook/Lições de Desejo.

Se Phaedra Blair não possuísse tanta beleza e estilo, a alta sociedade achá-la-ia apenas estranha. Mas como a Mãe Natureza a dotou de ambas as coisas, consideram-na interessante e excêntrica. Ela é uma mulher à frente do seu tempo. Deseja liberdade e persegue um sonho. Apaixonar-se não está nos seus planos imediatos. Aliás, o seu primeiro encontro com Lorde Elliot não é auspicioso. Injustamente presa, será graças ao poder e charme do jovem que consegue escapar. Mas Phaedra depressa descobre que o preço da sua "liberdade" é ficar virtualmente ligada ao seu "herói". Pois Elliot Rothman não agiu apenas numa missão de boa vontade. O seu objectivo é garantir que Phaedra não publicará um manuscrito que ameaça destruir o bom nome da sua família, e para tal, ele está disposto a tudo. Não contava, porém, encontrar uma adversária à sua altura. Os dois jovens vão debater-se com as convenções de uma sociedade rígida e, acima de tudo, com sentimentos tão intensos quanto contraditórios.

Lessons of Desire (Rothwell #2)


Título Original - Lessons of Desire
Edição - Agosto 2011
ISBN - 9789892315621

A Sair do Forno: "A Casa de Willow Street" de Cathy Kelly


Tess costumava sentir-se feliz com a sua vida: mora na idílica e costeira Avalon com o filho adolescente, Zach, e a filha nove anos, Kitty, e trabalha na loja de antiguidades local. O único arrependimento que tem é tudo ter corrido tão mal com o seu primeiro amor. Em seguida, o seu casamento chega ao fim e o tal primeiro amor regressa a Avalon... Suki, irmã de Tess, fugiu da Irlanda anos antes para casar com o político Kyle Richardon. Quando descobre que alguém quer escrever uma biografia sobre ele há apenas um lugar para onde pode ir a fim de se assegurar de que os seus segredos permanecem escondidos. Danae é a funcionária dos correios de Avalon e esforçou-se bastante para garantir que ninguém sabe de onde veio ou quem é... O passado só a si diz respeito, e ela gostaria de mantê-lo assim. Em Galway, Mara exibe um sorriso falso num casamento; só quer perguntar uma coisa ao noivo: porque lhe disse ele que a amava? Precisando de deixar o passado para trás, Mara pega na sua vida e prepara-se para um novo começo. Poderão estas quatro mulheres resolver os seus passados? Ou será que precisam de olhar para trás antes de poderem começar a viver para o futuro?

Sai dia 2 de Julho

27 de junho de 2013

Blogulosas #15: Clarinda


Revelamos assim as perguntas e respostas da Clarinda:

Como te chamam?
Clarinda ou
*Faltou ai qualquer coisa não?*

Como chamaste o teu blog?
Ler é Viver [http://www.lerviverler.blogspot.pt/]

Foi o primeiro nome?
Sim.

Quando nasceste?
14 de março de 2011

Descreve o teu homem de sonho em 3 palavras:
Simples, agradável, amigo

Diz-nos o que pensas da Mafi?
Só Boca!

E da Ne?
Só Língua!
*Língua ambulante hein?*

Qual o teu emprego de sonho?
Limpar WCs.

Qual o topping preferido no gelado?
Bolonhesa

Gostas de cozinhar?
Adooooooooooooro

E ler?
Nop

Estás sentada neste momento?
Nem por isso, já é tardíssimo! Mas vou tentar.
*Há horas para se estar sentada pelos vistos*

Aqui fica a rima da Clarinda:
A Ne e a Mafi dão-me cabo da cabeça
Opiniões, duelos, pilhas de algodão doce
À velocidade da luz neste blog aparecem
E o meu neurónio já foi, eclipsou-se!

*ahahah Muito boa. Vamos lá procurar o teu neurónio*

Opinião Histórica: "As Regras da Sedução" de Madeline Hunter




Um livro cheio de romance e erotismo, em que Madeline Hunter nos apresenta, como muito bem sabe, as regras da boa etiqueta dentro e fora da cama.
 
O que mais gosto nesta escritora é que ela nos transporta para a vida das personagens e nos faz querer acompanhar cada minuto desta.
 
À semelhança de Nora Roberts, esta autora pode pecar por dar tanto protagonismo ao casal principal, mas este facto é muitas vezes o que mais nos cativa, principalmente para quem gosta deste género de escrita e de história.
 
É o primeiro livro de uma sequência independente, em que podemos lê-los por ordem ou não, mas que não vamos conseguir largar até que não haja mais nenhum para devorar.
 
Tal como nos Jogos de Sedução (que acabei por ler primeiro), aqui também Alexia e Hayden vão se conhecendo, tanto a nível psicológico, como físico e familiar.
 
Continuo a achar que o ponto forte da escritora é sem dúvida o facto de cada personagem ter os seus próprios segredos e os resolver, no mínimo parcialmente, sem a intromissão do outro - o que traduz um planeamento que torna o livro muito mais interessante e menos óbvio.

As regras dele vão iniciá-la no mundo do prazer e da sensualidade. As regras dela vão subjugá-lo.

Hayden chega sem aviso e sem ser convidado - um estranho com motivações secretas e um forte carisma. Em poucas horas, Alexia Welbourne vê a sua vida mudar irremediavelmente. A relação entre ambos é tensa, agitada e incómoda. Para Alexia, Hayden é o culpado da sua desventura: sem dote, ela perdeu qualquer esperança de algum dia se casar. Mas tudo muda quando Hayden lhe rouba a inocência num acto impulsivo de paixão. As regras da sociedade obrigam-na a casar com o homem que arruinou a sua família. O que ela desconhece é que o seu autoritário e sensual marido é movido por uma intenção oculta e carrega consigo uma pesada dívida de honra. Para a poder pagar, ele arriscará tudo... excepto a mulher, que começa a jogar segundo as suas próprias regras…
 
The Rules of Seduction (Rothwell #1)


Título Original - The Rules of Seduction
Edição - 2008
ISBN - 9789892302089

A Sair do Forno: "Ninguém me conhece tu" de Anna McPartin



Eva e Lily eram as melhores amigas desde a infância. Porém, uma discussão enorme e dezassete anos mais tarde, Eva acorda de um acidente horrível e encontra a sua velha amiga a cuidar dela. De início, o reencontro é feito a medo, mas durante os muitos meses de Eva no hospital, as amigas enfrentam tanto as mentiras do passado como as suas falhas presentes. E cada uma vê claramente como a outra precisa de mudar a sua vida: Lily deve sair de um casamento impossível e Eva tem de enfrentar a dor que causou a outros. A crise que reuniu Eva e Lily parece uma bênção que lhes deu uma segunda oportunidade para se apoiarem quando mais precisam de um ombro amigo. Mal sabem elas que a sua amizade está sob uma ameaça que irá mudar o futuro para sempre...


Para conhecer dia 2 de Julho




26 de junho de 2013

Opinião Histórica: "Mil Noites de Paixão" de Madeline Hunter


E eu que estava à espera de uma obra de Madeline Hunter para tirar as teimas? Para me compensar pelos últimos 4 livros! Em vez disso, a ASA publicou uma obra desta escritora que continua no topo, mas apenas pelo As Regras da Sedução e pelo Jogos de Sedução.

O Mil Noites de Paixão, com a sua capa deliciosa e a sua sinopse mais ou menos apelativa colocou-se num patamar intermédio. Penso que gostei mais do que desgostei, o que é bastante positivo, pois Madeline quase que estava a ser ultrapassada pela Emma Wildes, mas esta obra veio saciar um pouco a minha sede de romance histórico e "salvar" Madeline Hunter.
 
No inicio comecei a perguntar-me pelo que vinha aí, mas depois o desenrolar da história, o primeiro encontro de Ian e Reyna, que foi divertidíssimo e delicioso, e o aparecimento de personagens já nossas conhecidas e queridas veio melhorar e muito.
 
O romance aqui está presente em quantidades saudáveis, que nos fazem querer devorar o livro. O que estraga e começa a ser uma menos boa característica da autora é a sua queda para atitudes machistas e supra-protectoras da parte do personagem masculino em voga.
 
Concluindo, lá volto eu a suspirar para os meus livros de Madeline Hunter e esperar que a ASA os continue a publicar, mas pela ordem certa por favor!

Eles não têm absolutamente nada em comum. Lady Reyna é uma mulher virtuosa e erudita, que preferia morrer a quebrar uma promessa ou voto. Ian de Guilford é um sensual mercenário, um cavaleiro errante cujo temperamento fogoso lhe valeu a alcunha de Senhor das Mil Noites. Ela não conhecia a sua fama quando, fazendo-se passar por cortesã, transpôs as linhas inimigas com um plano desesperado para salvar o seu povo. Agora que está frente a frente com o guerreiro a cujos encantos, diz-se, é impossível resistir, Reyna apercebe-se de que subestimou o seu inimigo. Ele está decidido a tudo para subjugar a sua virtude. A bem do seu povo, ela não pode ceder... e a sua audácia leva-a a fazer algo com que nunca sonhou: pôr em jogo o seu coração.

Lord of a Thousand Nights (Medieval #6)


Titulo Original - Lord of a Thousand Nights
Edição - 2012
ISBN - 9789892316727

Doce do Momento: "Aposta Indecente" de Matilda Wright

Aposta Indecente

Paris, 1854. Um dos homens mais ricos de França, o marquês de Villeclaire tem uma vida luxuosa e despreocupada, onde não falta nada que o dinheiro e a sua posição social possam pagar. Mulheres, jogo, festas, caçadas, palácios... Mas uma aposta faz com que os destinos de Villeclaire e Catherine Duvernois, uma jovem e misteriosa viúva, se cruzem, numa altura em que uma nuvem negra tolda os dias do belo marquês, prestes a casar, contra sua vontade, com Blanche de Belfort. A vida de Louis de Villeclaire desmorona-se... Quem é Catherine Duvernois? E Blanche de Belfort? Alguém está a mentir. Mas quem? Porquê? A resposta mudará para sempre o futuro destas três personagens. Um romance arrebatador, que se desenrola entre os sofisticados salões da aristocracia parisiense e as deslumbrantes paisagens do vale do Loire, levando os leitores numa viagem inesquecível por cenários de sonho, durante o reinado do Imperador Napoleão III.


Página em que vou: 15

Desafio Arco-Íris: Singularidades de uma Rapariga Loira



Apesar de já termos um novo selo no forno (surpresas em breve) ainda nos chega pilhas coloridas!

A última foi da Carol do blog Singularidades de uma Rapariga Loira!



Que nos dizem desta pilha com cheiro a mar e verão? Hmm só coisinhas apetitosas!

Muito obrigada Carolina! :D 




25 de junho de 2013

A Sair do Forno: "O Toque do Highlander" de Karen Marie Moning



Ele desafiaria os limites do tempo por uma noite nos braços dela… 

UM GUERREIRO DE PODERES IMORTAIS 

Ele era um poderoso guerreiro escocês que vivia num mundo movido por antigas leis e magia intemporal. Mas nada poderia preparar o laird do Castelo Brodie para a encantadora e amaldiçoada jovem que jazia diante dele. Um terrível golpe do destino tinha-a feito recuar 700 anos no tempo para a sua câmara privada, a tentá-lo com a sua beleza — e a seduzi-lo com um desejo que ele jamais lograria saciar. Pois esta mulher que ele ardia por possuir era igualmente a mulher que ele recusara destruir.

UMA MULHER APANHADA NAS BRUMAS DO TEMPO 

Quando Lisa sentiu a terra mover-se sob os seus pés, a feroz e independente mulher do século XXI jamais sonhou que estivesse a cair… direita a outro século. Mas o poderoso guerreiro nu que jazia postado de olhos fulgurantes nela era simplesmente demasiado real… e perigosamente arrebatador. Irresistivelmente atraente, sem dúvida... mas Lisa não tinha intenção de permanecer nesta bárbara terra dilacerada por guerra e traição. Como poderia ela saber que o seu sedutor captor tinha outros planos para ela? Planos que a salvariam de um trágico destino? E como poderia saber que este homem que há muito renunciara ao amor desafiaria o próprio tempo para a reclamar?

Sai dia 5 de Julho

Opinião Histórica: "O Protector" de Madeline Hunter


Madeline Hunter enquadra-se naquele género de escritoras que nos habitua a um tipo de escrita sem erros, sem nada a apontar e que só nos surpreende com as histórias que vai criando. Neste aspecto está no mesmo patamar da minha tão querida Nora Roberts.
O problema é mesmo essas histórias.
Pessoalmente sou bastante apologistas dos romances com finais felizes, em que o casal se conhece e apaixona e que os segredos entre eles ou os seus passados é que vão apimentar a situação. Isto tudo acontece nos dois primeiros livros de Madeline. Os seguintes perdem um pouco essa característica em que me sinto tão confortável e por isso é que tenha desgostado mais destes. Principalmente deste último.
Atenção que não digo que não gostei. Sublinho que adorei, só que a história não me cativou assim tanto.
Começando com a sinopse que se tornou um pouco "falsa", pois tem informação não muito correcta, e terminando nas personagens principais, este livro de capa tão linda, que também saiu um pouco do padrão da anterior (refiro-me só ao Casamento de Conveniência, pois este vem em seguimento desse), foi o que menos gostei.
Se o objectivo era Morvan ser um homem bastante machista e arrogante em demasia, Madeline Hunter conseguiu transmiti-lo perfeitamente. No inicio em que estas características não estava tão evidentes, e apenas era "visivel" o seu amor e dedicação pela irmã, eu até tinha uma certa empatia por ele e ansiava pela continuação, mas desde o casamento esta personagem sofreu uma reviravolta e acabou por representar o tipo de homem que mais detesto: mandão, hiper-protector, etc.
A sua companheira, Anna de Leon, acabou por ser perfeita para ele, visto que a sua personalidade se manteve tão inconstante como a de Morvan. Passou de amazona e mulher independente, para esposa submissa... o que não corresponde ao eu ideal de personagem feminina. Estes aspectos contraditórios são resolvidos no final, mas continuo a defender que a escritora não apresentou a ideia da melhor maneira. Confesso que durante essa fase submissa, Anna teve algumas atitudes revoltosas e mais em comum com o inicio, mas para mim a base esteve sempre lá.
O que mais gostei foi do envolvimento dos cavaleiros amigos de Morvan e de Anna. Estes vão surgindo e sendo-nos apresentados ao longo da história, enriquecendo o leque de personagens e desviando um pouco o cerne da história. Os cavalos também foram um elemento enriquecedor, tanto para a história, como para o cenário ou até para o desenvolvimento e conhecimento das personagens.
De qualquer forma, o resultado foi bastante positivo e estou ansiosa pelo novo desta escritora.

Numa terra sem lei, devastada pela guerra e pelas pragas, Morvan Fitzwaryn, um cavaleiro errante, faz jus à sua honra e protege os mais fracos.
Habituado a ser o melhor, o mais forte, o mais temido, não esperava vir a conhecer um guerreiro cujas qualidades de combate rivalizassem com as suas. Quando se encontram pela primeira vez, é Morvan quem precisa desesperadamente de ajuda. De espada na mão e porte altivo, o guerreiro a quem ficará a dever a vida é, surpresa das surpresas, uma mulher!
Em pouco tempo, a imbatível Anna de Leon torna-se no único prémio digno de ser conquistado... e o único que Morvan não consegue arrebatar.

The Protector (Medieval #5)


Título Original -  The Protector
Edição - 2011
ISBN - 9789892313153

A Sair do Forno: "Envolvida" de Sylvia Day




Desde que vi o Gideon pela primeira vez, percebi que ele tinha algo de que eu precisava, algo a que eu não conseguia resistir. Percebi-lhe também uma alma perigosa e atormentada – tal como a minha. Envolvi-me. Eu precisava dele tanto como precisava que o meu coração batesse. Ninguém sabe o quanto ele arriscou por mim e o quanto eu fui ameaçada; ninguém imagina quão negra e desesperada se tornou a sombra dos nossos passados. Entrelaçados nos nossos segredos, tentamos desafiar o destino. Definimos as nossas próprias regras e rendemo-nos completamente ao intenso poder da obsessão.

A envolver em Julho